Professor denuncia desmando na Semed no município de Curuá

Romilson Cardoso volta a tecer duras críticas no setor educacional por nepotismo, super salários e marajás no município de Curuá

O professor e vereador Romilson Cardoso, 39 anos de idade, servidor público, residente e domiciliado no município de Curuá, Região Oeste do Pará, literalmente indignado, procurou a redação do conceituado JORNAL O IMPACTO para tecer duras críticas à administração local. As mesmas estão relacionadas há uma verdadeira avalanche de desmandos na Secretaria Municipal de Educação – SEMED.

Segundo o docente, o referido setor educacional tem total ingerência do prefeito José Vieira de Castro (ZÉ DA MARTA), o qual comete crime de desvio de conduta e tráfego de influência. Como consequência, transformou a educação curuaense em um balcão de negócios, acertos e conchavos. Tais ilicitudes, de certa forma, depõem contra todos os princípios pautados no sacerdócio de educar. Veja denúncia na integra:

“Minha indignação enquanto educador é em decorrência de freqüentes atrasos no pagamento do trabalhador nas datas previstas em Lei, precariedade no transporte escolar no interior, falta de infraestrutura nas escolas da cidade e interior, descumprimento de normas estabelecidas no cardápio escolar preconizada pelo MEC, e outros. Na condição de formador de opinião, não posso e nem devo ficar omisso, com os escândalos de super salários, beneficiando apenas uma pequena elite no setor educacional, inclusive com servidores fora da sala de aula. No tocante à violação de direitos, a atual gestão não cumpre o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração – PCCR, o qual propõe a combinação do desempenho educacional com qualificação do servidor, estimulando-o a buscar o desenvolvimento e o aperfeiçoamento de sua profissão. Pelo contrário, descumpre também, as Diretrizes e Bases da Educação (LDB – Lei 9.394/96). Conforme parâmetros, a LDB está em consonância a Constituição Federal – CF, que por sua vez, não deve ser desrespeitada no Princípio da Isonomia. O mesmo determina que não deva haver nenhuma distinção entre pessoas que se encontrem na mesma situação ou função. Enfim, todas essas irregularidades, objeto de improbidade administrativa, em relação a salários, estão estampadas no Portal da Transparência. O absurdo é tanto que vigia de escola e auxiliar de serviços gerais ganham mais que um professor devidamente qualificado em várias graduações. Tal fato vem acontecendo de forma acintosa, sem nenhum pudor e respeito ao trabalhador da educação. Partindo deste pressuposto, é intenso o menosprezo do Prefeito para com o educador que tem a incumbência de formar cidadãos para o exercício da cidadania no futuro. Assim sendo, tomei a decisão ou iniciativa de ser porta voz da sociedade que clama por urgente providência, por parte da Polícia Federal e Ministério Público Federal, para coibir e desbaratar este conluio organizado, com fortes indícios de acertos e troca favores, ou acordos em valores para prover outros interesses”, concluiu o professor Romilson Cardoso.

Por: Hemenegildo Garcia

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *