Santarém integra novo mapa de roteiros turísticos do MTur

Algumas ações voltadas ao desenvolvimento e a melhoria da mobilidade e da conectividade turística nos Municípios brasileiros foram apresentadas durante reunião da Confederação Nacional de Municípios (CNM) com representantes do Ministério do Turismo (Mtur). No encontro ocorrido no último dia 25 de fevereiro, o planejamento do transporte turístico de passageiros e 30 Rotas Turísticas Estratégicas ganharam destaque.

O coordenador-geral de Mobilidade e Conectividade Turística do Mtur, Higor de Oliveira Guerra, e a assistente do departamento de Ordenamento, Parcerias e Concessões, Ana Cláudia Bazzo Sá, mostraram os avanços registrados. Também pontuaram políticas para gerar segurança nos deslocamentos de turistas; melhor ambiente de negócios; e novos investimentos no setor, gerando emprego e renda.

Dentre as iniciativas, o diagnóstico de infraestruturas de transporte das 30 Rotas Turísticas Estratégicas contemplou 152 Municípios e traçou as condições de transporte das rotas, incluindo estrutura, integração de modais e disponibilidade de informações. Guerra explicou que o mapeamento permite planejar políticas públicas locais de melhorias na infraestrutura e nas rotas, a partir da realidade. As ações serão apresentadas pelo Mtur para os Municípios contemplados no I Seminário de Mobilidade e Conectividade Turística: diagnóstico das infraestruturas de transporte das 30 Rotas Turísticas Estratégicas, marcado para 17 março, das 9h às 12h30, com transmissão pelo canal do Ministério do Turismo, no Youtube.

Na nossa região, aparecem no mapa Santarém, inseridas as vilas de Alter do Chão e Ponta de Pedras, além de Belterra, mais especificamente a Flona do Tapajós. A Rota Turística Estratégica englobaria, portanto, Belém, Ilha do Marajó, Santarém e Alter do Chão.

Mapeamento

O Mtur destacou que o mapeamento começou por essas localidades, mas deve ser ampliado para outros Municípios turísticos do país. Os representantes da área de Turismo e Institucional da Confederação, Marta Feitosa, Mônica Costa e Elias Zinczuk, mencionaram a realidade de difícil acesso a recursos destinados à infraestrutura e lembraram as diversidades regionais e a demanda voltada à universalização da internet.

Os representantes da CNM também destacaram que o planejamento do transporte turístico de passageiros no Brasil é um dos principais gargalos para se alavancar o turismo. É preciso a estruturação integrada e coordenada que contemplem diagnósticos e fomentem proposições que atendam aos modos rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo e suas respectivas infraestruturas. ( Agência CNM de Notícias, com informações do Mtur e Gov.br)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.