Maníaco de Belterra preso após estuprar enteadas

Uma das menores estupradas foi ouvida pelo Delegado João Liberal

O Conselho Tutelar e a Polícia Civil de Belterra, distante 45 quilômetros de Santarém, desvendaram um caso de estupro envolvendo duas menores de idade, que aconteceu na comunidade de Pedreira, localizada no interior daquele Município. Os atos de violência sexual cometidos pelo padrasto nas duas meninas também teriam acontecido quando a família se mudou para a sede do Município de Belterra.
De acordo com o delegado João Manoel Liberal, os conselheiros tutelares procuram a Polícia Civil para acompanhar o caso de estupro de um homem que vivia com sua esposa e duas meninas na comunidade de Pedreira. Segundo ele, hoje uma das meninas tem 14 anos, mas desde os 09 anos começou a sofrer vários tipos de violência sexual cometido pelo padrasto. Já a outra menor tem 11 anos e também desde os 09 anos vinha sofrendo abusos sexuais praticados pelo padrasto.
O acusado do crime é Moacir de Souza Nogueira, de 41 anos. Segundo as vítimas, os abusos ocorriam há mais de dois anos, dentro do quarto do casal. Segundo os relatos, as meninas eram agredidas, tinham suas roupas arrancadas à força e eram ameaçadas de morte se contassem sobre o abuso. Quando se recusavam a manter relações, elas eram espancadas, por isso uma das garotas está com problema auditivo devido às pancadas que recebeu na região do ouvido. A mãe não podia fazer nada, pois também recebia ameaças e era agredida pelo seu companheiro, com quem vivia há sete anos. O filho mais velho deixou de trabalhar para garantir proteção à família.
“O caso iniciou há bastante tempo, já foi investigado pelo Conselho Tutelar e Polícia Civil. A primeira menina vinha sendo abusada há cerca de 5 anos e a outra há aproximadamente 02 anos”, revela o Delegado, acrescentando que o caso de estupro veio à tona por conta de outro procedimento, quando a mãe procurou a Polícia Militar para entregar uma arma.
“Depois que a PM apresentou a arma na Delegacia, fizemos o Inquérito Policial por posse ilegal de arma e, foi aí que começou a ser descoberto o caso de estupro envolvendo as meninas”, explicou.
Para as autoridades de segurança do Oeste do Pará, o padrasto que estuprou as duas enteadas menores de idade em Belterra, pode também ser entendido como “maníaco”, por ter deixado as meninas completarem 09 anos, para iniciar a prática de violência sexual.

Por: Manoel Cardoso

Deixe seu comentário aqui: