Felício Pontes: “Nada é mais ameaçador em 500 anos como as hidrelétricas do Tapajós”

Felício Pontes

Com parte da programação da Semana dos Povos Indígenas no Oeste do Pará, a Câmara Municipal de Santarém realizou sessão especial para fazer a entrega de Títulos de Cidadão de Santarém ao Procurador Federal, Dr. Felício Pontes e ao padre José Boeing. A homenagem deveria ter acontecido no dia 15 de dezembro do ano passado, mas por espaço de agendamento só agora foi possível fazer a entrega da menção honrosa. Em entrevista exclusiva ao RG15/OIMPACTO, o Procurador Federal não poupou críticas ao governo, assegurando que este está contra o povo e a favor das empreiteiras. A revelação mais contundente foi quando ele abordou a construção das hidrelétricas do Tapajós. Para ele “hoje nenhuma ameaça ao povo do Tapajós é tão grande quanto essas hidrelétricas. Nada do que foi feito em 500 anos de ocupação nesta terra é tão ameaçador. Isso vai mudar radicalmente a vida das pessoas”, denunciou. Acompanhe a entrevista:

JORNAL O IMPACTO: Como o senhor recebe a homenagem que está sendo prestada hoje pela Câmara Municipal de Santarém?

Dr. Felício Pontes: Com uma satisfação muito grande. Eu estou completamente rouco por conta do jogo de ontem, que se o São Francisco tivesse vencido o Remo, eu não estaria tão rouco assim. Eu já me sinto Cidadão de Santarém, desde que eu cheguei há 15 anos como Procurador. Vejo hoje como um reconhecimento por toda essa luta e eu fico muito honrado com o título que me é concedido. Para mim é uma nova era, e serve de um grande incentivo. Se antes eu já me sentia um santareno, defendia os povos que habitam a região do Tapajós de uma maneira tão forte, imagine agora com esse título.

JORNAL O IMPACTO: O que o senhor tem respondido para as pessoas que lhe questionam sobre as alternativas para geração de energia, que não sejam através da instalação de hidrelétricas na Amazônia?

Dr. Felício Pontes: Todas as Universidades Brasileiras que já se debruçaram sobre esse tema, mostram que nós estamos hoje com 70 a 80 por cento de energia vinda da água, e isso é perigoso. O apagão que se deu em 2001 foi exatamente por isso. Naquele ano houve uma baixa de quase todos os rios. As alternativas nós temos com a energia eólica, hoje mais barata que a energia hídrica. Temos também a energia solar e na biomassa, se nós somarmos isso tudo, o Brasil seria auto suficiente, dependendo menos da hidrelétricas. Mas o que está acontecendo hoje é exatamente o contrário. O governo está se fazendo cada vez mais presente com hidrelétricas, esquecendo as alternativas com novas tecnologias, que são importantes e que estão sendo muito usadas fora do Brasil.

JORNAL O IMPACTO: Mas os investimentos com essas alternativas não seriam muito mais caros?

Dr. Felício Pontes: Hoje a energia eólica é mais barata do que a hídrica e a energia solar, através do estudo de uma universidade americana, revela que dentro de dois anos será mais barata do que a hídrica também. Então, nós estamos investindo em algo que é caro e sujo.

JORNAL O IMPACTO: E qual a posição do Ministério Público Federal sobre as hidrelétricas a serem construídas no Tapajós?

Dr. Felício Pontes: Nós estamos vendo isso com muita preocupação, porque no Tapajós nós vamos ter mais prejuízos do que nunca. O rio vai mudar completamente se essas sete hidrelétricas previstas no Pará e cinco no Mato Grosso forem construídas, principalmente quando vai ser a cheia, quando vai ser a seca. Quem vai decidir não será mais São Pedro. Quem vai decidir isso, é o Operador Nacional de Sistemas. E isso vai mudar completamente a vida do equilíbrio que se tem no Tapajós.

JORNAL O IMPACTO: Em algum momento o senhor já se sentiu impotente diante do funcionamento efetivo, por exemplo, do Porto da Cargill e mais recentemente da hidrelétrica de Belo Monte?

Dr. Felício Pontes: Em todo momento, e por mais que nós tenhamos razão, por mais que juridicamente esteja comprovado de que todas essas situações estão ilegais, eles conseguem num passo de mágica, uma decisão do Presidente do Tribunal Federal em Brasília, que suspendem todas as decisões que a gente tem a favor do povo da região do Tapajós e do Xingú que é contrário a essas hidrelétricas que são completamente ilegais.

JORNAL O IMPACTO: Mas o senhor vez por outra consegue vitórias. A Hidrovia Teles Pires é uma.

Dr. Felício Pontes: Algumas vitórias sim, mas eu acho que hoje nenhuma ameaça ao povo do Tapajós é tão grande  quanto a essas hidrelétricas. Nada do que foi feito em 500 anos de ocupação nesta terra é tão ameaçador. Isso vai mudar radicalmente a vida das pessoas.

JORNAL O IMPACTO: Há o que possa ser feito pra reverter a situação?

Dr. Felício Pontes: É preciso primeiramente que se tenha conhecimento. Que todo mundo estude, o que é esse projeto. O que ele tem de bom e de ruim, para tirar a sua conclusão. Se depois que você estudou e chegar à conclusão de quer isso é pior, é mais maléfico do que benéfico, que se posicione contra. É muito importante que as pessoas se posicionem.

JORNAL O IMPACTO: As obras do PAC invariavelmente ferem aspectos relacionados com a proteção ambiental. Por que é difícil conseguir um consenso nessa quebra de braço?

Dr. Felício Pontes: O governo está se colocando a favor dos grandes empresários do Brasil que são as empreiteiras e contra todo o resto. Então, me parece que a população da Amazônia é invisível. Não importa que povo do Rio Madeira, por exemplo, esteja morrendo nos hospitais em Porto Velho, por conta das hidrelétricas. Não importa que os estudos dos impactos ambientais sejam falhos, que a população ribeirinha não vá mais sobreviver do peixe. Nada disso importa para o governo brasileiro. Está na hora do povo da Amazônia se levantar e dizer: nós existimos, e nós vamos ser atingidos por isso. É preciso que esse grito da Amazônia seja ouvido em Brasília.

Fonte: RG 15/O Impacto

10 comentários em “Felício Pontes: “Nada é mais ameaçador em 500 anos como as hidrelétricas do Tapajós”

  • 23 de Abril de 2012 em 15:24
    Permalink

    O \”BENDITO PROGRESSO VEM?!\” ALGUÉM CONHECE UM SANTARENO QUE ERA DESEMPREGADO E AGORA TRABALHA NA CARGILL? CARGO DE FUNÇÃO? ISSO É UM BELO EXEMPLO DO QUE O PROGRESSO VAI LEVAR PARA A REGIÃO!!! AH! JÁ HÁ CURSO PARA OPERAR COLHEITADEIRAS POR AÍ? ALGUM PARA PILOTAR AVIÕES PULVERIZADORES? MECÂNICOS, ELETRICISTAS E MANIPULADORES DE VENENO, SECANTES E DESTRUIDORES DA ENZIMA METIL-COLINA? TEMOS QUE SABER SE SOMOS FELIZES OU NÃO EM SANTARÉM!

    Resposta
  • 12 de Abril de 2012 em 10:10
    Permalink

    DUDU IDIOTA IDIOTA E QUEM SE DROGA

    Resposta
  • 11 de Abril de 2012 em 18:00
    Permalink

    Esse procurador gosta somente de aparecer, acho que ele abre geladeira em casa pensando que a luz interna é holofote e dá entrevista prá mesma………..

    Resposta
  • 10 de Abril de 2012 em 11:28
    Permalink

    Como são as coisas…
    Triste ter q/ assistir nosso meio ambiente, nosso povo ser cruelmente destruído.Isso vai respingar bastante em todos nós q/ vivemos aqui nessa região.

    PARABÉNS AOS 2 QUERIDOS e BRAVÍSSIMOS VIKINGS !! SÃO 2 GUERREIROS SEMPRE PELA VIDA E PELA JUSTIÇA!! PARABÉNS!!!!

    Resposta
  • 9 de Abril de 2012 em 21:35
    Permalink

    BOA E JUSTA HOMENAGEM.

    O TEMA SOBRE HIDRELÉTRICAS É SÉRIO , GRAVE QUE MERECE TODA A ATENÇÃO.

    Uns insistem em afirmar q/ virá o desenvolvimento, progresso , crescimento econômico e financeiro p/ Região Norte c/ a Belo Monte e outras hidrelétricas, digo q/ realmente vem mas NÃO COMPENSA, É INSIGNIFICANTE PERANTE A DESTRUIÇÃO Q/ VAI CAUSAR, NADA SE EQUIPARA AOS PREJUÍZOS Q/ TEREMOS! NÃO COMPENSA OS DANOS A NOSSA QUALIDADE DE VIDA, A DESTRUIÇÃO DO NOSSO MEIO AMBIENTE ,OS POVOS NOSSOS VIZINHOS RIBEIRINHOS E INDÍGENAS, PESSOAS Q/ SERÃO \’\’ATINGIDAS EM CHEIO\’, POVOS Q/ SERÃO PREJUDICADOS OU DESTRUÍDOS .

    Compensou a de Belo Monte? Compensou p/ quem fez o acordo!

    \”mas … ACORDO É ACORDO e o RESTO é q/ se dane!!\”

    Nem a energia elétrica q/ consumimos será barateada p/ nós, nem isso!!

    Para teu próprio bem, leitor(a), desenvolva teu senso crítico, analise as pessoas a fundo. Tem fatos q/ são evidentes, basta você olhar atrás das aparências e de palavras bonitas…
    VEJA BEM:uma pessoa era paupérrima, pobre e praticamente da noite p/ o dia, sem acertar na mega sena , fica rica. Favor ACORDE! Analise pq tem gente q/ faz questão de ser político ou de estar na política. $$$$$

    TUDO NA VIDA É POLÍTICA. $$$$$$$
    ******************************
    ATENÇÃO! Tudo q/ é feito só e somente só por dinheiro não é realmente importante! GARANTO. Sempre lembre disso!!!!
    **************************************

    IMPORTANTÍSSIMO:
    O q/ vemos é q/ o nosso sitema jurídico, por exemplo nossos Órgãos como o Ministério Público Federal, as vezes TEM Q/ NOS PROTEGER DO PRÓPRIO SISTEMA IMPOSTO !!!! EU E MUITAS PESSOAS SABEMOS O Q/ TEM DE FATO POR TRÁS DE CERTOS EMPREENDIMENTOS ,NEGÓCIOS (NEGÓCIO$$$$ MESMO!)ACORDOS GIGANTESCOS;PORÉM A GRANDE MAIORIA DO POVO É MANIPULADA OU ENTÃO É ENGANADA DESCARADAMENTE E (E!) C/ MUITA FACILIDADE.

    TEM GENTE ESCLARECIDA/ESTUDADA Q/ \’NÃO CONSEGUE VER UM PALMO A FRENTE DO NARIZ\’, OU VÊ MAS SOMENTE DINHEIRO, NÃO TEM CAPACIDADE DE OLHAR UMA MULTIDÃO CARENTE Q/ SERÁ PREJUDICADA OU DESTRUÍDA ,FATOR Q/ VAI no mínimo RESPINGAR EM TODOS NÓS Q/ VIVEMOS NESSA REGIÃO.
    JA OUVIU FALAR EM DANOS PREJUÍZOS IRREVERSÍVEIS?? UMA VEZ DESTRUÍDO ,p/ sempre destruído, NÃO TEM JEITO!

    **********************************************************

    Os homenageados são pessoas como nós, sendo q/ um é o PADRE BOEING:GRANDE AUTORIDADE DO POVO DE DEUS; o outro é PROCURADOR DA REPÚBLICA ,FELÍCIO PONTES: é um Homem da Lei uma EXPOENTE AUTORIDADE DA LEI . Ambos lutam por um mundo melhor, com qualidade de vida p/ TODOS NÓS,P/ NOSSOS FILHOS NETOS BISNETOS (gerações futuras). Os dois homens homenageados acima , para q/ não conhece, eu apresento como 2 (DOIS) VIKINGS, ou seja, 2 GUERREIROS FERRENHOS DA VIDA E DA JUSTIÇA!!!!

    PARABÉNS A ELES E FAÇO VOTOS P/ Q/ CONTINUEM NA BATALHA E JUNTO COM DEUS SEMPRE!!!!

    Resposta
  • 9 de Abril de 2012 em 18:27
    Permalink

    E existe algo mais ameaçador do que a CARGIL multinacional esnobando sua afronta como cartao postal de santarém? e nenhum procurador federal toca no assunto. Lamentavel!!

    Resposta
  • 9 de Abril de 2012 em 17:45
    Permalink

    Vá ver José da Silva que seu posicionamento em relação ao que vc diz \”tudo\” está equivocado. O progresso, o que é? Talvez vc esteja equivocado sobre o conceito dessa palavra. Só sabe o que cultura quem tem. O que não é o seu caso. Vc parece estar preocupado com o seu banho de rio em Alter. Ou to errado?

    Resposta
  • 9 de Abril de 2012 em 16:02
    Permalink

    Esse procurador sempre foi contra tudo que poderia trazer progresso para região, mas dessa vez ele tem razão, se for levado em frete tais projetos, as belas prais do tapajós que ficam próximo a foz, poderão acabar, pois as águas barretas do rio amazonas poderão entrar tapajós adentro.

    Resposta
  • 9 de Abril de 2012 em 15:42
    Permalink

    Admiro muito o posicionamento do Dr. Felício Pontes. Já há alguns anos acompanho seu trabalho e concordo que o governo brasileiro realmente não se preocupa com seu povo, muito menos com os amazônidas/ribeirinhos. Lembro-me que, há alguns anos, quando este governo fazia oposição, construir hidrelétricas era um retrocesso e as entidades e movimentos sociais lutavam intensamente contra. Hoje o governo se esquece do passado e fecha os olhos para os poovos e comunidades tradicionais que serão duramente afetados e trata da questão como sendo uma das prioridades do governo em busca do desenvolvimento. É um preço muito alto a ser pago e cruelmente injusto já que conta será longas e as futuras gerações terão que continuar o pagamento. Sempre confiei que, quando o LULA fosse Presidente deste país o povo seria a prioridade e a Natureza seria preservada, pois, ela é grande reguladora da vida no mundo. Me enganei e hoje me entristeço muito, pois, sei que meus filhos e netos não terão um Meio Ambiente adequado para viver com ainda temos hoje!

    Art. 225 – Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

    Resposta
  • 9 de Abril de 2012 em 15:33
    Permalink

    Admiro muito o posicionamento do Dr. Felício Pontes. Já há alguns anos acompanho seu trabalho e concordo que o governo brasileiro realmente não se preocupa com seu povo, muito menos com os amazônidas/ribeirinhos. Lembro-me que, há alguns anos, quando este governo fazia oposição, construir hidrelétricas era um retrocesso e as entidades e movimentos sociais lutavam intensamente contra. Hoje o governo se esquece do passado e fecha os olhos para os poovos e comunidades tradicionais que serão duramente afetados e trata da questão como sendo uma das prioridades do governo em busca do desenvolvimento. É

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *