Padrasto acusado de manter criança em cárcere privado

A residência localizada na Rua Angelim, onde a criança é mantida em cativeiro

Preocupados com a situação de abandono e seções de violência sofrida por uma criança de 04 anos, provocadas pelo próprio padrasto, conhecido como “Popó”, moradores da Rua Angelim, no bairro do Santarenzinho, procuraram nossa reportagem para denunciar o caso. A residência em que acontecem as sessões de violência fica localizada na Rua Angelim, nº 2162, bairro do Santarenzinho, no município de Santarém.
Segundo os moradores, quando a mãe do menor sai para trabalhar no período da tarde após a criança voltar da “Escolhinha O Vencedor”, o padrasto também se evade do local e deixa o menino trancafiado dentro da casa, com cadeados no portão da residência. Além de manter o menor em cárcere privado, principalmente no período da tarde, “Popó” também é acusado de espancar diariamente a criança.
Apresentando muros altos, construídos em alvenaria, a residência onde o menor sofre os atos de violência, de acordo com os vizinhos do casal, faz com que o auxílio das pessoas a criança se torne difícil e, que por isso já comunicaram o fato a Polícia Militar.
No último final de semana uma guarnição da Polícia Militar esteve no local investigando a situação, mesmo assim, ainda segundo os vizinhos, as sessões de tortura à criança, provocadas pelo padrasto não foram dizimadas. Cabe ao Conselho Tutelar e ao Juizado da Infância e Juventude investigarem o caso.

Por: Manoel Cardoso

Deixe seu comentário aqui: