Cuidados evitam a intoxicação alimentar nas festas de fim de ano

O ideal é deixar os alimentos aquecidos a 70ºC ou dentro da geladeira

A Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo alerta sobre o risco de intoxicação nas festas de fim de ano. Segundo a médica Maria Bernadete de Paula Eduardo, responsável pela Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentos da secretaria, o ideal é deixar os alimentos aquecidos a 70ºC ou dentro da geladeira.

Em temperatura ambiente pode haver o crescimento de bactérias ou de suas toxinas, que causam diarreia e vômito.

Ela recomenda que as refeições fiquem no máximo duas horas fora de refrigeração.

– Além disso, não é recomendável deixar as sobras de comida em cima do fogão ou dentro de um forno desligado, mas guardá-las o mais rapidamente possível na geladeira.

Cozinhar, assar ou fritar muito bem as carnes bovinas, suínas, aves, peixes, ovos e outros produtos de origem animal é muito importante, pois o interior do alimento deve estar bem aquecido para matar as bactérias ou outros micro-organismos.

Também é recomendável separar bem os alimentos, como os lavados e desinfetados, por exemplo. A faca deve ser sempre limpa, já que, se usada em um alimento contaminado, pode infectar outro em seguida.

Utensílios de madeira, como colheres de pau e tábuas de carne, também devem ser evitados. Nos restaurantes, o uso desses materiais é proibido, diz a secretaria. A explicação é que a existência de ranhuras, riscas e trincas torna a higienização mais difícil com o tempo.

Lavar bem as mãos, frutas e verduras com água tratada também é indispensável, assim como comprar produtos de origem clandestina ou duvidosa. Ao final das refeições, a dica é guardar sempre as sobras de alimentos dentro da geladeira. Após duas horas em temperatura ambiente, micro-organismos e suas toxinas começam a se desenvolver nos alimentos.
Maria Bernadete diz que é preciso um cuidado especial com refeições à base de ovo, que podem transmitir Salmonella Enteritidis, bactéria responsável por 50% dos casos de gastroenterites, segundo a secretaria.

– Por isso, é importante que a população não consuma ovos mal cozidos ou crus e pratos realizados à base de claras e gemas cruas.

Do R7, com Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *