Acusado de estelionato usa estrutura do INSS para aplicar golpes

 Homem conhecido por Cesário é suspeito de ter levado 19 mil reais de uma vítima no INSS.

Atenção trabalhadores de Santarém e Região! É preciso ficar atento ao procurar a sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em busca de informações sobre o seu processo de aposentadoria. É que aumentou o número de pessoas que caem na lábia de estelionatários, e têm dinheiro e objetos levados pelos 171.

Nesta semana, um homem de 62 anos, procurou a 16ª Seccional de Polícia Civil para registrar ocorrência de um suposto golpe. Segundo ele denunciou a Polícia, um homem identificado como Cesário, levou dele 19 mil reais, com a promessa de aposentá-lo. Ainda segundo a vítima, que não quis se identificar, o homem acusado pelo crime de estelionato, utiliza e conhece pessoas dentro do INSS, que contribuem para que o acusado tenha êxito no suposto golpe.

“Chegando aqui na Delegacia, obtive a informação de que não é somente o meu caso. Parece que ele já é acostumado a fazer isso com as pessoas”, contou à nossa reportagem a vítima, detalhando como tudo aconteceu: “Eu fui averiguar o meu processo de aposentadoria junto ao INSS, e quando eu ia entrando em um escritório de advocacia, localizado próximo a Travessa Francisco Corrêa, fui abordado por ele [Cesário], já na porta deste escritório. Eu ia entrar no escritório, mas não deu tempo, porque fui abordado por ele, me informando que ele trabalhava no escritório. Ai eu comentei minha situação, e ele me disse que seria fácil de resolver. Então, fomos lá no INSS, que ele ia ver o tempo que faltava para eu me aposentar. Chegando lá, ele entrou, e fez o levantamento junto ao INSS, e me disse que eu devia três anos, e que se eu pagasse ao INSS, ele me trouxe junto ao INSS um cálculo de 19 mil reais. Segundo ele, se eu desse o valor lá dentro do INSS, que pagasse ao INSS, que eu teria o direito de me aposentar. Dito isso, eu falei para ele, que eu teria que falar com minha esposa, uma vez que era uma quantia muito grande, que não se resolve do dia para noite. Posteriormente fui abordado por ele por vários dias seguidos. Chegou no dia 27 de dezembro de 2016, eu resolvi fazer, me aposentar, pois já tenho 62 anos. Tudo aconteceu dentro do INSS. Chegando no INSS, eu dei a quantia para ele, que foi lá para dentro dizendo que iria pagar. Depois me trouxe um documento, do INSS, informando que havia pago essa quantia ao INSS. Esse documento é falsificado dentro do INSS”, relatou o trabalhador vítima do suposto estelionato.

De acordo com a vítima, um fato que chama atenção neste caso, é em relação ao modo de agir do golpista. Conforme ele denuncia, o estelionatário conhece pessoas no órgão de seguridade social e utiliza a estrutura do INSS para fazer suas vítimas.

“Acredito e afirmo que ele tem conhecimento com quase todo mundo lá dentro do INSS. Desde o segurança, até quem você possa imaginar. Ele caminha lá dentro, de maneira tranquila. Ele tem acesso, ele conversa com as pessoas, ele senta nas mesas. Nós ficamos esperando na sala de espera onde todas as outras pessoas aguardam atendimento dos guichês. E ele transita, entra nas salas, vai e volta. É uma situação que no meu caso eu caí, mas cairia qualquer pessoa, porque ele faz isso tudo dentro de uma instituição do governo. Você jamais irá imaginar que está sendo ludibriado”, desabafa o trabalhador de 62 anos, que perdeu 19 mil para o golpista.

MAIS CASOS: Outras pessoas relatam que foram vítimas do mesmo homem, conhecido por Cesário. Segundo eles, tem caso de pessoas, que o acusado fica com documentos das vítimas. “Meu sogro quase cai na lábia deste bandido. Felizmente desconfiamos. Mesmo assim, ele conseguiu pequenas quantias, cerca de 200 reais e sumiu com a carteira de trabalho dele”, denunciou um trabalhador autônomo.

Não é de hoje que o INSS em Santarém é alvo de denúncias, inclusive de operações da Polícia Federal que desmanchou esquemas corrupção dentro da sede do instituto no Município.

HISTÓRICO DE FRAUDE: No inicio do mês de setembro do ano passado, uma operação da Polícia Federal desbaratou fraudes na previdência social no Pará, a chamada Operação Contumácia II, desarticulou uma organização criminosa especializada em fraudes na Previdência Social no Estado. Na época foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão, três prisões preventivas, cinco prisões temporárias e duas conduções coercitivas – quando a pessoa é levada para depor-, na região metropolitana de Belém, São Miguel do Guamá, Santarém e Marabá. Segundo a Polícia Federal, na primeira fase da operação, deflagrada em fevereiro de 2016, foi identificada a existência de beneficiários fictícios, denominados “cidadãos de papel” pela inteligência policial. Até o momento que foi deflagrada a operação, a quadrilha já teria provocado um rombo de mais de R$ 5 milhões aos cofres da Previdência Social. As investigações revelaram ainda fraudes na concessão de benefícios de prestação continuada, amparo assistencial ao idoso e deficiente físico. Os crimes praticados pelos membros da organização criminosa são diversos, como uso de documentos falsos, inserção de dados falsos nos sistemas informativos do INSS, corrupção ativa e passiva. Aproximadamente 65 policiais federais e cinco servidores da Assessoria Estratégica e de Gerenciamento de Risco (PAEGR/PA), vinculado ao Ministério da Previdência Social, estiveram envolvidos na ação. A operação também teve como consequência o cancelamento de 490 benefícios fraudulentos, evitando um prejuízo de aproximadamente R$ 20 milhões.

Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *