OS URUBUS FUGIRAM DO FEDOR E DA IMUNDÍCIE

Como? Não é possível? É brincadeira ou gozação? Não! , não! É pura verdade! Isso foi o que aconteceu no último final de semana, o fedor da fossa do Mercadão 2000 estava insuportável.

Os cidadãos, consumidores que procuram aquele próprio municipal, para fazer suas compras semanais observaram que o fedor e o excesso de lixo, a imundície, espantou até os urubus. E, por conseguinte, a população que estava entrando, saia quase que correndo dali.

Agora, Imagine o sacrifício das pessoas que, para sobreviver vendem peixe assado, ou outros tipos de iguarias, como “churrasquinho de gato”, etc… e os demais trabalhadores dos arrabaldes que tem que se alimentar ali mesmo naquelas barracas com alvará de mal gosto e mais , ainda, os que têm que almoçar ali, mesmo que seja no tão falado restaurante popular, aspirando aquele odor fétido. Além do mais, os vazamentos do restaurante impede do seu amigo Joãozinho expor suas mercadorias no interior do seu boxe.

Para quem não sabe, o Mercadão do ano 2000 foi inaugurado no dia 31/03/2005, ou seja, o prefeito Ronan Liberal já antevia que o progresso e a expansão da Cidade, necessitaria de um mercado que atendesse a população, até o ano 2000, portanto, era para quinze anos apenas. Hoje, já no final de 2011, portanto, vinte e seis anos depois, o que foi feito ali para suportar o crescimento da população consumidora? Quase nada.

Quando o deputado federal Lira Maia foi Secretário de Agricultura do Estado conseguiu aquela estrutura metálica para agasalhar os produtores rurais que vendiam, nas calçadas do cemitério, na av. São Sebastião. Após isso, apenas uma tal chamada revitalização, só o restaurante popular, que todos sabemos que não funciona a contento e concorre com os vendedores que trabalham ali desde a época da inauguração e alguns foram para ali saídos da Praça Rodrigues dos Santos, que o prefeito Ronan teve uma grande dificuldade para retirá-los dali e levá-los para onde era o ex-campo do Veterano Esporte Clube.

Mas se a área já comporta mais produtores, marreteiros e atravessadores que estão ali vendem, negociando (e corre muito dinheiro, sem pagarem imposto) farinha, feijão, milho, arroz, carro, canoa, barco,  trator, sítio, chácara, lanchas, lanches e “nóia” – só cerveja que não pode – instalou-se, também, boutique, farmácia, loja de ferragens, e, assim, ficou acanhada a parte da agricultura, estrangulando o que estava previsto no seu projeto original. Não tem mais espaço, para os verdadeiros produtores rurais.

Mas ao lado disso, tem uma administração negligente, deixa aumentar bancas nos corredores, ou com a lona no chão, quem quiser e ou, talvez, como corre solto por lá, é só “molhar o pé da planta” que pode colocar uma banca nos corredores ou no chão do Mercadão ano 2000, aumentar o boxe, etc.. 

Mas, o dito administrador não tem o mesmo “jogo de cintura”, para retirada do lixo, limpeza da fossa e dos esgotos, e dos banheiros, nem sempre com bom cheiro e fica um “banqueiro” arrecadando as moedas, diariamente. Mais uma arrecadação.

Pelo menos, antes dos dias de maiores frequências da população, naquele local, ou seja, antes do sábado, principalmente, pois os compradores, que levam o dinheiro para o produtor rural, não suportam o fedor e a imundície, vão embora, rápido! E quem perde é produtor rural, pela ausência do consumidor.

 Será que o administrador tem liberdade, tem apoio, tem poder de decisão, ou espera pelas secretarias? Ou será que ele faz vista grossa para atender aos pedidos pelos secretários e vereadores? Muitos deles donos de boxes que alugam e mandam fazer puxadinhos e alterações nos locais, “deixe comigo que eu seguro a barra”!.

Mas a verdade é que, quem esteve no Mercadão ano 2000, no sábado passado, dia 09/09, observou que até os urubus fugiram dali. Qual a razão, mais plausível? Eles não suportaram o fedor e a imundície da área do Mercadão 2000, pela Trav. Frei Ambrósio, principalmente. E foram para outro lixão menos fedorento

Quem é o responsável por esse descaso e desrespeito à população santarena? Secretaria de Saúde, Vigilância Sanitária, Meio Ambiente, Infra estrutura, a empresa terceirizada para recolher o lixo? Ou não existe em Santarém um responsável para isso?

Então, só resta a nossa esforçada Prefeita descer e ir até o Mercadão no horário comercial. Sentir um pouquinho só do mau cheiro, ver a imundície e ouvir os comerciantes e consumidores.

O que alguns dizem disso, aqueles que acham que o Mercadão e seu entorno é um postal turístico, desta ex-Pérola. Não sei! Não sei! Pois, eu quando viajo por aí afora não vou ver coisa suja, imundície e sentir o fedor vou ver coisa diferente, bonita, organizada e limpa. Os turistas estrangeiros tiram foto dos nossos mercados, para mostrar como se comportam quanto a higiene os países subdesenvolvidos.

=========================

HOJE TEM NO FLUMINENSE, BANDA STILLUS COM CAETANO, DELSON E SEUS CONVIDADOS. NÃO PERCAM!

=========================

E NÃO ESQUEÇA, ELEITOR SANTARENO, DIA 11/12, VOTE ASSIM: TECLE 77 E DIGA SIM AO TAPAJÓS.

Por: Eduardo Fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *