Moradores de Belterra e Mojuí revoltados com precariedade de coletivos

 

Ônibus da empresa Borges
Ônibus da empresa Borges

Na semana passada, os moradores do município de Belterra e Mojuí dos Campos foram surpreendidos pela paralisação total dos serviços de transporte de passageiros realizado pela empresa Borges.  De acordo com informações, a empresa que há vários anos prestava o serviço à população dos dois municípios que integram a Região Metropolitana de Santarém, não conseguiu se regulamentar junto a Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon).

“Os ônibus da empresa Borges eram os que mais atendiam as demandas dos passageiros de Belterra. Tinham mais veículos à disposição, em horários diversos, inclusive uma linha universitária. Sabemos que as fiscalizações são necessárias, mas o que não pode é prejudicar os usuários que precisam do transporte. Se a Arcon descredenciou a empresa, porque ela, também não disponibiliza uma solução que não deixe os passageiros prejudicados, as empresas que permanecem prestando o serviço, não possuem veículos suficientes para atender a demanda. Um coisa que deveria vir para melhorar, acaba por piorar. Imagina você ter que ir uma viagem inteira em pé, em ônibus lotados, até Santarém, ou vice e versa”, reclama o passageiro Sebastião Souza.

De acordo com a Arcon, o objetivo da fiscalização é garantir um melhor serviço aos passageiros, seja no modal rodoviário ou hidroviário. As autuações são para reprimir as ilegalidades quanto a documentação e manutenção dos veículos que realizam as linhas para os municípios.

PODER PÚBLICO MUNICIPAL BUSCA SOLUÇÃO: A Prefeita e vereadores buscaram junto a Agência, informações sobre a situação. Em uma reunião foram discutidas questões relacionadas à regulamentação dos operadores que já prestavam o serviço, mas que atuavam irregularmente, e estão sendo fiscalizados pela Agência. Os representantes técnicos da Arcon esclareceram a dúvida comum entre a Prefeita e os vereadores, elucidando que apenas veículos que transportam passageiros são legalizados na Agência. Veículos de cargas e seus respectivos responsáveis são fiscalizados pelos órgãos rodoviários.

“Como está sendo realizada a regulamentação das empresas que fazem o transporte de Belterra até Santarém, a gente está buscando informações a respeito de como está o processo, como vai ficar a situação, para que estejamos acompanhando”, afirma Dilma Serrão.

Segundo a Prefeita, o Município deseja buscar soluções para os problemas que ainda existem, principalmente em relação às empresas, que continuam trabalhando clandestinamente. “A gente quer ter a Arcon como parceira para podermos dar os encaminhamentos necessários e melhorar o transporte de Belterra”, ressaltou.

Em Mojuí dos Campos, o prefeito Jailson Costa já se mobilizou para resolver a questão. Em reunião na Agência, o Prefeito busca solução imediata. No caso de Mojuí dos Campos, está regularizada na Arcon apenas uma empresa para a operação da linha que vai até Santarém. Porém, existe uma oferta de horários a suprir. Esses horários foram divididos entre uma segunda empresa em reunião realizada em 2015 entre a Arcon, a prefeitura de Mojuí e as duas empresas que operavam na linha. Após a reunião apenas uma empresa procedeu à regularização, cumprindo os horários já estabelecidos. A Agência, então, irá notificar esta empresa para o atendimento da demanda excedente.

De acordo com o prefeito de Mojuí dos Campos, “observa-se que a Arcon tem o interesse de regulamentar com segurança os transportes intermunicipais visando o bem estar da população do Município”. “Foi autorizada a outorga de uma empresa, mas está aberto para as outras empresas também receberem a ordem de serviço”, finalizou Jailson Costa. Com informações da Arcon.

Por: Edmundo Baía Junior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *