Tentativa de fraude no Concurso do Corpo de Bombeiros

Quarenta e nove pessoas foram presas pela Polícia Civil por tentativa de fraude na prova do concurso do Corpo de Bombeiros do Pará na tarde de domingo (24). A quadrilha alugou um colégio próximo a uma escola estadual no bairro do Tenoné, onde a seleção do concurso era realizada. Do colégio, os suspeitos passavam o gabarito da prova para os candidatos por telefone celular.

O grupo está preso na sede da Divisão de Investigação e Operações Especiais (DIOE), no bairro da Campina, em Belém. Entre os presos está o homem que organizou o esquema de fraude, ele prestou depoimento agora à tarde. O suspeito é funcionário público e ainda não teve o nome divulgado. A Polícia Civil investiga quem são os candidatos que participaram da fraude com cola eletrônica.

A secretária de Administração do Estado, Alice Viana, e o delegado-geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino, estiveram no local para acompanhar os depoimentos.

Seleção polêmica

O concurso dos bombeiros havia sido suspenso pela justiça, que acatou um pedido do Ministério Público do Estado do Pará alegando que a aplicação das provas não contemplava a cidade de Itaituba, na região do Tapajós. A Procuradoria Geral do Estado (PGE) recorreu e garantiu a realização das provas hoje.

São oferecidas 300 vagas para o curso de formação de praças e 30 para oficiais. As provas para praças foram aplicadas no turno da manhã em Belém, Marabá, Santarém e Altamira. Agora à tarde, os candidatos ao cargo de oficial iniciaram a prova às 13h30.

O candidato aprovado no concurso entra no curso de formação de praças e oficiais, que inicia em outubro e dura um ano. O curso de formação de oficiais exige o ensino médio completo. A remuneração será de R$ 1.385,46, contando com o auxílio alimentação. Após o curso o aspirante a oficial passa para o cargo de 2º Tenente com salário de R$ 5.849,34.

O curso de formação de praças exige o primeiro ano do ensino médio completo. A remuneração é de R$ 1.167,75. Após a graduação como soldado o candidato passa a receber R$ 2.901,35.

GOVERNO DO ESTADO SE MANIFESTA: Em nota, a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Administração do Pará (ASCOM/Sead) esclareceu os fatos. Confira na íntegra:
“O Concurso 001/2015 do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Pará seguirá o cronograma estabelecido pelo edital. A
informação foi confirmada em coletiva na tarde desta segunda-feira, 25, na sede da Secretaria de Estado de Administração (SEAD) pelo delegado geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino, o coordenador da empresa organizadora do Concurso Público do Corpo de Bombeiros, Pedro Fraga, o Comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Zanelli e pela Secretária de Estado de Administração, Alice Viana.
De acordo com a Secretária de Administração, Alice Viana, a tentativa de fraude que foi desarticulada por policiais civis e militares em Belém ontem, 24, não macula o certame. “Todo o certame ocorreu de forma tranquila até o fato. Considerando que o gabarito encontrado com os suspeitos, daria aos candidatos apenas sete acertos em relação a um tipo de prova, que foi a prova verde, e que não haveria acerto de 50%, mínimo para os candidatos serem aprovados na prova objetiva, em nenhum dos quatro modelos de prova utilizados, por segurança, pela Consulplan, não há demonstração de que o certame seja maculado, o concurso está mantido. O cronograma segue normalmente com a divulgação do resultado das provas objetivas no dia 22 e seguiremos com as fases que são 4”, explicou.
De acordo com o Delegado Geral da polícia civil, Rilmar Firmino, 49 pessoas – 47 adultas e dois adolescentes foram detidas. “Todos foram conduzidas para a sede da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), para responder por tentativa de fraude em certame de interesse público, com base no artigo 311A, do Código Penal, que prevê pena de 1 a 4 anos de reclusão. Infelizmente as pessoas que compraram o resultado foram enganadas já que o individuo não conseguiria repassar um gabarito que interferisse no resultado do concurso. Ele também será enquadrado por falsidade ideológica já que a inscrição dele foi indeferida pela comissão do concurso por ele ter mais de 27 anos, e ele fez a prova com uma identidade falsificada”, explicou.
Segundo ele as suspeitas são de que eles podem estar envolvidos em um esquema para tentar fraudar o concurso. Um dos presos, com apoio de outros comparsas, iria enviar toques de celular correspondentes às supostas alternativas corretas da prova.
O delegado explicou que o grupo foi detido inicialmente pelo serviço de inteligência da Polícia Militar, que estava com policiais no lado de fora de uma escola no bairro do Tenoné, distrito de Icoaraci, em Belém. Eles detiveram um dos suspeitos em um colégio perto da escola onde ocorria o concurso. Com ele, um caderno com anotações das supostas respostas foi encontrado. A partir disso, as demais pessoas, que estavam tentando fraudar o concurso, foram detidas e conduzidas para a DIOE. Todos os telefones celulares foram apreendidos para apuração.
Pedro Fraga, coordenador da Consulplan, falou sobre os dispositivos de segurança que são adotados para que o certame ocorra com lisura. “Há seguranças especializados para fiscalização dos locais de prova, quatro tipos de prova foram aplicadas sem o conhecimento dos candidatos, há ainda a determinação de que os candidatos lacrem os equipamentos eletrônicos e objetos não permitidos, antes do ingresso nas salas de aplicação de prova, além disso são retiradas as impressões digitais dos candidatos e comparadas com os documentos oficiais e então rapidamente o candidato que tenta fraudar é desclassificado”, explicou.
O comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Zanelli, “Todo certame ocorreu tranquilamente e o grau de acertos não interfere no concurso, portanto daremos continuidade e vamos acompanhar as investigações que prosseguem sob a responsabilidade do delegado Aurélio Paiva, da DIOE”, disse.
A SEAD explicou ainda que não houve nenhuma ocorrência nos outros tres polos, Altamira, Marabá e Santarém, onde o certame foi realizado e que na prova aplicada no turno da tarde para preenchimento de vagas de oficiais não houve ocorrências.
Fonte: ORM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *