Crianças que estavam desaparecidas há 26 dias na floresta amazônica são encontradas com vida

Duas crianças indígenas de seis e oito anos, que desapareceram na floresta há quase um mês, foram encontrados vivos. Elas haviam saído para caçar passarinho no dia 18 de fevereiro e não foram mais vistas. Os familiares das crianças, que vivem na Comunidade indígena Palmeira, no município de Manicoré, interior do Amazonas, mobilizou um grupo de busca e conseguiu resgatar os dois irmãos – um menino e uma menina – na tarde da última terça-feira (15/03).

As crianças foram encontradas em profundo estado de desnutrição. O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas chegou a fazer buscas, mas não obteve sucesso. Desde então, grupos de mateiros mobilizados por familiares dos irmãos continuaram a procurá-los em vários trechos da mata.

Segundo a Polícia Civil do Amazonas, por meio da 72ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), as crianças estão muito debilitadas e serão ouvidas pelas autoridades assim que a equipe médica permitir. Ainda nesta quinta-feira (16/03), os irmãos serão transferidos para Manaus.

Fonte: O Liberal

Um comentário em “Crianças que estavam desaparecidas há 26 dias na floresta amazônica são encontradas com vida

  • 19 de março de 2022 em 15:20
    Permalink

    Esse fato e no minemo intrigante:
    Se partir de um princípio que índios tem instintos que beiram as estratégias de animais, esse caso está mal explicado. E obvio que deve existir um divisor de águas entre o instinto de um indígena nato e outro socializado, mas a própria genética é o que conta e por isso preserva o comportamento em qualquer fase.
    Bom vamos aos fatos: As crianças desapareceram na mata, e sob uma desculpa esfarrapada o alarme foi lançado, as equipes de buscas acionadas e não se logrou êxito. Não quero entrar no mérito da questão sobre o fracasso das equipes de buscas, mas eu não posso conter o desejo de perguntar onde esta a capacitação desses profissionais, uma vez que as crianças não se afastaram quase nada do seu habitat. Me desculpem mas esse é um fracasso a ser revisto senhores. A tática tá fraca num tá?
    As crianças devem serem plenamente homenageadas pelo poder publico ou no minemo por um veículo de comunicação da região, tanto pela sabedoria como pelo tempo de sobrevivência somado sozinhos na mata. Primeiro porque souberam se alimentar dos produtos da natureza com sabedoria. Digo isso porque poderiam terem se contaminado com algum fruto venenoso. Quero lembrar que na maioria dos casos quando se vaga perdido por muito tempo, uns sempre fraquejam primeiro, e nesses casos e bem comum o grupo se dividir na tarefa entre buscar ajuda e vigiar o moribundo. Nesse caso olhem só a sabedoria desse menino. Como não havia um terceiro para vigiar o irmão ele preferiu permanecer ao seu lado acontecesse o que quer que fosse, até fraquejar também. E completando, eu quero afirmar que os pequenos dispõem de uma perícia ultra-humana senão a toda prova, porque se defender numa floresta onde os bichos peçonhentos estão por toda parte não é tarefa fácil, pior ainda quando se trata de uma Amazônia. É claro que o próprio odor dos nativos se familiariza ao dos bichos afugentando-os, ou no minemo familiarizando-se . Isso não é lenda como conta os seriados de Hollywood. Há fatos concretos pelo mundo afora comprovando essa tese. Eu sou escritor e numa das minhas obras eu defendo ferreamente a teoria do mito sobre os anjos: a fase inocência tem um período embora muito polêmico, mas comprovadamente a bíblia afirma que este período de 12 a 13 anos, e neste período a maioria das crianças inocentes são protegidas por anjos. Eis ai outra questão né?
    E como afirmei no início o fato é intrigante demais, e eu acabo de ler que o delegado também suspeitou do ocorrido. Esse profissional tem faro e vai descobrir que existiu motivação para as crianças se ausentarem proporcionada por um ou mais membros da família, ou no minemo negligencia. Não é muita coincidência eles terem sido encontrados por um dos parentes? Esse ai tem muito que se explicar ,e eu tenho certeza que o delegado vai chegar nele. Aliás já devia ter lhe investigado.
    A história de Joãozinho e Maria é só um conto de fadas gente. As crianças sairão para caçar passarinhos na mata? Conta outra história porque essa ai não colou.
    Parabéns a todos que participaram da saga, principalmente o governador do estado que providenciou traslado para os pequenos até um recurso mais bem aparelhado.
    Quando as crianças se restabelecerem completamente quero ter o prazer de entrevista-los para compor matéria de um livro que quero dedicar-lhes.
    Desejo vitória a todos, e que Deus continue abençoando as crianças.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.