Santarém receberá verba para ações de cuidado às pessoas com sintomas pós-covid

Por Thays Cunha

O Ministério da Saúde vai destinar R$ 160 milhões para apoiar ações e serviços voltados ao cuidado às pessoas com sintomas pós-Covid-19 na Atenção Primária (APS). A medida, anunciada do dia 24 de fevereiro através da publicação da Portaria nº 377, especifica o valor que cada município irá receber, em caráter temporário.

Para entender o cálculo, a Secretaria de Atenção Primária da pasta lançou, também, uma nota técnica. O índice criado para definir os perfis municipais considerou as seguintes variáveis: quantitativo de equipes (Saúde da Família, Atenção Primária, Ribeirinha e Unidade Básica de Saúde Fluvial) custeadas pelo Ministério da Saúde; Índice de Vulnerabilidade Social (IVS); porte populacional; e coeficiente de mortalidade por Covid-19 por cem mil habitantes.

No total, foram identificados, por prioridade, 1.373 municípios com perfil alto (que receberão R$ 43.632 cada um), 2.679 com perfil médio (receberão R$ 29.088), e 1.518 com perfil baixo (R$ 14.544). Os dados regionais apontam para o Nordeste como a região que mais receberá recursos.

A região norte possui 158 municípios classificados como “perfil alto”, 208 como “perfil médio” e 84 como “perfil baixo”. O valor do repasse chega ao total de RS 14.165.856.

SANTARÉM

De acordo com portaria, Santarém foi classificada como “perfil alto”, e desse modo receberá quase R$ 50 mil.

O repasse deverá ser utilizado pela gestão local na qualificação, reorganização e adequação dos serviços da APS para o cuidado das pessoas com condições pós-Covid, respeitando as necessidades epidemiológicas no território.

Entre as ações que podem ser custeadas estão a contratação de profissionais qualificados; a reforma de ambientes (áreas para as ações necessárias); a aquisição de materiais de consumo necessários (colchonete, faixa elástica e bola suíça, por exemplo); a busca ativa e o monitoramento de pessoas com condições pós-Covid; e a implementação de ações de educação em saúde para orientar a população.

O incentivo financeiro federal será transferido em parcela única e o monitoramento será feito pelo Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (Sisab).

Mais detalhes sobre a metodologia para a criação dos índices e classificação dos municípios, assim como orientações foram disponibilizadas pelo Ministério da Saúde através do endereço eletrônico www.aps.saude.gov.br.

BOLETIM

Em boletim atualizado na quarta-feira (02), a prefeitura de Santarém informou 38.754 casos de covid-19 confirmados no município, 37.200 pessoas recuperadas, 1.275 óbitos, 60.290 resultados negativos, 28 análises, 302 monitorados e 126.988 monitorados já recuperados.

A rede Hospitalar de Santarém possui no momento 20 leitos de UTI para adultos exclusivos para covid-19, dos quais 18 estão ocupados (95%) com 18 pacientes positivados. Todos os pacientes estão no HRBA. Não há pacientes na fila de espera para ocupar um leito de UTI.

Existem 49 leitos clínicos disponíveis exclusivos para covid-19. Desse total, 15 estão ocupados (30,61%) com 14 casos positivos e 01 suspeito.

ENTENDA A COVID-19 LONGA

Segundo a definição atualmente utilizada pelo Ministério da Saúde, a pessoa com condições pós-Covid é aquela que apresenta manifestações clínicas novas, recorrentes ou persistentes após a infecção aguda por SARS-CoV-2, quando essas não são atribuídas a outras causas.

Portanto, a Atenção Primária, a principal porta de entrada do SUS, deve estar preparada para receber os casos e distribuí-los, conforme a necessidade, pelas demais áreas da rede de saúde.

 “A APS pode detectar e diagnosticar complicações precocemente, fornecer tratamento, conter situações adversas evitáveis e articular o atendimento com a atenção especializada e a hospitalar, ofertando um cuidado integral a esses cidadãos”, explicou o secretário de Atenção Primária, Raphael Câmara.

RG 15 / O Impacto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.