Coruja: “Rilmar Firmino faz história na delegacia geral”

Willares Sousa engrandece trabalho das forças de segurança

 “O Delegado Geral (DG) da Polícia Civil do Pará, Dr. Rilmar Firmino, realmente trouxe melhorias para a Polícia Civil de Santarém e do estado. Com muito esforço e dedicação, conseguiu aparelhar a Polícia com viaturas, concurso público e combustível, que em outras épocas era difícil”, assim declarou Willares Sousa, o popular Coruja, ícone da reportagem policial.

Para ele, o excelente desempenho de Rilmar Firmino, nestes quase 8 anos à frente da DG, o credencia a ter seu nome marcado na história da Polícia Civil do estado.

“Sabemos que precisamos avançar muito, pois a criminalidade cresce a cada dia, de forma ágil, frente à burocracia e lentidão do poder público. Hoje o que ainda falta aqui na Delegacia da Polícia Civil de Santarém e em outras delegacias, ainda é material humano, as pessoas, policiais, escrivão, delegado e investigadores para combaterem o crime, mas segundo Firmino, o último concurso realizado em 2017, vai diminuir um pouco esta demanda na região”, diz Coruja.

Ainda de acordo com ele, ao comandar de forma eficiente a DG, Firmino conta com apoio de seus comandados, como por exemplo, na Região, com atuação do Superintendente Gilberto Aguiar e do diretor da 16ª Seccional, Nelson Silva.

“O delegado de Polícia Civil, Gilberto Aguiar recebe a determinação do Delegado Geral, Rilmar Firmino. Gilberto é um delegado antigo na Polícia, um homem trabalhador, experiente, sabe como trabalhar. Então quando vem uma determinação da capital do estado ou do Fórum de Santarém ou de outras comarcas, ele imediatamente reúne seus policias para cumprir as determinações da Justiça e de seus superiores; com relação ao seu trabalho policial, foi um trabalho coroado de êxito em Santarém porque o Gilberto é uma pessoa muito séria, não desmerecendo os outros policiais. Nós que trabalhamos há 37 anos na área policial, assim como outros repórteres; cito exemplo o trabalho sério realizado por meu colega Edmundo Baía Júnior, digno representante do O Impacto e demais companheiros da imprensa que trabalham na área policial, sabem como os órgãos de segurança trabalham com seriedade, competência, lealdade e com honestidade. Então fica meu agradecimento a todos: Policiais Civis, Militares, Rodoviária Federal, Polícia Federal, Samu e Corpo de Bombeiros. Nós só temos a agradecer pelo trabalho que desempenharam no ano de 2017, não foi fácil, verdade seja dita, com tantos crimes que aconteceram”, expõe Willares.

OCORRÊNCIAS EM 2017: Conforme o repórter policial, o ano passado, foi um ano bastante surpreende e triste. Filhos que mataram pai e mãe, estupros de vulneráveis, mortes no trânsito, porém, foi o ano que mais se combateu a corrupção no poder público municipal.

“O ano de 2017 foi um ano turbulento no setor de segurança pública para a população do município de Santarém, porque vários e vários crimes de homicídio aconteceram, mas graças a Deus foram desvendados pelo delegado da Polícia Civil, titular da delegacia de homicídios, delegado Germano juntamente com sua equipe. Eles fizeram de fato um  trabalho à altura do município de Santarém. Crimes de roubos sob o olhar especializado do delegado Castro, ele botou muito “nego” na cadeia pelo crime de roubo e corrupção. Houve a Operação Perfuga que levou advogado, servidor e político para a cadeia. Relembremos também a operação que desbaratou a venda de diplomas e cargos públicos na Semed. Realmente Santarém foi balançada diante de tantos crimes no âmbito da gestão pública e má utilização do recurso público. Outra situação que aconteceu foram as operações policiais com resultado morte, onde vários assaltantes, não respeitando nem mesmo os policiais, se confrontaram com a Polícia Militar do Estado e o Grupo Tático Operacional, junto à Rádio Patrulha, Rocam. O policial quando sai de casa, sai para o trabalho sem a certeza se ele volta para sua casa. Deixa  filhos, mulher, mãe e irmãos para ir trabalhar e se confrontar com vagabundo é difícil. Eles devem ser valorizados pois defendem com a própria vida, nós, a população. São bem treinados para que tenham proteção diante da ameaça, fato que diante das possibilidade de confronto, graças a Deus nenhum perdeu a vida. Os bandidos estão cada dia mais audaciosos, atiram no policial, que na defesa de sua vida, não tem outra alternativa a não ser revidar. Então, o ano de 2017 foi muito agitado, tráfico de drogas, prostituição infantil, estupro de vulnerável, mas a Polícia realmente deu resposta para a sociedade. Nós da imprensa, eu o Baia e todos os colegas da imprensa, a população, o cidadão de bem que apesar das dificuldades não envereda para o submundo do crime, só temos a agradecer as Polícias Civil, Militar, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Samu e Corpo de Bombeiros que trabalharam acirradamente no combate aos crimes em Santarém”, concluiu.

Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário em “Coruja: “Rilmar Firmino faz história na delegacia geral”

  • 12 de Janeiro de 2018 em 18:10
    Permalink

    QUERO VER ESSE GRANDE DELEGADO COMO SECRETARIO DE SEGURANÇA PUBLICA DO PARA.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *