Prefeitura de Juruti implanta Serviço de Inspeção Municipal (SIM)

A Prefeitura de Juruti implantou, em dezembro de 2017, o SIM- Serviço de Inspeção Municipal, cuja finalidade é controlar a qualidade dos produtos de origem animal, monitorando e inspecionando a sanidade do rebanho, o local e a higiene da industrialização, emitindo certificando com selo de garantia a todos estes produtos.

Essa foi uma das providências tomadas pela Administração Municipal a fim de contribuir para o funcionamento do abatedouro localizado no Km 18 da PA 257 (Translago), de propriedade particular, interditado no mês de outubro de 2017. Com a interdição do local, os produtores não têm onde fazer o abate dos animais, provocando a escassez da carne no mercado local. Com isso, parte do produto vem de outros municípios da região, com preço elevados. “Hoje, a Prefeitura não é a responsável direta do abatedouro. A responsável legal é uma empresa privada (Frigorífico JR). Nossa responsabilidade é fazer a fiscalização, tanto é que nesse tempo conseguimos implantar o SIM- Serviço de Inspeção Municipal”, informou o secretário municipal de Produção, Eraldo Albuquerque.

Eraldo Albuquerque informou ainda que “tudo que poderia ser feito nesse momento dentro da legalidade está sendo feito. Nós estamos aguardando a documentação necessária para emitir a licença para funcionamento do abatedouro, licença ambiental de responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente, documentação do responsável técnico do abatedouro que a empresa está providenciado. Queremos dizer que somos totalmente a favor das manifestações, é necessário que se faça, no sentido que possamos resolver essa situação”.

O Coordenador da Vigilância Sanitária, Luiz Augusto Sousa, disse que o setor de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) está realizando todos os procedimentos necessário para que o abatedouro possa ser reaberto e continue funcionando. “Nós estamos fazendo todos os procedimentos para o licenciamento do local; algumas documentações já estão adiantadas e o processo está em trânsito. Estamos aguardando alguns pareceres técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA) com informações necessárias para garantir o licenciamento junto ao SIM – Serviço de Inspeção Municipal”.

O alvará de localização provisório do abatedouro já foi expedido. “A empresa responsável pelo local está dando entrada no Conselho de Medicina Veterinária para garantir a documentação complementar que será encaminhada ao SIM, que emitirá a licença de funcionamento. Depois a ADEPARÁ (Agência de Desenvolvimento Agropecuário do Pará) será informada para a emissão das GTA – Guia de Trânsito Animal”, acrescentou o veterinário.

A Divisão de Vigilância Sanitária está acompanhando as obras de melhorias na estrutura do abatedouro. “Fizemos um parecer técnico dos serviços já realizados. Estamos na luta para que o abatedouro possa reabrir suas portas aos produtores locais e a população pare de padecer com preços altos da carne”, finalizou Luiz Augusto.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/PMJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *