Polícia prende integrantes de facção que tramou e executou morte de agente da Fasepa

Policiais Civis e Militares conseguiram êxito na prisão de 13 pessoas. 

Partiu de dentro do presídio de Belém, a ordem para execução do ex-agente penitenciário de Cucurunã e chefe de segurança da unidade da Fasepa em Santarém, Derlyson Gonçalves da Silva, ocorrida no dia 24 de abril.

As investigações conduzidas pela Delegacia Especializada em Homicídios, da Seccional da Polícia Civil, ao comando do delegado Dmitri Teles, demonstraram que membros do Comando Vermelho, arquitetaram e executaram o homicídio contra o servidor estadual.

Na quarta-feira(26), dois meses após crime, a Polícia Civil, conjuntamente com a Polícia Militar, deflagrou a operação Roleta-Russa, cumprindo 8 mandados de busca e apreensão; 9 mandados de prisão preventiva e 2 mandados de prisão temporária.

De acordo com a polícia, essa é a etapa final da investigação, e as prisões foram medidas necessárias para a coleta de provas, e permitirãoconcluir o inquérito, fornecendo elementos imprescindíveis ao oferecimento da denúncia.

DINÂMICA DO CRIME: Segundo apurou O Impacto, os integrantes da facção Comando Vermelho planejaram a morte do servidor estadual. Rafael do Carmo, vulgo “Cadáver” e Paulo César Guimarães, vulgo “Vela” presos na Penitenciária de Americano, em Belém, deram a ordem para a execução da vítima.Marcos Paulo, vulgo “Marquinho”, detento do presídio de Cucurunã recebeu a determinação de Belém e intermediou o crime, dando a missão para outro detento, Edson Costa, vulgo “Poroca”. Este por sua vez, fugiu do presídio para matar o agente penitenciário, e contou com a ajuda de Fagner Railan Gomes, vulgo “Faguinho” que pilotou a moto.A dupla recebeu apoio logístico de Magno Pereira dos Santos e Márcio Gomes Soares, vulgo “Urso Branco”, entre outras pessoas.

AS PRISÕES: Segundo os órgãos de segurança, foram efetuadas 13 prisões, entre os previstos por mandados expedidos pela Justiça, juntamente com flagrante delitos por tráfico de drogas.

“A ordem partiu de dentro do presídio de Belém, de detentos que integram a facção. O executor fugiu da penitenciária de Santarém, determinado para praticar o homicídio. Aqui fora ele teve apoio Faguinho, do Magno, do Urso Branco.O Magno, durante o enterro de um dos membros da facção, postou vídeo na internet, lamentando a morte desse colega de crime, exibindo armas, e fazendo outras afrontas contra os órgãos de Segurança Pública”, disse o delegado Jamil Casseb, superintendente da Polícia Civil do Baixo e Médio Amazonas, acrescentando:

“Ressaltamos novamente o apoio, o compromisso a união e integração com a Polícia Militar, fundamental nas investigações, nos levantamentos, nas prévias da execução, mostrando novamente que as Polícias estão integradas, estão unidas, mostrando o compromisso para com a população de Santarém, para a população da nossa região, confirmando que o combate a essas facções criminosas é e será intenso, incessante e permanente. Essa operação não se encerra aqui. Nós temos outras investigações em andamento, outros membros dessa facção já estão identificados e serão presos também.Então é essa resposta que a gente dá para a sociedade. Essa é a resposta para aquelas pessoas que insistem em permanecer no mundo do crime, afrontando os órgãos de Segurança Pública. Nós estamos aqui unidos e empenhados nesse combate”.

Coronel André Carlos, comandante do Comando de Policiamento Regional 1, também participou da operação, que contou com cerca de 20 Policias Militares. Outro apoio ao trabalho da Delegacia de Homicídios, foi dos militares do Serviço de Inteligência da PM.

“Foi mais uma ação integrada, que mostra a força dos órgãos de segurança de Santarém e Região. Trabalho importante da Polícia Civil por meio da Delegacia de Homicídios e do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) e da Polícia Militar colaborando com a equipe do reservado.Um resultado extremamente exitoso, que dá uma resposta quanto à morte do agente da Fasepa. Esse trabalho é relevante uma vez que tira de circulação elementos perigosos. Entendemos que o crime quer se fortalecer na nossa região, mas com a nossa união, com troca constante de informação, vamos continuar o combate incessante”, disse o Oficial da PM.

BRAÇO FEMININO DA PILANTRAGEM: Algumas mulheres foram apresentadas na delegacia. Uma delas é a companheira do também preso na operação, Magno. Segundo apontaram as investigações, ela presta socorro a membros da facção que eram baleados, que eram feridos em confrontos, uma vez que trabalha com técnica de enfermagem.

Na operação, ela foi presa acusada de tráficos de drogas, já que na sua residência foram encontrados vários papelotes de droga.

O TRABALHO INVESTIGATIVO: A investigação altamente complexa, que resultou na operação que desbaratou o braço da facção que afronta as forças de segurança, foi conduzida pela Delegacia Especializada de Homicídios, da 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém.

Delegado Dmitri Teles, juntamente com os investigadores Paulo Genaro,Dilermando Sousa e os escrivães Marcos Mendonça e Jovannes Farias realizaram as diligências e oitivas de testemunhas que subsidiaram o inquérito policial.

“Desde o crime iniciamos uma série de oitivas e trabalho de campo, que nos forneceram condições para que no dia de hoje, fosse deflagrada esta ação policial, que é uma resposta para a sociedade em relação à morte do chefe de segurança da Fasepa. Foi um crime que preocupou toda à sociedade, uma vez que a vítima era servidor do Estado e atuava na área da segurança. Daí a importância e o envolvimento de tantos órgãos, que foi fundamental nas prisões”, informou o delegado Dmitri Teles.

Ainda de acordo com a autoridade policial, neste momento, ainda não é possível dizer com exatidão a real motivação do crime. Uma das hipóteses consideradas é uma possível vingança por parte da facção, da época que a vítima trabalhou no Complexo Penitenciário de Cucurunã.

O CRIME: Derlyson Gonçalves da Silva, servidor público estadual que prestava serviço na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (FASEPA), de Santarém, foi atingido com disparos de arma de fogo, na noite do dia 24 de abril, em um bar localizado na rua Irurá, bairro do Caranazal.

Segundo informações, dois homens chegaram ao local em uma moto, marca/modelo Yamaha Lander, de cor azul, quando o carona desceu e efetuou vários disparos, sendo que pelo menos três acertaram a vítima.

Na ocasião, outra pessoa que estava no recinto também foi baleada na perna. O agente da FASEPA, teve ferimento em um dos braços, na perna direita e na barriga. Ambos foram encaminhados para o Pronto Socorro Municipal (PSM). Na manhã do dia 26 de abril, foi confirmada a morte de Derlyson Gonçalves da Silva.

RG 15 / O Impacto

Um comentário em “Polícia prende integrantes de facção que tramou e executou morte de agente da Fasepa

  • 28 de junho de 2019 em 00:27
    Permalink

    Por aqui a bandidagem não anda gozando de boa saúde, parabéns à PM e Policia Civil !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *