Jatene anuncia comando da segurança e secretários

O ex-superintendente da Receita Federal no Pará, José Tostes Neto foi confirmado como o próximo Secretário de Fazenda e o ex-prefeito de Paragominas e deputado estadual eleito pelo PSDB, Sidney Rosa assumirá a Secretaria de Projetos Estratégicos do governo de Simão Jatene. Esses foram os dois secretários anunciados ontem (22) pelo governador eleito, que confirmou também o comando de boa parte dos órgãos de segurança pública.

O delegado Nilton Atayde será o titular da Delegacia Geral; o comando geral da Polícia Militar ficará com o coronel Mário Solano. Para a Casa Militar, Jatene escolheu o coronel Fernando Noura e o major da Polícia Militar Francisco Mota Bernardes será o titular da Superintendência do Sistema Penal (Susipe).

Jatene não anunciou o comandante do Corpo de Bombeiros e confirmou que mudou de idéia após ser informado de que o escolhido – o coronel João Hilberto Figueiredo – responde a processo por peculato e estelionato. O coronel foi denunciado pelo Ministério Público Militar por supostamente desviar dinheiro da corporação.

Na tarde de hoje (23), Jatene poderá fazer nova rodada de anúncios. Se desejar tomar posse com a equipe completa, o governador eleito terá que definir pelo menos 70 titulares de secretarias, autarquias e empresas públicas. Até agora, anunciou apenas seis secretários, os comandantes de órgãos de segurança e o titular da Procuradoria Geral.

Jatene afirma, contudo, que cada vez que anuncia um nome, o desenho da estrutura vai ficando mais fácil porque os próprios nomeados vão ajudando e também porque a intenção é dar coesão à equipe. Ou seja, o perfil do titular de uma pasta acabará definido as opções para os cargos auxiliares. “Já avisei que o secretário-adjunto que vier fazer fofoca pensando em ficar no lugar do secretário não terá sucesso. Se for o caso, saem os dois”. Segundo ele, é fundamental que a equipe “seja capaz de gerar sinergia”.

“à medida que você começa a construir um corpo base, os demais já se fazem até com a participação dos que foram escolhidos. É mais fácil para você preencher os espaços. Cada órgão não pode ser um governo isolado”.

TÉCNICA

Jatene reiterou que tem buscado nomes com capacidade técnica comprovada e tem se preocupado também com o histórico dos candidatos, o que comprovaria a suspensão da escolha do comandante do Corpo de Bombeiros. Jatene disse que, além das conversas com os dirigentes partidários, faz questão de se reunir antes com cada indicado para falar da filosofia do trabalho.

Ele admite, contudo, que dirigentes de órgãos regionais só serão definidos após a posse. Jatene explica que, nesse caso, é preciso que a pessoa tenha afinidade com o titular da pasta e também inserção local. O governador eleito não oficializou ontem a indicação do economista e coordenador da transição Sérgio Leão para a secretaria de Governo. Elogiou o amigo e disse que ele é um coringa por isso. “Como tal, em qualquer espaço que esteja, vai desenvolver um excelente trabalho”.

ARTICULAÇÕES

Como num tabuleiro de xadrez em que a movimentação de cada peça pode alterar a configuração geral do jogo, as negociações com vistas a formar o secretariado têm exigido paciência e muita conversa do governador eleito Simão Jatene. São longos encontros com dirigentes partidários e com os técnicos que o auxiliam.

Jatene garantiu que hoje (23) anunciaria mais um grupo da equipe, o que pode ocorrer só à tarde porque muitos detalhes ainda precisavam ser acertados. De concreto, sabe-se que o PMDB já garantiu quatro secretarias: de Pesca, de Agricultura, de Integração Regional e de Desenvolvimento Urbano. O partido ainda negocia, contudo, a indicação do titular da Secretaria de Estado de Transportes (Setran). Para a pasta da Agricultura é certo que irá o ex-vice-governador Hildegardo Nunes. Para a Pesca, a indicação do partido é a deputada estadual eleita Nilma Lima, que estaria reticente em aceitar o cargo que, nesse caso, poderia ser dado ao 1º suplente do PMDB na Assembleia, Ozório Juvenil.

Também indicada pelo PMDB, a ex-prefeita de Parauapebas, Bel Mesquita deverá ocupar um cargo no governo, mas até a noite de ontem, não estava fechado qual seria. A indefinição se deve ao fato de que o deputado federal eleito José Priante teria voltado atrás em aceitar uma secretaria, o que pode alterar o quadro. Se mantido o rumo atual da negociação, o líder do governo na AL será o deputado Parsifal Pontes que foi líder do PMDB na atual legislatura.

Após a negociação com o PMDB, Jatene precisará acomodar Tião Miranda, seu aliado de primeira hora em Marabá. A ida de Miranda para o governo abrirá espaço, na AL, para o primeiro suplente do PTB, Joaquim Passarinho.

Além disso, falta fechar secretarias como a de Planejamento e Administração. Para ocupá-las, Jatene deve recorrer a integrantes da equipe do governo anterior como a economista Alice Viana.

Entre os anúncios de hoje, estão os titulares da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e do Instituto de Assistência e Previdência dos Servidores Públicos (Iasep), ambos indicados pelo DEM. Para o Iasep, o mais cotado é o secretário de Saúde de Castanhal, Kleber Teixeira. Para a Emater deve ir a técnica de carreira do órgão, Cleide Amorim.

Diário do Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *