Passional – PM mata namorado e sogro da ex-mulher e comete suicídio

As vítimas foram encontradas dentro do veículo

O Soldado da Polícia Militar do Estado do Amazonas José Ribamar Durans, de 28 anos, lotado na 11ª CICOM – Companhia Interativa Comunitária, matou a tiros Ismael Silva de Souza, de 22 anos; e Eraldo Auzier de Souza, de 45 anos, respectivamente filho e pai.

O crime aconteceu por volta de 08:30 horas de ontem, dia 22, no bairro São José II, zona leste da cidade de Manaus/AM.

Ismael era namorado da ex-mulher do PM, Deyse da Silva França. O casamento havia acabado fazia cerca de quatro meses.

De acordo com testemunhas, o policial estava em uma motocicleta preta e esperou as vítimas estacionarem o veículo em que estavam para disparar os tiros. Eles morreram no local.

Depois do crime o acusado atirou na própria cabeça. Ele ainda chegou a ser internado em estado grave no Hospital Pronto Socorro João Lúcio, na zona leste, mas não resistiu e morreu. A ocorrência foi confirmada pela assessoria de imprensa da PM.

Deyse já havia denunciado o ex-marido, por perseguição, na DECCM – Delegacia Especializada em Crimes Contra as Mulheres.

A Polícia apreendeu a arma do crime, um revólver calibre 38, e acredita em hipótese de crime passional.

Deyse França, pivô do crime, estava inconsolável - Foto Euzivaldo Queiroz

Polícia diz que crime foi premeditado – Eraldo era membro do Coral do Amazonas, um dos pioneiros do grupo da Secretaria de Estado da Cultura (SEC). Ismael era namorado da ex-mulher do PM, Deyse da Silva França, de 24 anos. Ela estava separada do militar havia quatro meses, mas, segundo familiares, ele não aceitava o fato e vinha ameaçando Deyse e o namorado dela de morte. A mulher tem uma filha de 3 anos, nascida do relacionamento com o soldado.

Para a polícia, o crime foi premeditado e anunciado, já que, por conta de ameaças constantes, tanto Deise quanto Ismael denunciaram Durães na 11ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), onde o PM era lotado, na Corregedoria Geral do Sistema de Segurança Pública, e na Delegacia da Mulher da Polícia Civil, mas nenhuma providência foi tomada. “Nós o denunciamos em todos os órgãos competentes mas ninguém fez nada para evitar que Durães cumprisse a promessa de morte que fez para Ismael”, disse Deyse.

A ex-mulher de Durães disse que o namorado e o pai foram à casa dela buscá-la para levá-la ao médico. Ela disse que, antes, viu o ex-marido rondando a casa, mas que depois ela não o viu mais. Assim que Ismael e o pai dele chegaram em um carro de marca Ford e modelo Focus, de cor azul e placas JXE-6605, o PM apareceu em uma motocicleta fez os disparos contra os dois e tentou se matar.

Segundo testemunhas, as vítimas foram surpreendidas pelo assassino e não tiveram tempo de defender-se. Durães usou um revólver Bulldog calibre 38 para matar as vítimas e se matar.

Deyse disse que estava separada do militar havia quatro meses pelo fato de ele ser ciumento e violento. “Ele não me deixava estudar e trabalhar. Vivia me ‘dando homem’”, disse a mulher que afirmou, ainda, que estava namorando Ismael há dois meses, mas desde o dia em que o ex-marido ficou sabendo passou a perseguir o casal e ameaçá-lo de morte.

 Deyse disse que Durães já tinha ido ao trabalho de Ismael, espancado ela, e que ele passava a maior parte do tempo de sua folga lhe seguindo. Dayse disse que ela e Ismael nunca tiveram sossego. “Eu nunca imaginei que Durães tivesse coragem de cumprir com o que dizia”, disse.

Pai e filho foram enterrados hoje à tarde – Ismael Silva de Souza, 22, e o pai de Ismael, Eraldo Alzier de Souza, 45, respectivamente filho e pai, foram enterrados às 15h desta terça-feira (23) no Cemitério Parque Tarumã, na Avenida do Turismo.

O velório aconteceu no templo Adventista do 7º dia, na Avenida Noel Nutles, bairro Cidade Nova, zona norte. A despedida feita pelos familiares e amigos foi marcada por vários cânticos. Fonte: A Crítica

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *