Plebiscito levará tropas federais a 16 municípios

Exército fara segurança no Plebiscito

Dezesseis municípios do Pará vão contar com tropas federais para garantir a segurança no dia do plebiscito, quando os paraenses vão dizer se concordam com a divisão do Estado para a criação de duas novas unidades da federação: Carajás e Tapajós.

O pedido de reforço feito pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foi aceito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que autorizou o envio de tropas federais para Altamira, Brasil Novo, Monte Alegre, Santarém, Alenquer, Óbidos, Juruti, Marabá, Oriximiná, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Redenção, Tucumã, Ourilândia do Norte, Pacajá e Anapu. Nos outros municípios, a segurança no dia da votação ficará sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Segurança Pública.

A segurança não é a única preocupação do Tribunal Regional Eleitoral do Pará que está tendo trabalho dobrado. Além das eleições municipais e gerais que ocorrem com intervalo de apenas dois anos, ainda terá que preparar o plebiscito marcado para 11 de dezembro – e que vai exigir uma estrutura similar à das outras eleições. Estão aptos a votar 4,8 milhões de eleitores e, para garantir que todos possam exercer o direito de opinar nas urnas, serão necessários investimentos que podem chegar a R$ 25 milhões, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral. Só da parte sob responsabilidade do TRE, a expectativa de gastos é de R$ 13,7 milhões, mas nesse valor não estão incluídos os custos com deslocamento das forças federais (Exército, Marinha e Aeronáutica), a contratação dos pontos de transmissão e de técnicos de urna e de transmissão via satélite, que ficam a cargo do Tribunal Superior Eleitoral.

Fonte: RG 15/O Impacto e DOL

Um comentário em “Plebiscito levará tropas federais a 16 municípios

  • 19 de setembro de 2011 em 17:38
    Permalink

    O JUDAS DE NOSSOS SONHOS
    O PREFEITO DE ITAITUBA NÃO APOIA A EMANCIPAÇÃO DO ESTADO DO TAPAJÓS,

    O prefeito Walmir Clímaco está em déficit com o Tapajós, esta é a avaliação que obteve conversando com vários prefeitos da região durante a inauguração do comitê em ruropolis.

    Embora tenha sido convidado para as inaugurações e divulgação em municípios vizinhos o prefeito não teria comparecido a maioria dos compromissos. Os colegas prefeitos alegam que Walmir não estaria envolvido da mesma forma que eles no movimento, prova disso é que a inauguração do comitê de Itaituba já foi adiada por duas vezes.

    Os lideres do movimento em Santarém também estão rescendidos dizem que os 30 mil reais doados pelo prefeito ao movimento ainda não chegou aos cofres da coordenação. Aqui em Itaituba o coordenador do movimento Patrick Souza, também se reclama da mesma situação, diz que tanto a prefeitura como a câmara cruzaram os braços e não estão dando apoio logístico e muito menos financeiro.

    O coordenador geral do movimento professor Edvaldo Bernardes, já teria dito ate que iria confeccionar uma nota de repudio aos políticos de Itaituba que não estão colaborando com o movimento. A inauguração do comitê itaitubense estaria marcada para a próxima semana, mas ouvi alguns prefeitos dizer que não virão a Itaituba como forma de protesto pela ausência de Walmir em outros encontros.

    O fato é que Itaituba uma das maiores cidades do novo estado não pode ficar atrás de municípios pequenos como Rurópolis que fez uma grande festa. Alguns dizem que o prefeito de Itaituba não estaria fazendo campanha por que não quer perder o apoio do governador Jatene. Mais algumas situações são compreensíveis já que vivemos numa democracia e nem todo mundo é obrigado a ser a favor do Tapajós.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *