Domingo sangrento com três mortes no trânsito santareno

Por Lúcia Brandão

COLISÃO NA BR-163

Jefferson Ferreira Silva (esquerda da imagem), 23 anos, dirigia uma motocicleta Pop 100 de cor vermelha quando colidiu de frente com um carro, modelo Toyota Corolla de cor prata, na Rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), trecho da Comunidade São José, em Santarém.

O acidente resultou na morte do motociclista ainda no local, e deixou mais duas pessoas feridas. As vítimas sobreviventes estavam no carro envolvido na colisão, sendo que uma apresentou escoriações e outra apresentou quadro clínico considerado grave. Ambas foram socorridas pelo SAMU e conduzidas ao Pronto Socorro Municipal (PSM).

Jefferson deixa esposa e uma filha de quatro anos de idade.

 ATROPELAMENTO NA RODOVIA EVERALDO MARTINS

Um homem que sofreu um atropelamento na noite de domingo, na Comunidade de Caranazal, localizada na Everaldo Martins (PA-457), rodovia que liga Santarém à vila Balneária de Alter do Chão, não resistiu e foi a óbito no local do acidente.

A vítima, identificada como Ricardo Ferreira Costa (centro da imagem), 41 anos, trabalhava como tatuador em Alter do Chão. Ele estava caminhando pela PA-457 quando foi atingido por uma caminhonete, cujo motorista não parou para prestar socorro.

A Polícia Científica e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados. No local foram realizados os procedimentos padrões para posterior investigação do ocorrido. O IML removeu o corpo do local para exame de necropsia.

MORTE NA CURUÁ-UNA

A terceira morte na noite de domingo (03/04) foi de um motociclista, por volta de 21h. Desta vez em uma colisão entre um carro e uma motocicleta na Comunidade de Boa Esperança (Km 43), Rodovia Santarém/Curuá-Una.

O homem, identificado como André Farias dos Santos (direita da imagem), 25 anos, não estava usando capacete, e evoluiu a óbito ainda no local. O condutor do carro, modelo Gol de cor branca, aguardou a polícia, que após procedimentos de praxe liberou o motorista.

A madrasta de André esteve na delegacia de polícia civil na manhã de segunda-feira (04/04), afirmou que o enteado saiu com os tios para brincar, por volta de 15h do dia do ocorrido, e que à noite ela e o marido receberam a notícia. De acordo com ela, o rapaz estava “um pouco alcoolizado, mas não estava muito não”. Ele trabalhava como caseiro na chácara do “Finado Iran”.

Colaborou Edinei Silva (Tv Patrulheiro) e Cleudson Von (Blog do Cleudson Von)

O Impacto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.