Mercado da beleza e da saúde resistem à crise e seguem crescendo com faturamento de até R$ 50 milhões

Se a economia brasileira patina para se recuperar, o mercado estético e de saúde é a exceção à regra e segue firme no crescimento, movimentando mais de R$ 47 bilhões em 2018 (dados do Portal Beaubit). A previsão para esse ano é de crescimento de 2%, fechando 2019 com um faturamento de cerca de R$ 50 milhões, segundo a ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos). O fortalecimento do mercado vem impulsionado pela subida no número de empreendimentos do setor, que passou de 70 mil a mais de 500 mil entre 2010 e 2015.

 

Uma das especialidades de maior destaque no ramo são os centros estéticos de cuidados com o cabelo que, mesmo diante da recessão econômica, continuam sendo muito requisitados. A alta na procura se deve a dois fatores: a evolução na qualidade dos tratamentos e o aumento da procura por parte dos homens, que cada vez se sentem mais confortáveis em frequentar esse tipo de estabelecimento.

 

Os tratamentos de cuidados com o cabelo também ganharam protagonismo, já que procedimentos como a depilação e a manicure passaram a ser feitos em casa, com o auxílio de aplicativos que enviam profissionais a domicilio ou por conta de novos produtos eletrônicos, como depiladores elétricos, que oferecem praticidade e comodidade.

 

O mercado odontológico também segue forte como em outros anos e as expectativas são boas. Um estudo realizado pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) concluiu que de 9 entre 10 brasileiros concordam que visitas regulares ao dentista são importantes para a saúde e mais de 70% dos entrevistados se consultam anualmente com um profissional.

 

Tratamentos estéticos cada vez mais modernos e menos invasivos animam mais pessoas a investir em na saúde bucal. A modernização dos tratamentos também possibilitou que as visitas ao dentista durassem cada vez menos, reduzindo o tempo e o investimentos necessários nas consultas.

 

A chegada dos aparelhos invisíveis também alavancou a ortodontia, área que cuida do alinhamento dos dentes. Os aparelhos, que são personalizados, ofereceram uma nova alternativa às pessoas que antes se negavam a cuidar do sorriso por não estarem dispostas a usarem os aparelhos metálicos convencionais.

 

Mercado da saúde também vem crescendo

 

Mesmo com dificuldades, o mercado da saúde também segue em alta e a otorrinolaringologia é a área que mais se destaca. As doenças respiratórias são, atualmente, uma das principais causas de morte no país, perdendo somente para diferentes tipos de câncer, e doenças cardiovasculares.

 

Casos de bronquite, asma, sinusite e reações alérgicas são cada vez mais comuns em clínicas e hospitais de todo país e j ánão se restringem somente aos meses de frio. Temporadas de seca cada vez mais constantes e altos índices de poluição fazem com que estas condições sejam cada mais frequentes.

 

Com um número de pacientes crescendo, aumenta também o número de clínicas especializadas no tratamento de doenças respiratórias. A ineficiência da rede pública de saúde também faz com que mais pessoas busquem estabelecimentos particulares em busca de atendimento de qualidade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *