Feriado prolongado atrai turistas a praias e balneários de Santarém

Turismo em Alter do Chão
Turismo em Alter do Chão

O fim de semana prolongado atraiu milhares de turistas e visitantes às praias e balneários de Santarém. Em Alter do Chão, considerado o balneário mais badalado do Pará e conhecido como o “Caribe Brasileiro”, milhares de pessoas de cidades próximas à Santarém e de outras regiões do Brasil, lotaram a Praia do Cajueiro e a Ilha do Amor, durante o feriado da Semana da Pátria.
A beleza paradisíaca em seus encantos durante o período de vazante do rio Tapajós revela Alter do Chão, a bela e sedutora com suas peculiaridades e, que mesmo apresentando alguns pontos interditados pela Justiça, continua atraindo turistas à Santarém.
Fundada em 6 de março de 1626, pelo português Pedro Teixeira, Alter do Chão, elevada a categoria de vila em 1758, fica localiza aproximadamente 37 quilômetros do centro de Santarém, no Oeste do Pará. O acesso até o lugar é pela Rodovia Everaldo Martins, PA-457. Os visitantes também podem chegar à vila de barco pelo rio Tapajós, num passeio que dura cerca de 3 horas.
Donos de pousadas, hotéis e restaurantes tanto de Alter do Chão quanto de Santarém comemoraram o movimento de turistas.
Hoje, segundo a Prefeitura de Santarém, Alter do Chão conta com mais de 15 restaurantes, onde os pratos mais procurados pelos visitantes são feitos à base de peixe. “O nosso ponto forte e o que mais gostam e procuram são as comidas com peixe. No cardápio temos as espécies tucunaré e tambaqui de várias formas: assado, caldeirada, ao molho de escabeche, além da e moqueca de surubim”, conta o dono de restaurante, Benedito Castelo.
Os preços dos pratos nos restaurantes variam de R$ 40 a R$ 60 com porção para duas pessoas. Além dos pratos comerciais, com porção individual e preço a partir de R$ 10. O visitante que não gosta de peixe também tem outras opções como carne e frango.
Além de Alter do Chão, outros locais de lazer atraíram uma multidão no fim de semana, entre eles, as praias de Carapanari, Pajuçara, Ponta de Pedras, Ponta do Tapari e os igarapés do São Brás, Juá, Ponte Alta e Cucurunã.
Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *