Fraudes no financiamento de veículos: saiba como golpistas enganam consumidores

Por Edmundo Baía Jr.

Com o aumento dos crimes digitais, as estratégias dos golpistas estão evoluindo rapidamente, com a estruturação de verdadeiros escritórios de crimes digitais, com estrutura e equipe de call center, utilização de robôs e hackeamento de diversos bancos de dados. Enfim, as estruturas criminosas estão cada vez mais tecnológicas, permitindo vários tipos de fraude, como é o caso da cobrança de veículos financiados em atraso.

De acordo com Afonso Morais, especialista em combate a fraudes financeiras, mesmo com a intensa divulgação na mídia sobre diversos golpes, essa relacionada a veículos é pouco divulgada pela falta de conhecimento da estrutura ou mesmo por falta de denúncias.

“Essa cobrança fraudada de financiamento de veículos com atrasos nos pagamentos das parcelas mensais ocorre de várias maneiras. Exemplo são empresas chamadas de ‘assessorias’, que conseguem dados de devedores e que atraem as vítimas com falsas promessas de redução dos juros, contrato de financiamento em até 50% do valor da parcela mensal e do financiamento total”.

Conforme o especialista, os consumidores devem ficar atentos a promessas com excesso de vantagens.

“Com grande habilidade de discurso são vendidas aos consumidores promessas que são na realidade impossíveis de serem atendidas, mas que geram grande interesse. Para isso cobram uma taxa de serviço que pode chegar a até 2.000,00 reais, prometendo que irão resolver em uma semana a redução. Algumas até promovem uma ação revisional do contrato de financiamento, contudo, na maioria dos casos as empresas simplesmente não fazem absolutamente nada e somem, deixando o consumidor em débito com o banco”, acrescentando:

“Já observei casos nos quais tais assessorias, quando a dívida do financiado já está com ação de busca e apreensão, ficam com o veículo do consumidor, alegando a necessidade de esconder o veículo para o banco não apreender e acabam vendendo para um terceiro, mesmo estando o veículo alienado e com débito”.

FALSO CALL CENTER E ADVOGADOS

Outro golpe pouco divulgado pela mídia é a cobrança do débito do financiado por um call center falso. Nesses casos os golpistas montam um escritório falso, igual a um de cobrança autorizado pelo banco, fazem a cobrança e ajuízam o processo de busca e apreensão. Assim, o escritório falso passa a cobrar em nome desse escritório autorizado, usando o logo nas cobranças e nas ferramentas de comunicação, como WhatsApp e e-mail.

Para executarem essa cobrança judicial fraudulenta, compram arquivos de dados clientes que são hackeados de um banco ou financeira e passam a negociar o débito por valores bem abaixo do original. Pela falta de cuidado e por acreditar na redução, os financiados não verificam a autenticidade de quem está cobrando e acabam pagando o valor negociado. Mais tarde, quando cobrados pelo escritório verdadeiro, descobrem a fraude.

“Ainda mais desconhecido é o golpe em que os fraudadores se passam por advogados, entram nos processos digitais de busca e apreensão e copiam os dados pessoais, os dados do veículo e os valores em atraso. Posteriormente entram em contato com o financiando, como se fosse o escritório de cobrança, e negociam uma proposta com redução de até 50% do débito. Os consumidores gananciosos pagam o boleto e somente descobrem a fraude quando são cobrados pelo verdadeiro escritório”, diz o especialista.

Ele relata que as fraudes são pagas geralmente com boletos falsos, que alteram a máscara do boleto, direcionando os valores para a conta dos estelionatários. “O caminho para resolução dessas situações passa pela prevenção por parte dos consumidores, que devem passar a checar com mais atenção os contatos que são feitos, duvidando sempre de promessas milagrosas e checar a fundo os documentos que irão pagar”.

“Também é fundamental que, em caso de suspeita de golpe, sejam realizadas denúncias às autoridades e que possibilitem as investigações para que se chegue a esses fraudadores. O melhor caminho para fugir de fraudes e para impedir a atuação desses golpistas sempre será a obtenção e divulgação de informações de qualidade”, conclui Afonso Morais

RG 15 / O Impacto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.