Eduardo Fonseca Ed. 1171

A PIRATARIA NA AMAZÔNIA – DE PEDRO TEIXEIRA AO ARAPIUNS E BOM JARDIM

Antes de me adentrar no assunto de hoje, quero RETIFICAR E ME RETRATAR, quanto ao assunto abordado na Semana passada, com o título de Praça do Centenário. EQUIVOCADAMENTE INCLUI O VEREADOR NEY SANTANA (PSDB) COMO TENDO SE PRONUNCIADO CONTRA. Mas por erro de digitação e até minha falta de atenção, coloquei-o contra, quando não foi, na realidade, foi EM DEFESA DA PRAÇA DO CENTENÁRIO. Como esta edição é a primeira, após aquela.. Retifico e assim como manda a boa educação, ética, a humildade do ser humano: “QUERO ME DESCULPAR PELO EQUÍVOCO”, o que pela primeira vez me ocorre nos mais de vinte e cinco anos que escrevo, semanalmente, nos jornais da nossa cidade e da capital. Que não é vergonha a nenhum ser humano pedir desculpa! Tanto é que transcrevo parte do texto original: “que tal aceitar a minha sugestão e trabalhar para revitalizar a Praça do Centenário? Pode servir de modelo para as outras da nossa Cidade. Tenho certeza de que ganharia mais dividendos políticos.”.


O recente acontecimento ocorrido no estreito de Breves, região do Marajó, onde outrora chamavam de “região das ilhas”. O que se caracterizava era que por ali as crianças em “casquinhos” feitos de troncos de árvores, iam até as embarcações, receberem ajuda, em roupas, bolachas, comidas e as mais diversas doações feitas pelos marinheiros e passageiros das mais diversas embarcações, principalmente, daquela famosa “Frota Branca” da SNAPP: Lauro Sodré, Leopoldo Peres, Augusto Montenegro e Lobo D’Almada, os maiores, tinha as menores: Pimenta Buena, 3 de Outubro, Almirante Alexandrino, era uma atração a parte da viagem de Santarém a Belém. era uma diversão jogar os pacotes e ver a disputa, no remo e casco, para quem pegasse primeiro. Quando alguém pegava ouvia-se a gritaria da torcida formada pelos passageiros.
Passados os anos, trocaram as barquinhas, por barcos mais possantes. Não mais para pedirem ajuda dos passageiros, mas agora, para assaltarem os barcos, fazendo um verdadeiro arrastão em tripulantes e passageiros, principalmente, nos navios que conduzem botijões de gás, já que os ribeirinhos não “cozinham mais na lenha”.
A pirataria moderna na Amazônia é fato novo, ocorre, quase que diariamente,, em toda a sua extensão, no estreito de Breves, na Região do Lago /Grande aqui na região do Oeste do Pará e assim vai.Embora tentem manter em sigilo, mas como dizia o finado SETE, “já está na boca do povo”. É do conhecimento público, que os proprietários de embarcação mantém um verdadeiro exército de homens como segurança, alguns armados para evitar esses assaltos. E em tudo permanecem calados, ninguém “tocava”no assunto, Até que aconteceu semana passada, com a balsa Andorinha, onde havia um casal de norte americanos, como passageiros. Aí deu no que deu! Deu na mídia internacional, agentes do FBI vieram dos Estados Unidos para acompanhar o depoimento do casal norte americano em Belém. Aí, até já chegaram a prender uns piratas. Vejam só a diferença! De quando acontece com os daqui, estes ficam com “a mão na frente e outra atrás”. Mas os de lá da terra do Tio SAM, tiveram tratamento vip, acima do de cinco estrelas, avião especial para irem para Brasília, etc…etc…etc… e tal..e ainda vão ser indenizados!
Outra forma de pirataria existente na região, está mais para extorsão, como ficou provada pelo que aconteceu com a família do Delegado e Vereador Jardel Guimarães, que narrou em seu pronunciamento na Tribuna da Câmara Municipal de Santarém na sessão de segunda feira, 06.11.2017.
O Delegado e vereador Jardel Guimarães,quando se dirigiu para passar uma noite na praia, no último final de semana, esperando apreciar a bela lua que estava fazendo, nas areias alvas, a beira do Rio Arapiuns, como se fazia outrora, em Santarém, sem perigo.
Mas para a sua surpresa, por sinal desagradável, que lhe aguardava. Foi quando começavam a se arrumar na praia, para curtir a Lua, foram surpreendidos com a chegada de um grupo de pessoas, se dizendo índios, mais hostis que os que Pedro Álvares Cabral encontrou no litoral brasileiro, quando aqui chegou, que aceitaram espelhos e colares, ou dos que Pedro Teixeira encontrou quando da conquista do Rio das Amazonas. Estes daqui do Arapiuns armados, (não com arco e flecha), mas armas de “branco”, com arrogância, prepotência, intimidando o grupo de amigos e parentes do delegado/vereador, não querendo “apito”, e exigindo a cobrança, a diária, pedágio, pousada, ou mesmo, taxa, ou qualquer outra denominação, para apreciar o luar, no valor de R$-200,00 (Duzentos reais) por noite, para fazer reforço no caixa dos “nativos da região”.
Agora imaginem o que serão capazes de fazer com as equipes levando turistas estrangeiros (quantos dólares, quererão?), ou aquelas turmas que costumam ir para pescar?!Bela receptividade, autoridades, para as pessoas que ficam falando nos quatro cantos, que “Santarém tem a tendência natural para o Turismo”, Dessa maneira?.
Mesmo me solidarizando com o constrangimento pelo qual passou o vereador, seus familiares e convidados, no final de semana que antecedia o seu natalício. Ele que é um frequentador e admirador da região do Arapiuns, quero lhe dizer que a oportunidade para se “passar a limpo” toda essa situação é agora.! Vamos colocar todos nos seus devidos lugares e ver “quem é quem”. Qual a secretaria municipal que deve regular isso? E a população tem que tomar conhecimento, para não passar por situação pior pela que passou o vereador Jardel.
Um outro fato inusitado aconteceu no dia de finados na Comunidade Quilombola de Bom Jardim, onde um grupo se postou no Portão do cemitério da comunidade e só deixavam adentrarem ali quem pagasse R$-20,00 (vinte reais ) por pessoa, alegando que era para a limpeza e manutenção do campo santo. O que foi argumentado por um dos filhos ilustres da comunidade, morador nesta Cidade e que tem todos os seus antepassados, sepultados ali. Foi para lá e ficou espantado com a cobrança. Restou-lhe pagar para iluminar os seus falecidos.
Pergunta-se, Com que autoridade eles estão cobrando “entrada no Cemitério”?. E agora? Qual é a secretaria responsável? Ou a comunidade vai poder criar uma arrecadação paralela, fora da oficial pelo tesouro do município?Ou a formação de um caixa 2,3,4 ….para a “comunidade”? E se a moda pega heim?! Pois, pelo que se sabe, e o que é comum, é que quando querem uma melhoria para a comunidade, procuram o vereador que foi o mais votado na comunidade para conseguir ou vem direto na secretaria municipal adequada para viabilizar o atendimento de lá..  //// UMAS E OUTRAS:/ “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, foi o tema da redação do ENEN 2017. Muitas pessoas que defendem a inclusão social do cidadão não entenderam o tema e criticaram-no. Quanto a isso, a cidade de Santarém sai na frente, por um projeto de Lei do Vereador DAYAN SERIQUE, que poderá servir de exemplo e modelo para outras cidades do Brasil, porque neste projeto, torna obrigatório, nas escolas municipais, o ensino da língua brasileira de sinais, LIBRAS, veja bem, é LIBRAS não é LIBRA, o signo do zodíaco, como muita gente dissertou erradamente, na redação do ENEN. ///////// A OAB-PA, SUBSEÇÃO DE SANTARÉM, na última terça feira criou a Comissão de Arte e Cultura, tendo como seus membros: Presidente, o compositor, cantor promotor de eventos o advogado EDUARDO DIAS, Vice –Presidente: O cantor e compositor: ODILSON MATOS, Secretário: EDUARDO FONSECA, membros: os radialistas e escritores: EDINALDO MOTA E OTI SANTOS. ////// CARA de Pau do Presidente Temer, diz que: a reforma da previdência é para cortar privilégios! Mas não corta o deles, hein? nem se fala. Senão vai aumentar os impostos. ///////// Ainda não conheci uma explicação convincente do porquê de não se poder levar “piracuí” nos aviões e aí passo bola para as autoridades da vigilância sanitária e da segurança. ////// No dia 05.11. fez dois anos do maior desastre ambiental do Brasil, o da cidade de Mariana, em Minas Gerais. E até gora nem uma punição para o responsável. As autoridades estão preocupadas só de salvar “os seus” em Brasília. ////// Nesta sexta-feira no FLUMINENSE, o melhor da saudade com a melhor dupla romântica de Santarém: MILTON e MILENA e no sábado especial promoção da Pastoral Familiar, com MILTON E MILENA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *