Polícia Federal prende fraudadores de benefícios previdenciários em Belém

Na manhã de terça-feira(26), a PF deflagrou a segunda fase da Operação Mimetismo. Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão: três em Belém/PA e um em Caucaia/CE; e três mandados de prisão preventiva: dois no estado do Pará e um no presídio, onde já se encontra recolhido o chefe da organização criminosa. Participaram da operação 16 policiais federais para o cumprimento dos mandados expedidos pela 32ª vara da Justiça Federal no Ceará. Também foi determinado o sequestro dos valores nas contas bancárias, bem como o bloqueio dos benefícios tidos como fraudulentos.

As investigações iniciaram em atuação conjunta da Força Tarefa Previdenciária, formada pela Polícia Federal e pela Coordenação de Inteligência Previdenciária no Ceará. Constatou-se na primeira fase da Operação Mimetismo, em janeiro de 2018, que os integrantes haviam fraudado 103 benefícios previdenciários e 20 contas bancárias que teriam movimentado valores decorrentes de pagamentos efetuados indevidamente pelo INSS. Durante as investigações, verificou-se um prejuízo de R$ 7,6 milhões e projeção de dano em torno de R$ 9,4 milhões.

Os envolvidos responderão pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, falsificação de documento público e particular, falsidade ideológica, uso de documentos falso e lavagem de dinheiro.

A operação foi batizada de Mimetismo, designação que se refere à habilidade que alguns seres possuem de se camuflar, objetivando se esconder de seus predadores. No caso, o alvo principal vinha sendo investigado em vários inquéritos policiais no Ceará e Pará.

RG 15 / O Impacto com informações da Ascom/PF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *