Bocão Ed. 1382

GOLPE NO EMPRESÁRIO

A Polícia de São Paulo realizou uma operação contra uma quadrilha especializada em aplicar golpes em empresários. Os criminosos diziam que a vítima tinha uma restituição na Receita Federal e prometiam recuperar o dinheiro e inscrever no Refis. A polícia acredita que o grupo pode ter feito mais de 400 vítimas. A quadrilha em São Paulo se especializou em aplicar golpes. E com o esquema, os golpistas podem ter levantado um patrimônio milionário.

GOLPE NO EMPRESÁRIO 2

Os golpistas procuravam empresários da capital paulista e ofereciam serviços de restituição de impostos. Os suspeitos diziam que a vítima tinha um alto valor a receber. A quadrilha mostrava até documentos de arrecadação fiscal falsos.

GOLPE NO EMPRESÁRIO 3

O valor chegava a ficar visível no site da receita por alguns dias. Para isso, a quadrilha cobrava 30% do valor como honorários. Após uma auditoria da Receita, vinha o problema: nada de restituição e ainda uma multa – quando o grupo já estava com o dinheiro.


BAIRRO MARACANÃ

A senhora Deyse Pereira foi visitar a praia do Maracanã e ficou deslumbrada com a transformação do bairro. Quase todas as ruas asfaltadas, um novo lugar. Ela parabeniza o prefeito Nélio pelas obras.

BAIRRO JOSÉ OPERÁRIO

A senhora Deyse, que mora no bairro São José Operário, ainda faz um apelo para o prefeito Nélio e secretário Daniel que não se esqueçam dos moradores da Rua São Vicente, no bairro São José Operário, para que assim como melhorou a vida e o acesso dos moradores da grande área do Maracanã, assim possam fazer com os eleitores do seu bairro. Fica o apelo da leitora para o nosso Prefeito, Nélio Aguiar, e para secretário Daniel.


PRÉDIO DA SEFA

O senhor Avelino Filho encaminhou à coluna a seguinte mensagem. Bom dia, colunista. Tão triste e velho é o prédio da Receita Estadual, que está ali na Avenida Mendonça Furtado há mais de meio século, e pela quantidade de grana arrecadada já poderia ter um prédio de melhor acomodação. O certo é que o governo Municipal, como o do Estado, já deveriam ter construído a cidade administrativa onde teríamos todas as secretarias de governo e repartições do Estado.


SEM ÁGUA

A senhora Cristina Brilhante, do Bairro Caranazal, está revoltada com a COSANPA pela falta de água em sua residência. Cristina voltou no tempo e passou a tomar banho de cuia, já que desde a última sexta-feira, dia 19, o bairro está sem água, tendo que se deslocar de sua residência para outro bairro para tomar banho. Cristina pede para as autoridades providências, pois paga sua conta todo mês e esses dias que ficou sem água não é descontado.


ESTADO DO TAPAJÓS

O advogado Dr. José Ronaldo Campos encaminhou para a coluna a seguinte mensagem: O movimento pela emancipação do Estado do Tapajós tem que agir com cautela, prudência, coerência, inteligência, e aguardar o momento certo, adequado, ou pelo menos plausível à realização do plebiscito, evitando precipitação, para não perdermos o bonde da história, distanciando ainda mais o nosso decantado divórcio federativo.

ESTADO DO TAPAJÓS 2

O senhor Ivaldo Junior Gomes, acadêmico, encaminhou a seguinte mensagem à coluna: Bocão, eu quero me manifestar a respeito da criação do Estado do Tapajós e espero que seja publicado, pois acompanho a coluna e percebo a imparcialidade.

ESTADO DO TAPAJÓS 3

Essas pessoas que se dizem defensoras do Estado do Tapajós só se manifestam em época de campanha política para tirar vantagem. Quem luta por essa causa são os desocupados sem emprego, presta atenção nos nomes dessas pessoas.

ESTADO DO TAPAJÓS 4

Gente desqualificada que não entende nada e pensa que com a criação do Estado do Tapajós vão arrumar emprego e ser candidatos. Para a criação do Estado o governo federal vai ter que sustentar o Estado por vários anos com bilhões de reais e isso não vai acontecer.

ESTADO DO TAPAJÓS 5

O Amapá até hoje sofre, pois ainda não se consolidou como Estado independente com arrecadação própria que possa sustentar suas despesas. Nossa região é pobre. Não quer dizer que é rica por ter uma garimpo, as quais as riquezas não ficam aqui.

ESTADO DO TAPAJÓS 6

Os empresários que querem investir na região são impedidos pelos ambientalistas que não querem trabalhar. Não é fácil criar um Estado. Bocão, olha as figuras que estão por trás da criação do Estado. Pessoas que não possuem qualificação técnica profissional, querem fazer barulho para tirar vantagem, não possuem emprego, não vivem de seus trabalhos, dependem dos outros para viver. O povo cansou dessas pessoas.

ESTADO DO TAPAJÓS 7

Bocão, analisa os históricos dessas pessoas que querem o Estado. São oportunistas, só se manifestam em época de campanha. Logo estarão disputando uma vaga para vereador, deputado ou assessor apenas para tirar vantagem financeira. Essas pessoas não trabalham, vivem as custas de outras pessoas e querem aparecer.

ESTADO DO TAPAJÓS 8

Quero que você publique meu desabafo. Esses desocupados devem esperar o momento para lutar pelo Estado do Tapajós. Não sou contra a criação, porém, devem ter pessoas qualificadas tecnicamente e não esses que querem tirar vantagem. Obrigado, Bocão, pela atenção e espero que seja publicado.


ICMS E STF

Por oito votos a três, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceram a inconstitucionalidade da instituição de uma alíquota de ICMS majorada para energia elétrica e telecomunicações. O caso concreto envolve o estado de Santa Catarina (RE 714139), que aplica uma alíquota de ICMS de 25% para os setores, frente a uma alíquota geral de 17%.

ICMS E STF 2

O julgamento foi encerrado na noite da segunda-feira (22/11) por meio do plenário virtual do STF. Como se trata de um recurso extraordinário, a decisão não derruba a lei do estado catarinense. Ela terá efeito apenas sobre as partes, com a redução da alíquota para as Lojas Americanas S.A no estado de Santa Catarina.

ICMS E STF 3

Mas, por ter repercussão geral, a decisão vincula o Poder Judiciário. Assim, além de eventuais ações individuais, o entendimento deverá ser aplicado no julgamento de ações diretas de inconstitucionalidade, derrubando as leis estaduais. Até lá, porém, as leis continuam vigentes.

ICMS E STF 4

No Estado do Pará ninguém se manifestou para exigir que o ICMS seja de 17%. Espero que agora que não seja utilizada essa situação em campanha política para iludir o povo como o defensor da ilegalidade, já que essa alíquota de 25% já vem a muito tempo e ninguém se manifestou em outros tempos.

 

Por Bruno Rodrigues

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.