Filho da prefeita de São Felix do Xingu usa máquina em lotes de sua propriedade

O município de São Felix do Xingu afundado na lama da corrupção e dos desmandos praticados pela prefeita Minervina Barros (PDT) e família, supera grau da negligência e pode literalmente, parar nas próximas horas.

Pontes quebradas

Embora não seja um Município que conte com muitas organizações sociais, o povo vem se mobilizando gradativamente devido as péssimas condições em que se encontra. Salários atrasados, escolas sucateadas, postos de saúde fechados, hospital abandonado, estradas e vicinais completamente fechadas devido a erosão das chuvas. A população abandonada à própria sorte ou azar, já não aguenta mais tanto sofrimento e clama por justiça através de manifestações que devem surgir a qualquer momento.

Como se não bastasse o uso da máquina pública a favor da família Barros, o abuso também é evidente quando máquinas do PDRSX Xingu estão a todo vapor trabalhando na chácara do ex-secretário de administração, Clayton, filho da Prefeita.

Caminhão ficou atolado, após cair em buraco

Um dos denunciantes afirma que “se as máquinas da Prefeitura estão sendo usadas dessa forma, com certeza eles não estão pagando combustível do próprio bolso”, numa verdadeira afronta aos direitos elementares dos cidadãos Saofelenses. A moto niveladora continua sendo usada para limpar os lotes do filho da Prefeita, que sem nenhum receio ou medo, utilizam o patrimônio público como se fossem deles, conforme indicam as fotos e vídeos gravados recentemente.

O caos vem se generalizando em todo o Município. Quem entra numa vicinal pode não retornar mais, alunos que deverão começar o ano letivo pode ser uma incógnita, pois as estradas estão tão péssimas de transitar que consideram sorte, quando conseguem “varar” até mesmo a pé para algum lugar.

Clayton, filho da prefeita Minervina

Alguns podem achar exagero. Mas assim está instalado o caos total no Município. As vicinais da Taboca, Sudoeste, Lindoeste, Xadá, Vila Central; todas sem exceção, beiram a loucura tentar passar. Os bairros de Alecrim, Setor Vitoria, Setor Trunfo, Solar das Águas, São José, União, enfim, todos encontram-se também na mesma situação caótica, transformando os munícipes em verdadeiros aventureiros numa cidade como se estivesse sido bombardeada por uma guerra.

As pontes quebradas aparentam claro risco de morte a quem se atreve a passar. Chegam a dizer que o apocalipse foi antecipado para São Félix do Xingu.  Enquanto isso, as churrascadas e as festas do primeiro escalão do Poder Executivo “rolam à solta e salvem-se quem puder”, pois a prefeita Minervina, a família e os amigos “chegados” que, de acordo com os relatos, usufruem do patrimônio público, não tem tempo de prestar atenção nesse estado caótico.

Em um dos vídeos mostra o ônibus escolar patinando, sem conseguir subir uma serrinha. Tanto as condições das estradas como as condições dos ônibus, não se sabe dizer ao certo, o pior. Pior mesmo é a situação dos alunos que acordam três horas da madrugada pra pegar o referido ônibus e acabam ficando no meio da estrada sem conseguir chegar ao seu destino final.

A coragem – E nota divulgada ainda a pouco, nas redes sociais pela prefeita Minervina Maria de Barros Silva e pelos seus secretários, possuem a coragem de afirmar que os fatos divulgados ontem por este Blog, objetivam mera promoção pessoal, afirmando que não existe nenhuma crise financeira instalada no Município.

“A matéria veiculada tem o intuito única e exclusiva de denegrir a imagem da gestora, bem como desestruturar a gestão, onde é notório o trabalho que vem sendo executado dia a dia em benefício da população”, diz a nota.

Diante disso, ousamos afirmar, que, talvez o benefício a que se refere, esteja sendo feito apenas em prol da família da digníssima gestora, pois as comunidades rurais estão jogadas à própria sorte e a cidade, repetimos, está como se estivesse sido bombardeada por uma guerra.

Dezenas de comentários sobre a nota divulgada pela Prefeita e secretários, reafirmam, em sua maioria, indignação e revolta diante da bárbara situação em que a população se encontra.

Fonte: RG 15/O Impacto e HC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *