Encontro em Santarém discute formas de melhorar o Ideb do Pará‏

Ana Clara Hage

A melhoria na qualidade do ensino da rede pública do Pará, com consequente aumento do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), é objetivo do encontro de educadores municipais e estaduais que está acontecendo desde ontem e termina hoje, quinta-feira, no auditório do Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes), em Santarém, oeste do Estado.

Cerca de 300 professores, diretores de escolas e técnicos dos municípios de Óbidos, Alenquer, Oriximiná, Prainha, Aveiro, Faro, Monte Alegre, Juruti e Santarém participam de palestras, debates, mesas redondas e oficinas durante todo o dia. Na abertura, os participantes foram acolhidos pela banda sinfônica da escola estadual Almirante Soares Dutra, que emocionou o público ao som da música “Carinhoso”, sob regência do maestro Júlio Heleno.

A diretora de Educação Infantil e Ensino Fundamental da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Ana Cláudia Hage, fez a abertura oficial do encontro, que teve a participação de representantes de várias secretarias municipais e gestores de Unidades Regionais de Ensino (Ures). Em conversa com os professores, Hage disse que, para mudar a realidade da educação e do Ideb, “é necessário reunir a responsabilidade da escola, dos professores, da família e principalmente dos alunos”.

Ana Hage lembrou, ainda, que atualmente poucos professores trabalham na educação infantil sem graduação, e que isto significa melhoria e qualificação no ensino prestado na rede pública. “Temos professores qualificados e de qualidade nas escolas públicas. Grande parte deste processo foi revertido com o plano de formação Parfor, executado numa parceria entre governo federal, Estado, municípios e instituições públicas de ensino superior.

Planejamento – A formadora do projeto Brasil Hoje, Elaine Teixeira, do Centro de Estudos, Pesquisa em Educação, Cultura e Assistência Comunitária (Cenpec) de São Paulo, ministrou a primeira temática “Ideb, contribuições pedagógicas para a qualidade do ensino e da aprendizagem da escola pública paraense”. Ela conversou com os professores sobre o atual Ideb paraense,  que coloca o Estado em último lugar no ranking das escolas, mas se disse otimista, pois com planejamento, orientação, estratégias e comprometimento é possível sair desta colocação.

“É necessário trazer reflexões aos docentes, orientando e criando maneiras de melhorar a aprendizagem dos alunos. Por isto, parabenizo a Seduc informando que eles estão no caminho certo. Os primeiros passos estão sendo dados”, disse. “Temos que pensar no ensino de maneira globalizada e melhorá-la, e não achar que o Ideb é algo monstruoso e que devemos temê-lo”, frizou.

Segundo Ana Hage, o encontro é parte de um projeto-piloto que prevê um conjunto de ações voltadas para a melhoria da prática educativa. O resultado depende do empenho e do direcionamento dado por cada professor em sala de aula, por isto a importância da capacitação e formação de cada um.

Atualmente, o Pará ocupa a 27ª colocação no Ideb, com nota 3,7, atingida em 2009, bem abaixo da média brasileira, que é de 4,6. A meta prevista pelo Ministério da Educação (MEC) para o Estado é de 3,6. O Ideb é um indicador que combina dados do fluxo escolar, especificamente as taxas de aprovação – que são obtidas a partir do Censo da Educação Básica –, com os dados de desempenho escolar, extraídos da Prova Brasil, aplicada pelo MEC a estudantes da 4ª série ao 5º ano e da 8º série ao 9º ano.

Este ano, a prova está marcada para o mês de novembro, período em que se estende a formação dos docentes em várias localidades. Ao final do encontro em Santarém, os professores levarão modelos da Prova Brasil e cartões respostas para que os alunos treinem e avaliem seus conhecimentos. O conteúdo é referente ao ministrado em sala de aula nas disciplinas de português e matemática.

Por: Sérgio Chene – Seduc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *