Eduardo Fonseca Ed. 1135

AGORA É CINZAS

Com a cerimônia das Cinzas a igreja católica inicia o período da Quaresma. A Quaresma começa na quarta-feira de cinzas e termina no Sábado Santo ou de Aleluia, anterior ao Domingo de Páscoa: ao total são 46 dias, da quarta-feira de cinzas ao sábado. Durante esses dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa, os cristãos dedicam-se à reflexão e à conversão espiritual, e se recolhem em oração e penitência, para lembrar não só os 40 dias no deserto como também os sofrimentos que Deus feito homem suportou por cada um de nós na cruz.

Quaresma ainda é o tempo propício e oportuno para o cristão buscar a imersão na Misericórdia divina e se tornar, de fato, discípulo de Jesus. Para lembrar que temos obrigação, enquanto cristãos, de sermos misericordiosos com o nosso próximo. Oração, penitência, jejum e esmola são meios para se alcançar os objetivos da Quaresma. Não precisamos necessariamente multiplicar as nossas orações, mas sim rezar apaixonadamente a cada dia, participar nas Missas dominicais com especial atenção e dedicação, e coroar essas práticas com a Comunhão no Corpo e Sangue do Senhor. O jejum é prescrito para a Quarta-feira de Cinzas e a Sexta-feira da Paixão, no espírito de penitência próprio da Quaresma: fome e sede do Deus Vivo. Ainda mais interessante é jejuar dos programas de TV que promovem a prostituição, o adultério e o homossexualismo. Muitos, depois, nem regressam mais às famigeradas novelas e reality shows que promovem a vulgarização da mulher, o sentimento de rivalidade entre os semelhantes, a falsidade, a mesquinharia, a egolatria. Jejum do medo, da ansiedade e do pânico característicos da falta de confiança no Ser Supremo, nosso Pai do Céu, que é maior do que tudo. Jejum da violência, seja nas palavras, nos gestos e atitudes, no cultivo da paciência e da mansidão, frutos do Amor divino.

Então amigos, após a gloriosa celebração do enceramento do CRISTOVAL, feita pelo nosso Bispo, resta-nos a iniciar a Quaresma praticando, a oração, o jejum e a caridade. ///////////////// Nesta semana que passou foi uma semana de perdas de santarenos (antigos) ilustres que deixaram um legado construído pelo trabalho, pela formação da suas famílias, unidas. E bem estabilizadas. Foi o que ocorreu com ISMAELINO CASTRO DOS SANTOS, desportista, ex-árbitro de futebol por várias gerações, além de ser um grande incentivador da juventude para a prática do esporte, inclusive mantendo time de vôlei na quadra do São Francisco por muitos anos. Os meus mais sinceros votos de pesar e a minha solidariedade aos familiares, do JOÃO DAMASCENOS, conhecido popularmente como (O PORCO) grande dançarino, juntamente com Malaquias e Mestre Balão eram os donos dos salões das noites santarenas. Ultimamente trabalhava como vendedor de peixe no tablado e era conhecido como o “encantador dos botos” da orla santarena. E o seu JOÃO PANTOJA –ex marinheiro fluvial, conhecido por JOÃO GURUPÁ, era comerciante instalado na Curuá Una com a Av. Altamira, REQUEST IN PACEM/////////// Vinícius de Moraes disse que: “Toda unanimidade é burra”, mas pelo menos aos que aqui me comentaram, foi acertada a mudança do Carnaval para a Anísio Chaves. E também pela estrutura montada pela Prefeitura Municipal de Santarém. Só escutei elogios. Afora a atitude de alguns seguranças, de demonstraram por que ocorre confusão em festas, porque esses seguranças provocam muitas vezes, e geralmente, ficam extorquindo dinheiro do frequentador do evento, pedindo para lhe pagar bebida e bebendo no serviço, depois fazem a confusão, além de cobrarem alto, exigem um cachê alto, muitas vezes para estragar o evento de quem está promovendo e investindo alto. É preciso rever também a legalização desses seguranças e pelos proprietário dessas empresas, geralmente, ex-militares.///////// Hoje tem SEXTA DA SAUDADE NO FLUMINENSE, a 1ª após o Carnaval, o toque musical está a cargo da BANDA STILLUS com, Delson, Caetano e a cantora Lícia Mara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *