Crueldade – Vaqueiro é degolado por parceiro de bebida

Corpo de Eder Vasconcelos foi totalmente perfurado pelos golpes

Dois amigos vaqueiros, Eder e seu companheiro de birita conhecido por “Grande”, estavam bebendo depois de mais um dia de labuta entre leites, gados e chifres, foi, então, que resolveram tomar uma pinga para desforrar o dia inteiro de trabalho. Não se sabe a razão porque Eder começou a discutir com sua companheira de cama e mesa, que também tomava cachaça junto com os dois homens. Dizem que o motivo teria sido suspeita de um chifre a mais na fazenda, não do gado, sim de Eder.
Fatos – No começo desta semana, dois vaqueiros que trabalhavam em uma fazenda localizada a 140 km do município de Novo Progresso, no Oeste do Pará, se desentenderam. Na luta, Eder Sandro Vasconcelos, de 20 anos, foi assassinado com várias facadas em seu corpo.
O fato aconteceu na semana passada. Segundo uma testemunha, Eder teria convidado o acusado identificado como “Grande” que também é vaqueiro de uma fazenda vizinha, para ajudar a apartar o gado, ao final do serviço, os dois foram para a sede da fazenda, entornar umas e outras. Foi, então, que Eder começou a discutir com sua esposa que bebia junto com eles.

Eder morreu prematuramente

Diante da confusão, “Grande” pegou a garrafa de pinga, quebrou e perfurou Eder com o gargalo. Após desferir vários golpes com pedaço do litro, o acusado correu e deixou a vítima caída no chão.
Eder ainda chegou a ser socorrido por um vizinho e sua esposa, eles colocaram Eder na carroceria de um trator e saíram para buscar ajuda em um vilarejo às proximidades. Foi, então, que “Grande” pulou na carroceria do veículo e desferiu mais três facadas em Eder, sendo que uma delas degolou a vítima, que morreu na hora.
A vítima era moradora do bairro Jucelândia, local em que seu corpo foi velado. O delegado Lucivelton Ferreira, informou que a Polícia já tem informações do paradeiro do assassino.
Polícia Civil identifica assassino de trabalhador – A Polícia Civil de Santarém identificou na manhã da última segunda-feira, 27, o autor do assassinato do agricultor Raimundo Nonato de Sousa Azevedo, 41 anos, morador do bairro do Uruará. Segundo os investigadores da 16ª Seccional, o elemento Nilton César Pereira Figueiredo, de 35 anos, conhecido como “Peixeiro” foi quem disparou a arma que vitimou Raimundo Nonato. O crime aconteceu por volta das 23h, do dia 24 deste mês, na noite de Natal, na Rua da Indústria, bairro do Uruará, no momento em que Raimundo foi à casa do acusado e, ao chegar ao local, teria iniciado uma discussão com o seu vizinho, que ao se apossar de um revólver calibre 38, teria efetuado três disparos, um deles acertando o coração da vítima.  Raimundo Nonato não resistiu ao ferimento e morreu no local do crime. Já o autor do disparo se evadiu do local e se encontra foragido da Polícia. Após o homicídio, amigos da vítima apedrejaram a casa de Nilton César.

Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *