Pescador quase é engolido por cobra grande

Raimundo Costa “Marajó” escapou de ser devorado pela sucurí da Amazônia

Por mais incrível que possa parecer, a história é verdadeira: o pescador Raimundo Santos da Costa, mais conhecido por “Marajó”, estava junto com dez companheiros, espalhados em dez bajaras, quando tranquiilamente aproveitavam a tarde de domingo e como sempre fazem, lançaram as redes, (malhas 65 e 70) nas águas do rio Amazonas, mais precisamente em frente à localidade conhecida por “Barreiras do Ituqui”, nas mediações da ”Ilha da Areia” em uma profundidade de 45 a 50 braças.
Ao terminarem de colocar as malhadeiras, foram jantar, quando de repente, para surpresa de todos, conta Raimundo “Marajó”, o pescador conhecido por Elder, morador da comunidade de Cuieiras, deu um grito assustador.
Elder estava frente a frente com uma cobra de tamanho acima do normal, tão grande que assustou o experimentado homem. A cobra boiou, enrolada a dezenas de redes. Elder confirmou que a cobra-grande tinha a largura de aproximadamente dois metros e suas escamas cinzentas, pareciam com telha de barro crua. Os pescadores tiveram que abandonar suas redes e desde então, nenhum deles teve ainda coragem de voltar ao local.
Moradores dos arredores afirmam que, de vez em quando aparece alguém que se depara com a “Anaconda”, que parece saída dos filmes de Hollywood. Raimundo “Marajó” jura de pés juntos que a história da cobra grande é verdadeira. Quem quiser pode falar com ele, Marajó confirma o fato.

Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *