Secretária de Saúde de Santarém contrapõe vereadora Adriana Almeida

A Secretária Municipal de Saúde de Santarém, Vânia Portela, rebateu as críticas efetuadas pela vereadora Adriana Almeida, com relação à falta de estrutura e de medicamentos no Hospital Municipal de Santarém (HMS).

A gestora da saúde santarena expôs as conquistas da sua pasta em meio à pandemia, e solicitou à parlamentar que juntamente com seus pares na Casa do Povo empreendam esforço em mobilizar as bancadas estadual e federal, com objetivo de obterem emendas para serem investidas na saúde do município.

Adriana Almeida realizou comentários na Sessão da Câmara de Vereadores, do dia 14 de março, se referindo a uma visita realizada nas dependências do HSM na noite do dia 24 de fevereiro.

“Estava faltando Tramal, um medicamento que não pode faltar no municipal. Liguei para o prefeito, liguei para a secretária. Às vezes a gente não quer externar isso na rede social para não aparecer apelação, mas é o momento de dizer socorro”, disse a parlamentar.

De acordo com ela, durante o período que esteve na unidade hospitalar, não encontrou cama disponível.

“Passei ali 3 horas procurando uma cama, desci na obstetrícia, não tinha nenhuma cama. Então isso tem que ser falado, tem que ser mostrado, mas a gente não pode gritar só para Mais Saúde não. Precisa resolver também, sobre a estrutura do Hospital Municipal, com o prefeito de Santarém, com a secretária de Saúde”, externou Almeida, acrescentando:

“Vamos falar a realidade, o problema é a Mais Saúde? É! Mas ninguém faz milagre naquela estrutura caindo à cabeça não. Ninguém vai fazer milagre, pode contratar qual O. S. quiser aqui. Então, o que a gente tem que discutir é isso. Qual é a solução? E essa pergunta é para que, todos nós aqui, possamos pensar, refletir e responder”.

CONTRAPONTO

Em resposta a vereadora, a secretária Vânia Portela esclareceu que a falta de medicamento, em especial do Tramal, ocorreu devido escassez na indústria farmacêutica, e que na data da visita de Adriana Almeida, a medicação estava em trânsito, tendo chegado dois dias após a vistoria, sendo inclusive, atestado sua entrega pela comissão de fiscalização.

“Informo, ainda, que são utilizados medicamentos diferentes, dentro da sua categoria, para se adequar a necessidade dos pacientes, e na ausência do Tramal é usado a dipirona, a dolantina, a morfina, entre outros analgésicos”.

Sobre a estrutura precária do HMS, Portela lembra que, apesar dos investimentos realizados nos últimos anos, a construção da unidade hospitalar é de mais de meio século.

“Em que pese à preocupação da nobre parlamentar, é importante enquanto gestora municipal do SUS justificar que a estrutura física é da década de 50. A administração municipal, na gestão do prefeito Nélio Aguiar, ao longo dos anos, vem ajustando a estrutura do prédio para melhor acomodar os pacientes. A titulo de exemplo, nós temos a reforma da emergência, a instalação do raio-x digital, a primeira etapa da reforma do setor de obstetrícia, a implantação da agência transfusional, o tão sonhado tomógrafo, entre outros investimentos que estamos licitando. No entanto, reformar na sua totalidade demandaria altíssimo custo, necessitando da participação financeira do Estado e da União”, disse Vânia.

“Finalizo me solidarizando com a preocupação da parlamentar, ao mesmo tempo em que de posse das conquistas elencadas em meio à pandemia, estendo os mais respeitosos apelos à vereadora Adriana Almeida, e aos demais vereadores do município, que se unam ao Poder Executivo em busca de melhorias para a saúde pública, buscando apoio junto as bancadas estadual e federal, para colocar em prática os anseios da população”, finalizou a Secretária.

Veja o vídeo:

RG 15 / O Impacto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.