Por melhores resultados, futebol santareno passa por reestruturação

As irregulares campanhas no Campeonato Paraense e o nível das competições amadoras locais colocaram em cheque a credibilidade do futebol santareno. Ainda que a dificuldade de se fazer esporte na região seja grande, não se pode relevar as constantes quedas dos times santarenos no certame estadual e até mesmo os resultados aquéns do esperado nas competições amadoras de âmbito regional.

Com isso, a Liga Esportiva de Santarém (LES) iniciou um processo de tentativa de reestruturação do futebol na cidade. Segundo os comandantes da entidade, a ideia atual é dar melhor suporte para as competições amadoras e de base, elevando assim a qualidade do esporte local e podendo refletir até mesmo nos três clubes profissionais do Município: São Raimundo, São Francisco e Tapajós.

Já neste ano, a LES organizou até o momento três competições no âmbito municipal: o Campeonato Santareno Sub-20, o Campeonato Santareno Feminino e o Campeonato Santareno Amador – que não era realizado há sete anos. Isso sem contar as participações de equipes locais e a até mesmo a seleção santarena em campeonatos de nível regional, como a Copa Oeste.

De acordo com o presidente da entidade, Sandicley Monte, a ideia é realizar ainda mais campeonatos locais, assim incentivando o esporte na cidade. Segundo o mandatário, esta é uma oportunidade esperada por muitos jovens, que ainda sonham em conseguir via competições como Sub-20 e Amador.

“Quando nós assumimos, era uma promessa de campanha nossa de fazer três competições, mesmo com o curto espaço de tempo. São elas o Sub-20 (que muitos acompanharam e até elogiaram), o feminino (que está na reta final) e o Amador, que vai até o dia 30 de novembro. Devido às três equipes profissionais, ficou meio acanhado o campeonato santareno, mas sabemos que muitos atletas querem apenas uma oportunidade. Na minha visão, como presidente de Liga e diretor de uma equipe profissional, a gente necessita de um campeonato dessa envergadura, até porque como vamos avaliar alguns atletas da região?”, comenta Sandicley Monte. A ideia da Liga Esportiva de Santarém é dar sequencia aos jovens jogadores para que eles possam ser observados por dirigentes e olheiros dos clubes de Santarém. O presidente da Liga é também o presidente do Tapajós, justificando a tentativa de descobrir novos talentos para as equipes profissionais, o que pode acarretar em diminuição dos gastos das equipes.

“Já está programado no calendário do ano que vem para que estas competições sejam realizadas antes da Segundinha, pois teremos duas equipes profissionais neste torneio e eles podem aproveitar para fazer uma base com jogadores do Campeonato Santareno. Isso é de suma importância para o futebol amador e o profissional, pois aí conseguimos dar uma vitrine para esses atletas da região. Apesar de termos apenas uma equipe profissional no Campeonato Paraense, esse clube vai ter a chance de tirar alguns atletas que se destacarem nessa competição”, enfatiza.

A edição 2019 do Campeonato Santareno Sub-20 já terminou e o certame feminino está na reta final, restando apenas o amador, que começou a pouco mais de duas semanas. De acordo com o presidente da entidade, as mudanças começaram com coisas simples, mais um avanço dentro do cenário local: como apenas a utilização de campos fechados e com gramado para as partidas e uso de trio de arbitragem completo – antigamente tinha apenas o árbitro apitando.

“O objetivo da competição é tirar o peso dos clubes. Hoje a liga já entra com parte da arbitragem, que é muito pesada. O sub-20 antigamente trabalha apenas com um árbitro e hoje utilizamos um trio, como deve ser realmente. Os campeonatos todos são disputados em campos fechados e gramados, não tendo mais esse de campo aberto e terra. Os clubes mesmo falam que está mais bem organizado, melhorou muito, mas ainda não é o que queremos”, comenta.

Com a melhora, ainda que simples, das competições organizadas pela LES, um dos primeiro resultados é chegada de atletas de cidades vizinhas para jogarem nos times locais, evoluindo assim o nível técnico dos campeonatos. Para muitos, esta poder ser a última chance de conseguir um espaço dentro do esporte de forma profissional. “A minha felicidade é que já no Sub-20 muitas equipes trouxeram jogadores do interior e de outras cidades da região. Vimos o nível técnico bem acima do esperado e agora conseguimos fazer este campeonato, com as equipes investindo nos times para fazer uma boa competição. A competitividade faz elevar o nível técnico de um campeonato”, enfatiza.

O Campeonato Santareno Amador deste ano conta com oito equipes, que foram dividas em duas chaves. As equipes do grupo A enfrentam as do grupo B e os dois melhores de cada chave avançam para as semifinais. Para o ano que vem, a ideia é que a competição conte com 10 times – sendo os oito deste ano e mais o campeão e o vice do Sub-20. Esta é talvez a principal ideia da nova versão dos campeonatos de futebol em Santarém: a divisão das equipes por séries.

“Não adianta ano que vem virem com a história de que alguém filiou um time na Liga e querer participar do campeonato Santareno. Não pode, tem que ir primeiro para o sub-15, chegar entres os dois melhores e assim subir para o sub-17, que também terá os dois melhores subindo para a categoria Sub-20, que coloca os dois melhores times dentro do campeonato amador. Assim se cria series A, B, C e D. Vou receber muita critica, mas tenho convicção do que estou fazendo, pois estamos qualificando o campeonato e acabando com essa história de aventureiro chegar e já querendo colocar uma equipe qualquer em um campeonato importante”, relata Sandicley Monte. O Sub-20 deste ano premiou o campeão com o valor de R$ 7.500, valor arrecado com pouco apoio. Para o Amador, a busca por apoio e patrocínio segue sendo realizada, mas fica complicada a partir do momento que até mesmo diretorias de equipes profissionais não ajudam com a concessão de campo para jogos – que podem possivelmente revelarem talentos para os times profissionais. O poder público é também  outro que fica aquém do esperado quando se trata de apoio ao esporte local.

“Espero e conto muito com o apoio publico, já que estamos fazendo um trabalho para a sociedade, esporte e juventude. Terminou o Sub-20 e começou o campeonato santareno e não veio o apoio prometido, mas voltamos às negociações para ver se isso realmente acontece. Se não for possível, combinamos o seguinte: cobramos as inscrições para os clubes e 100% desse valor vai para o Campeão, buscando apenas uma premiação para o vice”.

O Calendário das competições do ano de 2020 já foi estipulado e deve ser divulgado ainda no fim deste ano. Sabe-se apenas que tais certames serão antes da disputa da Segunda Divisão do Campeonato Paraense – que terá São Francisco e São Raimundo como participante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *