Maria: “Farei mudanças estratégicas no meu Governo”

Maria do Carmo acredita em um bom relacionamento com Simão Jatene

Com o objetivo de implementar melhorias em Santarém, a prefeita Maria do Carmo (PT) adiantou que irá concluir e entregar à população em 2011, as obras do PAC I dos bairros Uruará e Mapiri, além do terminal hidroviário de cargas e passageiros, da Vila Arigó. Ela garantiu que o PT se consolida como o governo que conclui obras. Maria do Carmo falou, ainda, da relação que tem com os novos secretários de governo de Simão Jatene, Nilson Pinto e Zenaldo Coutinho, da troca de nomes nas secretarias de Santarém, dentre outros temas. Acompanhe os principais detalhes da entrevista:
Jornal O Impacto: Prefeita, a troca de nomes nas secretarias de seu governo já começou?
Maria do Carmo: Na verdade, estamos fazendo uma análise do Governo de 2010 e nos preparando para 2011. É possível que quando a gente termine de fazer esse desenho, vamos precisar perpetrar algumas mudanças na Prefeitura. Serão mudanças estratégicas, porque agora acabamos de perder uma eleição e, queremos ganhar um novo pleito dentro de dois anos. Para isso, precisamos nos preparar e estar organizados, ter foco, estratégia e, é isso que vamos fazer a partir do dia 27 deste mês. Havendo necessidade, eu tenho certeza que vamos poder fazer isso com muita calma e tranqüilidade. Todos que estão no Governo, querem fazer um bom mandato para colher bons frutos no futuro.
Jornal O Impacto: O deputado Carlos Martins poderá assumir a pasta de alguma Secretaria da Prefeitura de Santarém a partir de janeiro próximo?
Maria do Carmo:
É pouco provável, para não dizer quase impossível. O resultado do deputado Carlos nas eleições deste ano foi muito importante para nós. Foram mais de 100 mil votos que ele teve. Aqui em Santarém ele foi votado expressivamente. Eu continuo lamentando que a população não percebesse que já temos tamanho e número de eleitores suficiente para elegermos dois deputados federais. Acho que poderíamos ser bem representados. Ele teve um bom resultado, o que para a gente foi importante, ficando como primeiro suplente, mas não está na Câmara Federal, em Brasília. Eu tenho certeza que o Governo Federal, com essa visão estratégica, poderá vir convidá-lo a exercer uma função no Governo da Dilma. Na Prefeitura não existe possibilidade.
Jornal O Impacto: O médico Everaldo Martins Filho está confirmado na Secretaria Municipal de Planejamento a partir de janeiro?
Maria do Carmo:
Ele reassume seu posto na Prefeitura de Santarém a partir do dia 17 de janeiro. Para a gente, é importante porque temos um sistema que aprendi com o Ciro Gomes, na época em que trabalhei com ele na ADA. Aprendi com ele, que uma gestão estratégica passa pelo planejamento, administração, finanças e governo. São as quatro secretarias que funcionam como uma engrenagem importante dentro de uma Prefeitura. Dessas quatro, a mais importante é a de Planejamento, que sempre foi o coração do nosso governo. Tanto é que o nome é Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral, ou seja, ele vai coordenar todas as demais secretarias. Com a saída do Everaldo mudou um pouco essa estratégia com o Emanuel, que priorizou mais a questão do planejamento em si. Com a vinda do Everaldo volta a ter essas duas funções primordiais, que é planejar e coordenar.
Jornal O Impacto: Com a escolha de Alexandre Padilha por Dilma Rousseff para assumir a pasta do Ministério da Saúde, Santarém poderá receber benefícios?
Maria do Carmo:
Estou feliz com duas indicações: A primeira do próprio Alexandre Padilha. Já a segunda do deputado federal Luiz Sérgio para o lugar do Alexandre Padilha, que tem nos ajudado todos esses anos e por isso tem sido bem recebido aqui, inclusive ganhando a medalha Felipe Betendorf, em 2006. Neste ano, o Alexandre ganhou também a homenagem como Gente Destaque de Santarém, demonstrando a importância e o carinho que ele tem por esta cidade. Foi ele quem arrumou todos os recursos federais nas áreas de turismo e infraestrutura que temos no Município. Tenho certeza que o Padilha no Ministério da Saúde vai poder nos ajudar a realizar o nosso grande sonho que é de construir um hospital municipal novo com uma ala especifica para maternidade. Hoje, 90% das mulheres atendidas no PSM são com gravidez de alto risco. Queremos atender a todas e ter também uma unidade de terapia intensiva para essas grávidas. O Alexandre vai poder nos ajudar na construção do novo hospital, além de mandar dinheiro, o que precisa muito na gestão da saúde.
Jornal O Impacto: Quanto ao Luiz Sérgio, o que a senhora tem a dizer?
Maria do Carmo:
O Luiz Sérgio já foi Prefeito de Angra dos Reis e o conheço há muito tempo. Ele é muito amigo do deputado federal Paulo Rocha e, tenho certeza de que vai abrir as portas para mim como novo Ministro. Vamos continuar tendo o mesmo atendimento que tínhamos com o Alexandre Padilha, que esse Ministério das Relações Institucionais, é o órgão mais importante para definir para onde vão os recursos do Governo Federal, sendo um braço da Casa Civil. É importante que possamos manter o contato com esse Ministério que vai ser feito através do deputado federal Paulo Rocha.
Jornal O Impacto: A nomeação dos secretários de governo de Simão Jatene, Nilson Pinto e Zenaldo Coutinho, que nos últimos anos demonstraram posição contrária à criação do Estado do Tapajós, poderá prejudicar diretamente Santarém?
Maria do Carmo:
Acredito que não. Na eleição ninguém perguntou para o Jatene se ele era contra ou a favor do Estado do Tapajós. Creio que tenha sido estratégico, porque é obvio que ele é contra o Estado do Tapajós. Não tem Governador que ao se eleger tenha coragem de dizer que vai atuar para dividir o território de um Estado. Não vejo por aí, a nossa luta deve ser no Congresso Nacional para a criação do novo Estado. Quero parabenizar o Governador eleito pelas primeiras indicações, inclusive o nome do Zenaldo Coutinho para a Casa Civil do Pará, por se tratar de um lugar político. Um dos problemas que tivemos no governo da Ana Júlia foi exatamente porque a Casa Civil não teve uma pessoas antes do Everaldo que fizesse essa relação político-institucional. O Zenaldo tem experiência e está no quarto mandato de Deputado Federal. Ele conhece todo mundo, sabe quem é quem e, sei que é através dele que vamos chegar com o Jatene, com as demandas de Santarém. Sou amiga do Zenaldo de adolescência, o conheço de muitos anos, apesar dele ser contra o Estado do Tapajós, mas tenho certeza que o novo chefe da Casa Civil vai ajudar com que a gente possa nos inserir no programa de desenvolvimento do Pará, que será implantado. As outras indicações foram muito boas, o Nilson Pinto já foi reitor da UFPA. Até agora o vejo com bons olhos, de uma forma positiva as nomeações de Simão Jatene.
Jornal O Impacto: Como a senhora analisa o Helenilson Pontes atuando no governo do Pará ao lado de Simão Jatene?
Maria do Carmo:
Ele é um fator de grande importância. Acredito que o Simão Jatene vai fazer um bom governo, principalmente por alguns motivos: Primeiramente, ele é meu amigo pessoal, porque conheço o Jatene de muitos anos. O segundo motivo, é que o Jatene teve 90 mil votos em Santarém e deve respeitar uma cidade que deu a ele toda essa demanda na eleição. O terceiro motivo é que, o Jatene tem que respeitar a importância de Santarém, por ser um Município estratégico e a bola da vez na questão do desenvolvimento do Pará. Em quarto lugar, o Helenilson é santareno, é Vice-governador e, tenho certeza que ele vai articular e fazer essa relação com o Governo. No primeiro mandato, o Jatene fez o que era estratégico para Santarém, sem antes ter perguntado. Não foi uma via de mão dupla, só veio de lá pra cá, agora o Helenilson vai nos ajudar a fazer a via daqui pra lá.
Jornal O Impacto: O que senhora deseja do novo Governo do Pará?
Maria do Carmo:
Quero principalmente que se ampliem as políticas de água, de segurança pública e que mande asfalto para Santarém, porque o Jatene não fez no primeiro mandato e isso é importante. A população quer asfalto, a reforma e construção de novas escolas e o novo Hospital Municipal. Ele fez esse compromisso na campanha eleitoral de que vai reestruturar os hospitais municipais de todo o Estado. Espero que Santarém seja um dos primeiros.
Jornal O Impacto: O PAC do Pará poderá ser paralisado a partir do dia primeiro de janeiro?
Maria do Carmo:
As obras do PAC continuarão. Agora só depende da empresa que atuará no Uruará se articular e voltar a trabalhar, para o Mapiri também. Para 2011 quero concluir o PAC Uruará e Mapiri e inaugurar o terminal hidroviário. Acho que devo isso ao povo de Santarém e vou me dedicar a essas obras, que é asfalto, terraplanagem e o terminal hidroviário. Somos o governo que concluiu obras. Já inauguramos o viaduto e a orla e vamos concluir o PAC I, no Uruará e Mapiri e o terminal hidroviário.
Jornal O Impacto: Qual a mensagem de Natal que a senhora emite ao povo santareno?
Maria do Carmo:
Quero que todos tenham um Natal abençoado. Já percebemos o clima de Natal em Santarém e, temos esse trabalho e compromisso com a nossa população desde 2005, de tornar a cidade mais bonita e iluminada. Criamos um clima de Natal adequado para as crianças e as famílias, para que as pessoas sintam vontade no coração de renascer novamente e recomeçar. O espírito natalino é do recomeço, do perdoar e do voltar a sonhar. É dessa forma que queremos que a população de Santarém entre o ano novo, com as esperanças e os sonhos renovados, de muita saúde, paz de espírito, emprego, dinheiro no bolso, amigos e sorte.
Por: Manoel Cardoso

Um comentário em “Maria: “Farei mudanças estratégicas no meu Governo”

  • 29 de dezembro de 2010 em 08:22
    Permalink

    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA,LAGRIMAS DE CROCODILO PRA PREFEITA………..SAI FORA…….

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *