Caixa e Construtora são responsabilizadas por problemas no Residencial

As graves consequências que estão surgindo no Residencial Salvação, construído com recursos do Governo Federal e que foi inaugurado no ano passado pela ex-presidente Dilma Rousseff, está deixando os moradores bastante indignados. Se já não bastassem as cobranças abusivas das contas de energia e água, as mais de 3 mil famílias que moram lá sofrem com alagamento das casas pelas enxurradas, que são constantes nesta época do ano em nossa região. Fatos dessa natureza estão acontecendo quase que diariamente, onde casas são inundadas pelas águas das chuvas e muitas famílias estão perdendo o pouco que conseguiram comprar. Todos são unânimes em dizer que o Residencial Salvação foi mal projetado e agora os moradores sofrem as consequências.

Diante dessa problemática, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, cobrou de representantes da Caixa Econômica Federal e da construtora Em Casa, medidas emergenciais para solucionar os problemas dos moradores do Residencial Salvação, obra do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal. No período chuvoso, muitas moradias ficam alagadas. Uma reunião de emergência foi realizada na manhã de segunda-feira (23), na sala de reuniões da Prefeitura, para discutir a situação.

A reunião foi convocada após o Prefeito comparecer ao local durante a chuva e observar os prejuízos causados pelo alagamento de segunda-feira. Nélio Aguiar, acompanhado do secretário municipal de Infraestrutura, Daniel Simões, entrou nas casas e conversou com os moradores.

Representantes da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras), Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec), além de vereadores e outros integrantes do Poder Executivo também estiveram presentes.

Foi montada uma comissão composta por representantes da Prefeitura, Câmara de Vereadores, Caixa Econômica Federal e construtora Em Casa para avaliar os prejuízos materiais dos moradores, a possibilidade de remanejamento das famílias afetadas para outras moradias do Residencial Salvação que estejam desocupadas, além de medidas emergenciais para reparar a parte estrutural visando evitar alagamentos.

De acordo com o secretário de infraestrutura, Daniel Simões, os alagamentos no Residencial são provocados porque o conjunto foi construído em uma área baixa daquela região. Ele cita que no projeto não foram consideradas as contribuições da água que desce dos bairros vizinhos, como Amparo, Conquista e Santarenzinho. “O Residencial é o ponto mais baixo dessa localidade, então, toda essa água corre para esse ponto mais baixo e acaba alagando. A estação de tratamento de esgoto enche, começa a dar retorno pelos ralos, as águas entram pelas portas, infelizmente é essa situação que encontramos aqui”, explicou Daniel Simões.

“A gente está cobrando aqui as responsabilidades. A Prefeitura, até hoje, não recebeu essa obra, que ainda está pela Caixa e pela Em Casa. Criamos essa comissão, pedimos providências para fazer todos os levantamentos, a Defesa Civil para eleger as prioridades, quem está precisando de alimentos, precisando de colchão. Ver o que a gente pode fazer”, declarou Nélio Aguiar.

O Grupo de Trabalho se reuniu na quinta-feira (26) onde apresentou o plano de ação. O projeto do Residencial Salvação, localizado na Avenida Fernando Guilhon, tem 3.081 casas e foi entregue aos beneficiados em maio de 2016. Por um problema de drenagem nas ruas, as casas alagam durante as chuvas. A gestão do residencial ainda não foi repassada à Prefeitura de Santarém, sendo ainda de responsabilidade da empresa construtora.

COMISSÃO ESPECIAL DEVE SER CRIADA NA CÂMARA: A problemática vivenciada pelos moradores do Residencial Salvação tem chamado atenção dos vereadores desde o início das atividades parlamentares da 18ª legislatura. O vereador Júnior Tapajós (PR) propôs a criação de uma comissão para tratar da questão. “Enquanto as comissões não estão instaladas, sugeri ao presidente que se crie uma comissão provisória para visitar o Residencial e averiguar o problema que já conhecemos. Não podemos deixar aquelas pessoas à mercê da sorte”, declarou.

“É inaceitável que um Residencial que foi entregue a menos de seis meses comece a dar problema nas primeiras chuvas. A gente sabe que aquelas famílias foram em busca das casas como um sonho. Não podemos permitir que se torne um pesadelo por conta da má execução ou mesmo do mal planejamento”, alertou Tapajós.

Júnior Tapajós enfatizou, ainda, que o parlamento precisa cobrar dos atores ligados ao programa habitacional que busquem soluções. “Temos, enquanto vereadores, a obrigação de trabalhar junto à Caixa Econômica, à empresa que construiu e à Prefeitura para reduzir os transtornos que aquelas pessoas estão sofrendo”, orienta.

O Vereador também falou sobre a reunião de emergência realizada na segunda-feira (23/01), que tratou da problemática do Residencial Salvação, que tem deixado os moradores do empreendimento apavorados, especialmente após os estragos ocorridos na área em decorrência das chuvas que têm caído no Município nos últimos dias. “Nós fomos, enquanto Câmara, convidados para uma reunião de emergência com a Prefeitura de Santarém, com a Caixa Econômica Federal e com a empresa ‘Em Casa’, responsável pela construção do residencial. Fomos tomar pé dos problemas e, automaticamente, buscar solução”, explica. Tapajós esclareceu acerca de um dos desdobramentos do compromisso, que foi a produção de relatórios pelas instituições envolvidas diretamente com o programa habitacional. “Por determinação do prefeito Nélio Aguiar serão feitos três estudos: um pela própria Prefeitura, um pela Caixa e outro pela empresa ‘Em Casa’”. O parlamentar informou que os relatórios dessas análises deveriam ser apresentados na quinta-feira (26/01). “Para que seja dada solução imediata. O que a gente não pode é ficar protelando um problema, que coloca em desespero as famílias que moram ali no residencial”, completou.

Também o vereador Jardel Guimarães (PTN) foi mais um dos parlamentares a engrossar o debate acerca dos problemas enfrentados pelos moradores do Residencial Salvação. O parlamentar chamou a atenção para “as chuvas torrenciais que têm caído”, o que, de acordo com ele, ocasiona transtornos para os moradores do Residencial. Jardel também ressaltou que a Câmara tem se empenhado para atender às reivindicações dos comunitários do programa habitacional, que procuraram a Casa. Ele aproveitou ainda para apelar à Prefeitura. “Gostaríamos que o Executivo desse uma solução aos problemas que os moradores vêm enfrentando naquele Residencial, especialmente os ocasionados pelas chuvas que têm caído na cidade”, informou.

PARCERIA COM O ESTADO PARA MELHORAR A SAÚDE NO MUNICÍPIO: O prefeito Nélio Aguiar, juntamente com o secretário Municipal de Saúde, Edson Filho, estiveram reunidos na sexta-feira (20) com o secretário de saúde do Estado, Vitor Mateus. O objetivo foi estreitar relações em busca de soluções para os problemas relacionados à saúde no Município.

O encontro foi realizado no gabinete do Prefeito. Uma agenda mínima, criada na ocasião, ressalta cinco itens essenciais para garantir um atendimento melhor e mais rápido à população de Santarém e da região oeste do Pará, que necessita de atendimento médico. Na lista de prioridades estão: Regulação; Hemodiálise; Cirurgias Eletivas; Descentralização e Transferência de Pacientes.

Nélio Aguiar pediu empenho do Governo Estadual, no atendimento dessas demandas. “A gente precisa fortalecer as parcerias para que os pacientes possam ser atendidos de forma digna e com mais qualidade”, enfatizou.

O secretário Vitor Mateus garantiu que não medirá esforços para ajudar a amenizar os problemas da área de saúde no Município e reforçou que a união dos três poderes (Municipal, Estadual e Federal), é fundamental para uma mudança no quadro atual.

Conforme o secretário de saúde do município, Edson Filho, uma nova reunião será realizada, em data ainda a ser definida, para a criação de um plano de ação que será executado visando fortalecer a saúde no município de Santarém.

Fonte: RG 15/O Impacto

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *