Homofobia – 30 homossexuais foram assassinados no Amazonas

Homossexuais dizimados no Amazonas

O cantor Omar Albuquerque, de 64 anos, foi encontrado morto na última quinta-feira (01) no município de Parintins (distante a 325 quilômetros de Manaus). Com esta morte, somam-se 30 casos de homicídios envolvendo homossexuais no Amazonas, entre 2005 a 2011. As informações são do coordenador Geral do Fórum Amazonas GLBT, Francisco Nery.

Omar foi encontrado morto na quinta-feira e com várias marcas de facadas pelo corpo. O assassinato compõe a lista dos 30 homossexuais. Só oito casos de assassinatos aconteceram em Parintins.

Segundo Francisco Nery, a cada 36h um homossexual é assassinado no Brasil. Nery disse que o dado consagra o País, entre aqueles que condenam a homofobia como crime, como o local onde mais matam homossexuais. De acordo com Nery, as informações foram coletadas por uma associação de homossexuais da Bahia que juntamente com os demais estados preparam um documento a ser entregue a Organização das Nações Unidas (ONU) exigindo Políticas Publicas para os homossexuais.

Atualmente os homossexuais, segundo ele, que já contam com o Plano Nacional da Cidadania dos Direitos Humanos de LGBT, tentam implantar o Plano Municipal de Enfrentamento à Homofobia, criado em uma Conferência Municipal realizado nos dias 18 e 19 de agosto deste ano, em Manaus.

“Nós já aprovamos as propostas e estamos formatando o plano para apresentar às secretarias. Sabemos que não será uma tarefa fácil aprová-lo porque precisa passar pela Câmara Municipal de Manaus e eles não se mostram muito a favor das nossas causas”, afirmou Nery.

Parintins – O crime ocorrido na quinta-feira (01) mobilizou a sociedade civil organizada de Parintins. O vereador Flávio Farias (PT) prometeu propor uma audiência pública, ainda sem data marcada, para discutir a criminalidade no Município, principalmente relacionado aos homossexuais.

O presidente da Associação de Gays Lésbicas e Travestis de Parintins (AGLTPIN), Fernando Moraes, disse que está preparando uma mobilização envolvendo diversos representantes da sociedade civil organizada. “Nós iremos nos reunir neste sábado (03) onde decidiremos o vamos fazer para chamar a atenção das autoridades. Estamos vendo muitos crimes violentos queremos providências!”, afirmou. 

Fonte: RG 15/O Impacto e Taioso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *