Nelson Silva: “Combate ao tráfico de drogas será prioridade”

Conheça a história de vida do novo superintendente da Polícia Civil do Baixo Amazonas

Servidor público dedicado e competente, Nelson da Silva Nascimento, delegado de Polícia Civil, após quase 8 anos no comando da 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém, assumiu nova missão frente ao árduo trabalho de combate à criminalidade.

Nesta semana, foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) a Portaria de nº 182/2018, datada do dia 19 de fevereiro de 2018, nomeando Nelson Silva, como novo Superintendente da Polícia Civil do Baixo Amazonas, região que congrega 13 municípios.

Nelson Silva assume o posto, uma vez que o ex-Superintendente, Delegado Gilberto Aguiar foi nomeado para exercer o cargo de Coordenador da Área de Segurança, no Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas.

À frente da Seccional Urbana de Santarém, Nelson fez um grande trabalho, o que propiciou sua escolha para o respectivo cargo; por conhecimento e competência técnica, jamais por cunho político.

“Nos dedicamos a prestar bons serviços na Seccional. Agora é mais uma missão na Superintendência, onde novamente estaremos comprometidos em fazer o melhor. Iniciamos nossa gestão com a perspectiva de receber muitos servidores, que participaram e foram aprovados em concurso público, que irão ser nomeados, delegados, escrivãos e investigadores. Santarém e região irão receber reforços. Isso é muito bom porque os trabalhos serão mais dinâmicos, as investigações serão mais rápidas, e irão com toda certeza trazer ânimo novo aqui para nossa cidade. Estamos muito satisfeitos com a administração da Polícia Civil no estado Pará, que tem à frente o delegado geral Rilmar Firmino, porque ele tem compromisso com a sociedade e com servidores. Ele está sempre presente aqui na região, trazendo prestígio e soluções para os problemas que aparecem. Então, de fato eu sou delegado de polícia com muita honra, gosto de ser policial. Acredito que nesse ramo a pessoa de fato tem de gostar, não é qualquer pessoa que se torna um policial, a pessoa tem de saber lidar com o público, tem de ser um servidor do público e isso eu gosto de fazer com muita humildade, gosto de ser policial. Para mim não teria outra carreira que gostaria de entrar, ser policial é servir o público, as pessoas humildes que precisam, o nosso público alvo é aquelas pessoas humildes que vêm buscar, mesmo que não sejam humildes, mas que vêm buscar uma resposta da polícia, uma pessoa que foi assaltada, que foi roubada, foi furtada, tem uma resposta, uma ação policial, então esse é o papel da polícia e isso realmente nós temos feito. isso é muito importante para mim porque eu gosto do que faço, o Estado tem uma contribuição com o servidor que é manter os salários, manter o apoio ao servidor, a logística do servidor, isso que nós recebemos, então nós temos que dar a contrapartida, e essa contrapartida é o trabalho que o policial tem, o Estado paga bem o policial, o policial do Pará recebe bem, então ele tem de dar a contrapartida que é o trabalho, dedicação, é as operações, tirando de circulação aqueles indivíduos que cometem delitos, porque eles tiram o sossego da sociedade, isso tudo é muito importante, por isso que eu acho importante dar o que eu puder, o meu esforço para eu realmente garantir que a população tenha tranquilidade”, disse o delegado ao assumir o cargo de Superintendente.

Para Nascimento, o combate à criminalidade deve ser um esforço integrado das forças de segurança em todos níveis de governo, inclusive dos órgãos judiciais. E como perspectiva de sua atuação no comando da Superintendência decreta: “Iremos priorizar o combate ao tráfico de drogas”.

“Agora como Superintendente iremos buscar cada vez mais o relacionamento da Polícia Civil com outros órgãos, tais como, o Poder Judiciário e Ministério Público. Entendemos que esse relacionamento tem de ser cada vez mais forte, porque a Polícia Civil é judiciária, e não tem como andar isolada. Precisamos estar juntos do Poder Judiciário e do Ministério Público, e cada vez mais eu quero essa relação, essa proximidade, mesmo porque já temos um bom relacionamento. Vamos trabalhar ainda mais para que esse relacionamento seja mais firme e forte. Temos alguns delegados aqui que trabalham constantemente em operações, estão sempre em proximidade dos órgãos, principalmente do MP e do Poder Judiciário e isso vamos aumentar ainda mais, com operações na cidade, operação de combate à criminalidade, lembrando que hoje, um dos crimes que mais crescem em nosso município é o tráfico de drogas. Ao combater o tráfico de drogas você combate todos os outros crimes. Temos como meta na minha gestão, implementar em Santarém uma delegacia ou divisão especializada de combate ao tráfico de drogas. O objetivo seria mapear e obter informações completas e sigilosas, onde funciona todas essas bocas de fumo, onde os traficantes atuam. Porque se você combater o tráfico de drogas como já mencionei, estaremos combatendo 70% dos crimes que ocorrem em nossa cidade”, propõe Nelson Silva.

PROFISSIONAL DEDICADO À SEGURANÇA PÚBLICA: Há 13 anos prestando bons serviços à sociedade paraense, a vida profissional do delegado de Polícia Civil Nelson Silva, é o retrato digno de trabalhador que cumpre com a ética e profissionalismo. Porém, antes de torna-se delegado, labutou em outra área.

“Aqui em Santarém, eu trabalhei como vendedor de veículos, depois cheguei a ter um escritório onde era despachante de veículos. Posteriormente fiz o curso de Direito na antiga Faculdade Integrada do Tapajós (FIT), turma de 97. Passei no exame da Ordem em março de 1998. Aprovado, comecei a advogar na área. Foi muito importante para mim, pois adquiri muitos conhecimentos jurídicos, aquela coisa de descobrir o processo penal, e isso fez com que tivesse realmente um pouco mais de interesse nessa área e também voltei a estudar com alguns colegas na faculdade, esses colegas eram policiais e quando surgiu o concurso da Polícia Civil, eles me chamaram para fazer o concurso público. Fizemos, concluímos a Academia de Polícia e ficamos aguardando a nomeação. Fomos nomeados em fevereiro de 2005. Após a nomeação eu tive uma primeira lotação no município de Rurópolis, passei aproximadamente dois anos naquele município. Posteriormente fomos transferidos para o município de Itaituba, onde fui titular da delegacia, pois existiam dois delegados e logo depois inauguramos em Itaituba a 19ª Seccional de Polícia Civil. Passei aproximadamente um ano e meio para dois anos em Itaituba, quando fui convidado para vir para Santarém e realmente, aqui em Santarém trabalhei na especializada de furtos, eu e o delegado Jamil e também nos plantões da delegacia, até 2011, quando fui convidado pelo delegado geral Rilmar Firmino para trabalhar como diretor da 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém, aceitei e agora também  por indicação e convite do delegado Rilmar Firmino eu aceitei assumir a Superintendência Regional de Polícia Civil. Quando eu cheguei em Santarém, quando meu pai veio para Santarém, comerciante lá pelo centro comercial e nós viemos para cá em 76, então desde essa data eu moro em Santarém, sou apaixonado por essa terra e te digo, é muita honra, recebo com muita honra esse cargo, agradeço a Deus em primeiro lugar, em saber que Deus é o nosso maior líder e também as pessoas que me apoiaram, as pessoas que estiveram comigo, as indicações para assumir a superintendência que são importantes e lhe digo mesmo, é com muita humildade que recebo essa homenagem que para mim não só é uma indicação, é uma homenagem ser superintendente da minha região da cidade onde eu não nasci, mas me considero santareno, por que estou aqui há muitos anos e sou apaixonado por Santarém, meus filhos moram em Santarém, a minha esposa é de Santarém, então por isso a gente tem cada vez mais se esforçar para dar uma resposta a nossa sociedade, que as pessoas que procurem a seccional de polícia possam ser bem atendidas, tenham a resposta em relação aos crimes que ocorrem em nossa cidade”, relatou o novo Superintendente.

Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *