Professores temporários denunciam calote da Semed/Santarém

O Ministério Público Estadual (MPE) precisa voltar novamente sua atenção para a Secretaria Municipal Educação (SEMED) de Santarém. São inúmeras as denúncias em relação à falta de pagamento de professores que foram selecionados no Processo Seletivo Simplificado (PSS).

Segundo informações, os profissionais da educação que enfrentaram uma verdadeira maratona, mobilizando-se com objetivo de atender às exigências do PSS, estão há mais de 40 dias sem receber remuneração alguma.

Mesmo aqueles que no ato da contratação apresentaram comprovante de que possuíam conta bancária na Caixa Econômica Federal, banco pelo qual a prefeitura realizada o pagamento dos servidores, estão sem a remuneração.

“Há mais de um mês estou gastando para me deslocar até a escola, realizando sacrifício em cima de sacrifício, para não receber o salário que tenho direito. Isso é um desrespeito aos profissionais da educação, que estudaram, frequentaram faculdade, pós-graduação para estarem preparados para conduzir o processo de ensino-aprendizado”, disse um dos servidores temporários.

Como resultado da falta de pagamento, os pais dizem que são os alunos que acabam por serem prejudicados, “pois muitos professores já não têm recursos para chegarem até as escolas. Sem falar, que quando conseguem chegar, estão desmotivados”.

Os pais dos estudantes questionam tanta dificuldade, e solicitam que o MPE possa intervir nessa situação, que juntamente com outras ocorrências, tais como: falta de merenda escolar e carteiras escolares, estão prejudicando o sistema educacional da Pérola do Tapajós.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *