Atentado em área de assentamento deixa famílias em pânico na região do Tapajós

Segundo os assentados, pessoas encapuzadas e com armas em punho ameaçaram famílias com tiros e incendiaram barracos

Barracos foram destruídos no atentado na comunidade de Santa Clara

As imagens gravadas em um aparelho celular pelos próprios colonos já dão uma ideia da violência física e psicológica exercida no atentado. As informações chegaram até a Polícia Militar, em Rurópolis, no final da tarde de terça-feira (26), mas o crime aconteceu por volta do meio-dia.

Segundo os assentados, que ainda estão em estado de choque, pelo menos oito pessoas chegaram ao assentamento encapuzadas e com armas em punho. Eles teriam ameaçado as famílias, disparando tiros para cima e incendiando os barracos, que ficaram destruídos.

 De imediato, o comandante da 17ª Companhia Independente da Polícia Militar, sediada em Rurópolis, mobilizou um grupo de policiais para averiguar a situação. Em seguida, informou ao Comando de Policiamento Regional, na pessoa do Tenente-Coronel Denilson José de Alencar Barata, que também acionou a Polícia Civil e fez um comunicado ao Incra.

Coronel José de Alencar não descarta ameaça de conflito agrário

 A área de assentamento está localizada na margem direita do rio Tapajós, na comunidade de Santa Clara, em frente à vila de Barreiras, que pertence ao município de Itaituba. Mas o assentamento está dentro do território de Rurópolis. Para o Tenente-Coronel Denilson, o que aconteceu na comunidade foi um crime de ameaça grave, e todas as informações que forem fornecidas para a Polícia vão servir para nortear as investigações.

Por parte da Polícia Civil, já foi solicitada a instauração de um inquérito para apurar as circunstâncias do crime. Moradores do assentamento deverão ser chamados para prestar depoimento, para reforçar o procedimento, que já está sendo tratado como ameaça de conflito agrário e precisa de providências em caráter de urgência, para evitar situações mais graves, como já aconteceu em outras regiões do Estado.

Por: Mauro Torres

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *