Santarenas se vestem de preto em protesto ao estupro de adolescente

Protestos das mulheres santarenas em frente a OAB
Protesto das mulheres santarenas em frente a OAB

Em solidariedade a uma jovem de 17 anos, violentada sexualmente por cerca de 33 homens, na semana passada, em uma favela do Rio de Janeiro, mulheres de Santarém se vestiram de preto, durante um protesto, que aconteceu no último sábado, 28, em frente a sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Subseção de Santarém.

Durante o protesto houve a gravação de um vídeo, em repúdio a violência praticada contra mulheres, no Brasil. “Estivemos todas as mulheres, vestidas de preto, manifestando para que os monstros que estupraram a moça de 17 anos, no Rio de Janeiro, sejam condenados. Pedimos a sua ajuda para que isso ocorra, não deixe isso ser só mais um caso. Lute contra a cultura do estupro!”, exclamou uma das coordenadoras do movimento, a advogada Milena Andrade.

O estupro coletivo com a jovem no Rio é “o caso mais grave já ocorrido no Brasil”, afirmou Samira Bueno, cientista social e diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), organização não governamental (ONG) que formula análises e pesquisa as estatísticas sobre a violência no País.

As estatísticas das Secretarias de Segurança Pública de todo País, reunidas pelo FBSP, mostram que mulheres de diferentes classes e raças são violentadas, “embora as negras sejam as principais vítimas letais”, segundo a cientista social. A vítima do estupro coletivo não é negra.

Uma mulher é estuprada no Brasil a cada 11 minutos, segundo estatística recolhida pela FBSP. Como apenas de 30% a 35% dos casos são registrados, é possível que a relação seja “de um estupro a cada minuto”, de acordo com Samira. Ao todo, no Brasil, 47,6 mil mulheres foram estupradas em 2014, última estatística divulgada. No Estado do Rio, foram 5,7 mil casos.

Fonte: RG 15/O Impacto

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *