Sadeck: “Igreja pede para trabalharmos em defesa do meio ambiente”

Ivan Sadeck fala da Campanha da Fraternidade, que alerta sobre a necessidade de cuidar e proteger a natureza.

Anualmente a Igreja Católica disponibiliza à sociedade brasileira momento de reflexão sobre temas diversos. Por meio da Campanha da Fraternidade, os fiéis são convidados a se envolveram em grandes causas.

Na versão deste ano, a Campanha da Fraternidade terá como tema “Fraternidade: Biomas brasileiros e a defesa da vida”. O lema de 2017, “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15), traz um grande alerta, em relação à necessidade de cuidar e proteger a natureza. Os temas eixos são a vida e as suas expressões, viver a quaresma intensivamente e comprometer autoridades públicas com a responsabilidade sobre o meio ambiente.

Em Santarém, a Campanha de 2017 teve seu lançamento oficial no dia 3 de março, onde a Diocese de Santarém realizou a abertura da Campanha da Fraternidade 2017, na igreja de São Sebastião.

Para o professor Ivan Sadeck, o debate sobre o tema da Campanha da Fraternidade deve acender, em todos, a chama da esperança, acima de tudo da necessidade de trabalharmos no dia a dia a defesa do meio ambiente.

“Todos os anos, a Igreja em período quaresmal, costuma trazer para este tempo a Campanha da Fraternidade com um tema a ser refletido nesse período, e que todos e todas são chamados à conversão, à mudança de vida. Por isso mesmo a Quaresma torna-se esse tempo de preparar-nos para celebrar o grande mistério Pascal, da paixão, morte e ressurreição do Senhor; este tempo também é propício para algumas práticas que nos ajudam à conversão; a vida de oração, o jejum e a caridade fraterna, que se manifesta naquilo que chamamos de esmola. Nesse tempo, a Igreja também faz com que a vida, na sua dimensão – não só espiritual, mas também pessoal, social, comunitário – venha para que possa ser refletida em como você pode viver melhor como filhas e filhos amados de Deus. É por isso que a Campanha da Fraternidade de cada ano, quer nos despertar, nos motivar, orientar e educar para que gente assim descubra, como fazer esta vida ser a expressão do amor de Deus para conosco, e a cada ano ela (Campanha da Fraternidade) apresenta a sua temática. Neste ano, ela fala de Biomas Brasileiros e Defesa da Vida e com o lema “Cultivar e Aguardar a Criação”, é uma expressão que vem do livro do Gênesis. Isso significa que nesse tempo vamos refletir a importância de você cuidar e zelar da Mãe Natureza, com toda a sua riqueza, sua beleza, com todos os seres viventes; onde o homem, dotado de uma capacidade de pensar, é o grande responsável de fazer com que a vida tenha um sentido para que se possa tê-la por muitos e muitos anos num processo de reprodução, e não de destruição, como se vem fazendo nos últimos anos. O tema deste ano nos chama a atenção para os diversos biomas brasileiros, como os Pampas, os Manguezais, a Caatinga, o Cerrado e a Amazônia, os biomas brasileiros que estão sendo ameaçados, justamente pela ação destrutiva do ser maior da criação, que é o homem! Por isso a Campanha da Fraternidade 2017 quer nos ensinar que é preciso que nós cuidemos com carinho dessa grande da Criação, que é, a Mãe Natureza, em todos e com todos os seus seres vivos”, explicou Sadeck.

O educador social fala de alguns aspectos relevantes, tais como o convite para a vida em comunhão, o despertar da consciência e a vivência em ambientes integrados, cujo habitat são das criaturas de Deus.

“A Igreja quando aborda esta temática, ela não está dizendo que não seja importante você fazer o processo de aproveitamento dos recursos naturais, mas tem de fazer com inteligência, com competência, sem destruir e prejudicar a vivência desses seres nesses ambientes; ainda mais que neste ano, que a encíclica do Papa Francisco, “Laudato Si” (Louvado sejas), que se relaciona muito com o Cântico das Criaturas – “Louvado sejas meu Senhor por todas a tuas criaturas”- que quer também dizer para nós que todos os seres existentes, são obras da criação do amor de Deus para conosco. Assim, a Campanha da Fraternidade de 2017, é um alerta, um convite, um despertar de consciência para que todos nós, como filhas e filhos amados de Deus, independente do seu credo e da sua religião, mas que todos nos sintamos responsáveis, zelosos, cuidadosos dessa obra da criação para que não se comprometa o próprio futuro da vida humana, diga-se de passagem, que está ameaçado! Veja o que está acontecendo na nossa beleza e na nossa riqueza que é a Amazônia; está sendo destruída, desmatada, poluída. Você tem uma floresta hoje, com mais de 30 ou 40 % sendo desmatado, tudo pela ganância humana, que quer na exploração madeireira, ter lucros, ganhos e mais ganhos. Aí se vai comprometendo a própria vida do ser humano, a vida do bioma e se traz um comprometedor sério, para aquilo que se chama “clima”! Veja o que está acontecendo com o clima do planeta terra, em especial aqui na nossa região, tudo por conta desse processo de destruição que está sendo feito de uma forma desordenada, sem planejamento. Às vezes fazemos sem ter um conhecimento, o que é pior, sem conhecer de fato, aquele bioma onde você está instalando o seu poder de exploração, de destruição e de aproveitamento das riquezas”, diz Ivan Sadeck.

“Nós não conhecemos, e se conhecemos é muito pouco sobre o bioma da Amazônia, assim como os demais biomas brasileiros. Com a Campanha da Fraternidade, a Igreja nos convida a fazer essa reflexão; a Igreja está chamando a atenção da necessidade de cuidarmos da Criação, é nossa responsabilidade, é nosso dever! O que se espera é que tudo aquilo que for refletido, discutido e debatido não fique só no tempo da Quaresma, mas que seja transformado em prática, daí entra uma questão muito importante: – A sociedade brasileira tem de despertar, tem de tomar consciência para ser essa voz na defesa desses espaços vivos que temos no Brasil; se o Governo ou o Poder Público não faz, temos de pressionar! Não temos de ficar calados, aceitando que a destruição vá acontecendo, muitas vezes estimulada e financiada pelo próprio Governo. Então, é preciso que nós também tomemos consciência”, declarou.

Ivan Sadeck afirma que a Campanha convida todos, a uma reflexão sobre nosso papel em sociedade, na busca de um bem comum. “A Igreja como voz profética para todos os povos e todas as nações, como mãe, quer nos educar, nos sensibilizar para esse compromisso na defesa da vida. A Campanha da Fraternidade desse ano convida você, a mim, qualquer um; todos e todas, para que assumamos esse compromisso na defesa dos biomas brasileiros, pois assim fazendo, estamos também defendendo a vida com mais dignidade, com mais decência e com melhores condições para toda e todos nós, como filhas e filhos amados de Deus. Que a campanha de 2017, possa fazer com que esse compromisso nós traga frutos amanhã! Afinal de contas, Deus, que nos deu tudo gratuitamente, e fez tudo pelo amor para conosco; vai nos cobrar! Seremos cobrados por aquilo que fizermos ou que deixarmos de fazer; pelo bem que praticamos ou pelo mal que fazemos. Que a Campanha seja esse momento propício, nesse tempo da Quaresma, para fazer acontecer de fato, sinais de novo céu e nova terra!”, conclui Ivan Sadeck.

CÂMARA DISCUTE CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017: A Câmara Municipal de Santarém realizou na manhã de terça-feira, (14), uma sessão de “Tribuna Livre” para debater o tema da Campanha da Fraternidade de 2017, que é lançado pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O presidente da Câmara em exercício, Júnior Tapajós (PR), conduziu a sessão. Ele também enfatizou que trazer a discussão sobre o tema da campanha para o Poder Legislativo é uma oportunidade para a sociedade conhecer ainda mais a importância que o meio ambiente tem na vida de cada cidadão. “O desenvolvimento precisa ser planejado porque precisamos pensar no amanhã. A Campanha da Fraternidade nos traz essa reflexão de que o meio ambiente precisa ser conservado, garantindo o futuro da  nossa geração. Em ações concretas, a Câmara vai rever o Plano Diretor das áreas que estão em expansão no Município e assim analisar primeiramente as medidas de conservação da natureza. O Bispo Dom Flávio nos alertou que esta Casa precisa priorizar projetos de preservação, em que o questionamento levantado foi o preço que a natureza pagaria com um desenvolvimento desordenado”, disse Tapajós.

O Bispo da Diocese de Santarém, Dom Flávio Giovenalle, falou da importância de debater a Campanha da Fraternidade de 2017 na Câmara. “Trazer este tema nos permite expandir o assunto que é de relevância nacional, não se pode apenas discutir o assunto dentro da igreja, é necessário uma conversão social, uma postura nova. Aqui debatemos a situação que se encontram nossos rios e igarapés e ainda o saneamento básico”. O chefe da igreja Católica em Santarém destacou também que a quaresma, vivenciada neste momento pelos católicos, é um período de conscientização, em que cada grupo que compõe nossa sociedade tem que definir as medidas e ações concretas para assumir as responsabilidades em preservar a criação. “Os santarenos necessitam analisar até que ponto o desenvolvimento vai trazer benefícios para o Município e ainda as suas consequências ao meio ambiente”, ponderou Dom Flávio.

Por: Rafael Duarte

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *