Dayan: “Olavo das Neves mandou segurar licenciamento da Embraps”

Dayan Serique falou que Olavo se diz amigo, mas travou desenvolvimento de Santarém

A polêmica sobre o vídeo postado nas redes sociais, onde o empresário Olavo das Neves, presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (CODEC), faz um desabafo sobre as dificuldades de empreendimentos empresariais se instalarem em Santarém, nesta semana ganhou mais um capítulo.

Na segunda-feira (5), na Câmara Municipal, aconteceu uma reunião para debater sobre o desenvolvimento de Santarém. O evento foi convocado pelo vereador Henderson Pinto, que em entrevista exclusiva à TV IMPACTO falou que Olavo, de certa forma dificultou a vinda de investidores para o Município, com seu desabafo nas redes sociais.

Neste contexto, a reunião contou com a participação do presidente da CODEC, classe empresarial e autoridades do Município. Em seu discurso, Olavo reafirmou todas as questões que argumentou no vídeo, dizendo que o Município está fechado para investimentos.

Porém, um momento da fala de Neves, chamou atenção do vereador Dayan Serique. Preste a finalizar seu discurso, o presidente da CODEC disse que mandou o Secretário Estadual de Meio Ambiente, Luiz Fernandes, segurar o processo de licenciamento do Porto da Embraps. Pois para ele, faz-se necessário que a Câmara, Prefeitura e a sociedade assinem documentos dizendo que são a favor do desenvolvimento de Santarém.

“Falei para Embraps, em uma reunião no Sindicato Rural. O Adnan chegou comigo, meu irmão, agora vai! Estão resolvendo a situação da Embraps na Justiça, parece que está sendo resolvido, e nós estamos aqui para avançar na SEMAS, boa notícia. E como é que está lá? Eu virei para o Adnan e disse: ‘- Adnan, para tudo!’ Espera aí Olavo, ele retrucou. Como assim para tudo? Fala para o Fernandes pelo amor de Deus, não avançar um passo na Embraps, nenhum! E ele disse, peraí Olavo, agora não estou te entendendo. Tu defendes Santarém, e agora tu estás pedindo pra gente do Estado não avançar na Embraps? Gente, de público eu digo: ‘- Sim! Presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico, sim! É para avançar? Não!’. Sabe por que não é para avançar? Porque na hora que soltar uma licença ou alguma outra coisa, sabe o que irá acontecer, vai vir uns ‘trocentos’ contra, e na hora vão dizer o quê? Que isso é coisa do governo do Estado, que liberou esse trem. Porque na hora não vai ter um cristão que vai levantar e dizer, olha nós queremos isso para o desenvolvimento de Santarém. Aí, sabe o que vai acontecer Adnan? É, eu e tu que vamos pagar o pato. Enquanto a sociedade e esta casa não se posicionar, ‘nós queremos isso!’, eu já disse para o Adnan, trava! Agora eu que estou dizendo trava. Não dá. Fazer o que gente? Me falem. Liberar aqui para amanhã a gente estar no jornal, dizendo que nós, do Governo do Estado, liberamos e somos o patinho feio da história. Eu quero uma carta desta casa, dizendo que nós somos sim a favor do desenvolvimento. Da instalação dos portos, a exemplo de Embraps”, disse Olavo das Neves.

Indignado, Dayan Serique afirmou à nossa equipe de reportagem, que esta situação apresentada por Olavo das Neves representa que ele, que se diz amigo de Santarém, travou sim o desenvolvimento.

“É, eu acho que ninguém precisa de um papel para me dizer qual é a minha obrigação. Eu sei a minha obrigação, o Governo do Estado sabe da sua obrigação, então, não adianta dizer que a Câmara precisa dar um papel, ou dar uma declaração para poder o Estado fazer o seu papel. O Estado deve cumprir a sua responsabilidade, se tem de liberar a pesquisa, licença, a instalação para Embraps, que faça isso. Agora não precisa que ninguém chegue travando, como ele colocou que “eu mandei segurar”. Muito pelo contrário, nós queremos que aconteça, então, se alguém está segurando, que libere, pois Santarém precisa de estudo e precisa de desenvolvimento. Não somos nós que vamos travar, nós estamos abertos para o debate, para que possamos aperfeiçoar a ideia. Agora, jamais travar. Nós queremos que as coisas aconteçam, e repito, quem está travando, por favor libere para que possamos avançar, e que Santarém seja beneficiada com isso”, argumentou o parlamentar.

Para Dayan Serique, é importante reafirmar para todos; para sociedade em geral, e para os investidores, que o Município não está e nunca esteve fechado para empreendimentos, que trarão empregos e renda. No entanto, são necessários que sejam observados todos os procedimentos exigidos pela legislação.

“Olha, Santarém nunca esteve fechada, e sempre exigiu respeito, e não somos nós santarenos que vamos reforçar esse discurso. O que muito me preocupa é que alguém que ocupa um cargo de estratégia possa estar repetindo esse discurso. Muito pelo contrário, todas às vezes que estive viajando defendendo Santarém, inclusive estivemos lá em Sinop, onde defendemos que a concessão da BR chegue até Santarém, defendendo a questão dos portos, todas às vezes que estivemos lá, sempre esclarecemos que Santarém é uma cidade aberta, desde que se respeite o seu povo. Então, é esse nosso compromisso, que venha o desenvolvimento em Santarém, estaremos sempre de portas abertas desde que respeite o nosso meio ambiente, a lei e o seu povo”, explicou Serique.

DIÁLOGO SEMPRE: O parlamentar observou que o evento, apesar dos debates acalorados do início, terminou de forma favorável para Santarém.

“O evento foi de grande importância. Onde vários segmentos tiveram a oportunidade de falar sobre o tema, sobre a questão dos portos, sobre tudo aquilo que trava o desenvolvimento de Santarém, com isso podemos mostrar que todos temos interesse no desenvolvimento da cidade. A cidade precisa crescer e se desenvolver. A questão é, de que forma vai acontecer. Nós ponderamos que existe uma minoria que precisa ser ouvida e ser respeitada, não são invisíveis. E Santarém não é uma cidade nova e precisa ser respeitada, ela possui toda uma tradição, tem sua cultura forte, são 355 anos de resistência, então, nós colocamos o nosso ponto de vista que todo desenvolvimento é bem vindo, mas que cumpra suas leis, e respeite nossa cultura e nosso povo, então, nós podemos avaliar como positiva. A outra parte que quer o desenvolvimento também precisa abrir os olhos, pois existe gargalo que precisa ser superado, e esse gargalo é justamente ouvir, e todos querem desenvolvimento e devem ser ouvidos para que sim possamos resolver tudo com desenvolvimento sustentável. É disso que Santarém precisa de forma racional e sustentável, para que todos possam ser beneficiados com o desenvolvimento, não somente a classe empresarial, mas o povo, esse sim precisa ser beneficiado diretamente com emprego e renda, possibilitando sustento a suas famílias. O desabafo do Olavo criou esse momento de discussão, ele foi infeliz em algumas colocações, mas também foi feliz quando provocou esse debate, pois muitas coisas que ele falou são verdadeiras, mas acho que faltou um pouco mais de tato, quando expôs uma ideia divergente, não somos donos da verdade, a verdade é uma via de mão dupla, então, nem sempre eu estou contando a verdade, temos que ouvir a outra parte, é a discussão que vai fazer com que possamos construir uma verdade coletiva que o principal beneficiado será o povo”, conclui Dayan.

GESTÃO MUNICIPAL PARTICIPA DE DEBATE: O prefeito Nélio Aguiar e o vice-prefeito José Maria Tapajós participaram na tarde de segunda-feira (5) da reunião no plenário da Câmara de Vereadores que debateu o desenvolvimento do município de Santarém. O encontro, convocado pelo Poder Legislativo, contou com a presença de representantes do setor produtivo, de sindicatos, associações, Fórum de Entidades e com a representação da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec).

Para o vereador Henderson Pinto, Santarém viveu uma imagem negativa de que investimentos grandiosos não podiam se instalar no Município, e destacou a necessidade de mudar essa visão. “Com a nova gestão, estamos fazendo o contrário, reconstruindo essa imagem. Essa reunião faz parte desse conjunto de ações do governo para que a gente possa trazer investimentos para Santarém e melhorar a vida da população”, disse Henderson.

O presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), Olavo das Neves, discorreu sobre os entraves que impedem a instalação de grandes investidores em Santarém e ressaltou a importância da abertura de oportunidade para novos empreendimentos. “Não queremos mais os alunos das nossas universidades buscando oportunidade em outros lugares, precisamos fazer oportunidades aqui em Santarém. Temos que receber de braços abertos os investidores aqui. Temos que iniciar projetos que agreguem emprego de qualidade e renda. Não dá mais pra aceitar ser exportação de mão de obra”, finalizou.

Com a responsabilidade de fomentar os investimentos, a gestão municipal tem trabalhado junto à classe empresarial e ao Fórum de Entidades defendendo o desenvolvimento. “Somos a favor da implantação do Distrito Industrial de Santarém. Somos favoráveis também à implantação de portos em Santarém, desde que sejam cumpridas as leis, seja feito o EIA-Rima, sejam feitas as audiências públicas com participação da sociedade. Todo projeto que tiver dentro da legalidade, que tiver transparência, e que realmente for trazer vantagens para Santarém, trazer emprego e renda e que for possibilitar aumento da arrecadação, nós vamos defender”, disse o prefeito Nélio Aguiar.

O Prefeito acrescentou que, por meio da política de desenvolvimento, a gestão tem buscado parcerias de investimentos públicos e privados com os governos estadual e federal. “Com governo do Estado estamos tratando a construção do Centro de Convenções que vai aquecer a indústria do turismo em Santarém. Trata-se de uma indústria que não polui e que mais cresce no mundo inteiro”, informou.

Preocupado em atrair novos investimentos para a região, em março, Nélio Aguiar expôs ao ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, a preocupação em relação à oferta de energia na região, e numa luta junto com a Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces) solicitou a construção do novo Linhão Tramoeste para melhorar a qualidade de energia. A obra foi incluída no primeiro leilão e a empresa Equatorial Energia S.A venceu a competição.

O Prefeito também esteve em Brasília com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, para requerer a inclusão do trecho de Santarém no estudo de viabilidade para realizar a concessão na rodovia federal BR-163. Naquela ocasião, Nélio também solicitou que o projeto Ferrogrão (corredor ferroviário para o transporte de grãos da região centro-oeste para o estado do Pará) seja estendido até Santarém, ao invés somente de Miritituba.

Ressaltando a necessidade de todos os segmentos lutarem pelo desenvolvimento juntos, sem nenhum interesse pessoal ou político-partidário, o prefeito Nélio acrescentou: “Temos que buscar nos unir, caminhar juntos sem vaidade levantando uma bandeira coletiva”.

A reunião foi rica em opiniões, que por muitos momentos divergiram, mas ao final convergiu para um entendimento: um documento manifestando apoio ao desenvolvimento do município foi assinado pelos poderes Executivo e Legislativo, Codec e sociedade civil organizada.

Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *