Homem é condenado a mais de 15 anos de prisão por matar ex- mulher a facadas, no Pará

Na última sexta-feira, 19, o réu José Edmar Rosa da Silva saiu preso do Tribunal do Júri ao final do julgamento. Ele foi condenado a pena de 15 anos e 9 meses de reclusão em regime fechado pelo homicídio de sua ex-mulher. A vítima foi executada a facadas, devido o réu não aceitar o término do relacionamento. O Ministério Público atuou no júri por meio da 3ª Promotora de Justiça de Conceição do Araguaia, Cremilda Aquino da Costa.

O caso ocorreu em abril de 2009, no município de Conceição do Araguaia. A vítima era constantemente ameaçada e espancada pelo então companheiro, de acordo com o apurado à época. Quatro meses antes do ocorrido, a vítima Rubervânia da Conceição França Silva decidiu terminar o relacionamento, o que não foi aceito por ele e motivou o crime, caracterizado como motivo fútil pela Promotoria e consequentemente pelos jurados.

Durante o dia do crime ele a seguiu insistentemente. Ela passaria a noite na casa da irmã, foi então que, após uma amiga se despedir e ir para sua casa que ficava próxima, ouviu os gritos de Rubervânia pedindo para José Edmar não lhe fazer mal, mas ele desferiu várias facadas na vítima. Ele ficou foragido desde então e só foi encontrado em 2015, em Uruçuí (PI).

No corpo de delito constatou-se que o réu deferiu os golpes de faca pelas costas, o que foi considerado como ato de crueldade e que não houve chance de defesa. Devido à motivação fútil, ao uso de crueldade e não dar chances de defesa à vítima, ele foi condenado a 15 anos e 9 meses de prisão em regime fechado.

RG15/O Impacto com informações MPPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *