André Cavalcante: “São Raimundo apostou em um projeto errado”

André Cavalcante acredita em uma nova fase para o São Raimundo

Uma semana depois da demissão do técnico, disse em entrevista exclusiva a “O IMPACTO” que o motivo principal do desligamento do referido treinador da equipe alvinegra foram as declarações maldosas que deu em relação à imprensa e aos dirigentes do clube. André garante que atualmente existe um bom relacionamento entre os dirigentes do São Raimundo. Ele falou, ainda, que o time tem grandes chances de se classificar às finais do Campeonato Paraense deste ano. Acompanhe os principais detalhes da entrevista:

Jornal O Impacto: O que contribuiu para a atual fase do São Raimundo e a carência de vitórias no Campeonato Paraense?

André Cavalcante: Na verdade, o que aconteceu é que o São Raimundo apostou em um projeto que foi apresentado com a vinda do Sebastião Rocha para Santarém, onde o principal objetivo naquela ocasião era pelo menos manter o clube na Série C do Campeonato Brasileiro e posteriormente para atingir a conquista máxima do Campeonato Paraense em 2011, mas pelo visto, este projeto não deu certo. O primeiro objetivo não foi alcançado e, que todos sabem que o São Raimundo caiu para a Série D, agora para o Campeonato Brasileiro de 2011. Dentro de uma perspectiva organizacional e de se tratar de profissionais com bastante experiência e lastreado por alguns títulos, com passagens, inclusive por times do exterior, nós resolvemos manter essa perspectiva, para que o Sebastião comandasse o clube no Campeonato Paraense de 2011, principalmente pela alegação que ele fez de que encontrou o plantel formado quando chegou e, que não eram jogadores que tinha indicado e por várias outras situações administrativas, resolvemos acreditar no projeto que nos foi proposto na ocasião.

Jornal O Impacto: O que ocasionou a escolha da cidade do Rio de Janeiro para a efetivação dos trabalhos da pré-temporada do São Raimundo?

André Cavalcante: Por conta desse projeto que foi apresentado resolvemos fazer a pré-temporada no Rio de Janeiro, na Comunidade de Xerém, no Vale das Laranjeiras, de propriedade do Fluminense Futebol Clube, onde o técnico teve a oportunidade de escolher os jogadores com quem queria trabalhar e o tempo e as condições necessárias para desenvolver um trabalho que fizesse com que ficássemos entre os primeiros colocados ou campeão do Campeonato Paraense deste ano.

André Cavalcante e Sebastião Rocha

Jornal O Impacto: Atualmente o São Raimundo está passando por uma crise?

 

 

André Cavalcante: Não. A crise que se pode dizer é a situação derivada da não vinda das vitórias que eram desejadas. As vitórias não ocorreram, mas internamente a diretoria permanece unida, continuamos focados no objetivo que é conquistar o título do Campeonato Paraense. Trocamos o comando do time, haja vista que era insustentável a permanência do Sebastião Rocha por várias situações. Aí a gente espera que com a chegada do novo técnico, possamos colocar o clube novamente no caminho das vitórias.

Jornal O Impacto: Vários torcedores alegam que no momento o São Raimundo tem poucos jogadores de Santarém no elenco. Existe a possibilidade de que atletas locais possam ingressar no time no decorrer do Campeonato Paraense desse ano?

André Cavalcante: Hoje, o São Raimundo tem inscrito 25 atletas. Desses, apenas 12 atletas são de fora e inscrevemos praticamente todo o time da base, que veio do amador e mais os profissionais que estavam em outras regiões. É preciso que se diga, também, que se formos pegar todos os times do Brasil, poucos são os que têm uma identidade local de jogadores. Se pegarmos o Flamengo, são poucos cariocas que jogam no time, assim como se analisarmos o Grêmio, existem poucos gaúchos na equipe. É uma situação comum no futebol e, não é o local onde o jogador nasceu que vai dizer se ele é bom ou não. Na verdade, o que se pode alegar é que os jogadores locais podem ter mais comprometimento com uma maior identificação com a torcida, mas isso não lhe assegura que tenha competência técnica para figurar entre os profissionais do São Raimundo. A mesma coisa eu digo que os que vêm de fora não têm a garantia de que sejam jogadores que possam deslanchar no São Raimundo. Isso eu acredito que seja uma situação que não pode justificar tanto o sucesso quanto insucesso de um elenco.

Jornal O Impacto: O nome de técnicos como Valter Lima e Lúcio Santarém ainda são cogitados pela diretoria para assumir o São Raimundo neste ano?

André Cavalcante: Não. A diretoria do São Raimundo já anunciou a contratação do Charles Guerreiro para comandar a equipe no Campeonato Paraense. Tanto o Valter Lima quanto o Lúcio Santarém são ótimos profissionais e, que já passaram por aqui e estão na história do clube. Nesse momento o Lúcio é lotado na administração municipal e o Valter Lima está atuando em outras atividades. Para ser treinador do time principal do São Raimundo nesse momento, julgamos que precisamos de um nome, como do Charles Guerreiro.

Jornal O Impacto: Com quatro jogos sem vencer no Campeonato Paraense, o São Raimundo ainda tem chances de chegar entre os finalistas da competição?

André Cavalcante: É claro que tem. Porque nesse ano se classificam os quatro primeiros do turno paras disputar em jogos de ida e volta a semifinal e posteriormente a final. Se formos ver a situação de Remo e Paysandu, eles estão disparados e ninguém mais os alcança. De contrapartida, o terceiro e quarto lugar, que na ordem está o Independente e o Castanhal estão com 06 e 04 pontos respectivamente. Já o São Raimundo tem 02 e joga ainda contra o Castanhal e o Independente. Por esse lado é possível ver que o São Raimundo tem todas as possibilidades de ganhar esses jogos e entrar na disputa pela classificação.

Jornal O Impacto: Sobre aquela declaração do ex-técnico Sebastião Rocha nada amigável com a imprensa de Santarém, o que diretoria do São Raimundo tem a falar em relação à questão?

André Cavalcante: O São Raimundo não compactua e nem admite esse tipo de declaração. O Sebastião Rocha foi contratado com base no curriculum, o qual indicava para a diretoria do time, que era um profissional ponderado, comedido e ciente nas suas atitudes. Nos surpreendeu não só pelo ataque à própria diretoria como também a imprensa. Pelo que mostrou, Sebastião não merecia treinar um grande time como é o São Raimundo. Estamos bastante chateados com essa situação e foi um dos pontos principais que nos levou a tomar a atitude da sua dispensa. O São Raimundo tem na imprensa um aliado importante, valioso e indispensável. O time entende que a imprensa é indispensável na sua trajetória de sucesso. Mesmo que o São Raimundo estivesse obtido quatro vitórias, essa declaração que o Sebastião Rocha deu seria o motivo da sua dispensa.

Profissionais da imprensa de Santarém se revoltam

A colocação do ex-técnico do São Raimundo, Sebastião Rocha, de que se perdesse para a imprensa de Santarém, sendo demitido do time por pressão, seria um “merda”, revoltou os profissionais da área de jornalismo do Município. Para os profissionais da imprensa de Santarém, a consolidação de que Sebastião Rocha é um “merda” ou “técnico de araque” veio com o empate do São Raimundo de 3 x 3 contra a Tuna Luso, no último domingo, no Estádio Colosso do Tapajós.

O repórter Willian Sousa, o “Coruja”, analisa Sebastião Rocha, como uma pessoa prematura, prepotente e desinformada e, que por afirmar que estudou bastante o futebol teria que respeitar a imprensa do Oeste do Pará, além do time do São Raimundo, onde exerceu sua profissão de técnico de futebol. “Sebastião Rocha deveria exercer sua profissão com técnica de um especialista no assunto e não tentar desrespeitar os membros da imprensa e a população de Santarém.O meu ponto de vista como comunicador e cidadão a esse rapaz, como bosta dou nota 10. Sou muito sincero e honesto e posso dizer a ele que recebe minha nota 0”, desabafou Coruja.

Já o narrador esportivo da Rádio Rural de Santarém, Ivaldo Fonseca, lamentou a declaração de Sebastião Rocha. Segundo ele, em Santarém existem grandes profissionais que poderiam estar trabalhando em emissoras famosas em outros Estados do Brasil, por apresentarem talento e condições de grandes conhecedores do futebol. Ivaldo ressaltou, ainda, que algumas pessoas não saem de Santarém para outros lugares, porque optam em continuar trabalhando no Oeste do Pará. “Assim como têm grandes profissionais no Rio de Janeiro também têm péssimos membros da imprensa. Ele (Sebastião) chegou a dizer que os jornalistas de Santarém não estão preparados e, mesmo dizendo ter estudado foi flagrado falando mal dos diretores do São Raimundo”, avalia o Narrador, acrescentando que a diretoria do São Raimundo vinha prestigiando Sebastião Rocha desde o ano passado, mesmo com time não tendo vencido nenhum jogo valendo três pontos, sob seu comando. “Ele mostrou uma falta de ética muito grande e um desequilíbrio total”, afirma Ivaldo Fonseca.

Por: Manoel Cardoso

 

Um comentário em “André Cavalcante: “São Raimundo apostou em um projeto errado”

  • 31 de julho de 2011 em 19:03
    Permalink

    sou jogador tenho 25 anos temos um time muito bom com jogadores acima de qualquer nivel nunca jogamos profissionalmente mais tenho certeza que nos sairiamos muito bem ja morei em Santarem por muito tempo atualmento moro no mato grosso e temos jogadores exelente aqui na nossa cidade 66 99012248

    Resposta
  • 11 de Fevereiro de 2011 em 11:09
    Permalink

    O São Raimundo ja era, daqui uns anos talvez, mas essa diretoria perdeu a oportunidade de deslanchar o clube e colocar em maior nivel. o Jurídico falhou duas vezes ao não processar a federação pedindo o julgamento das finais do Paraense 2009 e também da “cagada” da inscrição dos jogadores na Copa Brasil 2010. A diretoria tem medo de que? outra coisa foi ver o estádio superlotado em 2009 com 16, 18, 20 mil torcedores e divulgarem público de 7, 8 e 12 mil. que fez a imprensa que não cobrou isso da diretoria? Alguém desviou o dinheiro.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *