Governo brasileiro vende a Amazônia para empresas estrangeiras

Estão vendendo a Amazônia
Estão vendendo a Amazônia

Não são de hoje os boatos de que a Amazônia Brasileira foi vendida para estrangeiros. Com sua imensa riqueza, florestas, rios e biodiversidade única no mundo, a região é alvo constante desse tipo de comentários.
Ocorre que tais especulações acabam de se concretizar. Após a ilustre frase do Presidente Getúlio Vargas: “O Petróleo é nosso!”, empresas de outros países também podem soltar o grito “O Petróleo e o Gás Natural da Amazônia são nossos”.
No dia 06 de julho, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou o acordo realizado entre uma empresa Russa e a PetroRio, no valor estimado de R$ 55 milhões, dando aos russos total controle sobre Cessão de Direito sobre os contratos de concessão de blocos, no Projeto de Exploração de Petróleo e Gás Natural na Bacia do Solimões.
BRASIL COMO ALTERNATIVA: Com as sanções econômicas impostas ao governo russo pelo os Estados Unidos e União Europeia, a estatal russa vê no Brasil a chance de ampliar os seus negócios, sempre é claro, em parceria com a Petrobras. Aliás, segundo o governo brasileiro, mesmo passando por grandes dificuldades financeiras, a estatal brasileira garantirá que as produções dos blocos em que as empresas estrangeiras receberam concessão de exploração, não se tornarão totalmente delas. Será?
A empresa Rosneft Brasil E&P Ltda, subsidiaria no Brasil da empresa russa Rosneft, que atualmente é uma das maiores empresas petrolífera do mundo, e que tem como principal acionista o Governo Russo, iniciou seus trabalhos no Brasil por conta de acordos bilaterais, não possuía ações suficientes para garantir direitos totais sobre contratos de concessão, agora tem decisão absoluta sobre a exploração na bacia do Rio Solimões, com área de mais de 41 mil quilômetros quadrados. Com a estimativa de produção que pode chegar a 800 milhões de barris de petróleo e 750 mil metros cúbicos de gás natural.
ANP PUBLICA EDITAL PARA NOVAS CONCESSÕES: Com a Petrobrás vivendo o pior momento da sua história, escândalos de corrupção e desvios bilionários, resultaram em quase quebradeira. O que levou a empresa anunciar recentemente a redução de investimentos em diversos projetos que já haviam sido planejados.
Mesmo com estatal brasileira enfraquecida, a ANP realizará uma nova licitação de Petróleo e Gás Natural. A 13ª Rodada de Concessões de blocos de exploração está prevista para acontecer em outubro. No entanto, a tendência é que cada vez mais empresas internacionais recebam o direito de exploração do petróleo e gás na Amazônia.
De acordo com o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que autorizou a ANP a realizar a 13ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios de Petróleo e Gás Natural, ao todo serão 266 novos blocos ofertados, localizado em terra firme e no mar. Na bacia do Rio Amazonas, serão ofertados seis novos blocos.
Por: Edmundo Baía Júnior
Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *