Magazine Luiza age de forma arbitrária em área de carga e descarga de mercadorias

Como se não bastasse a falta de estacionamento no centro comercial de Santarém, outra situação relacionada ao trânsito tem prejudicado lojistas da área.

De acordo com informações, a Magazine Luiza tem utilizado o local que é tão somente para carga e descarga de mercadoria, para estacionar seus caminhões.

Segundo o presidente do Sindicato Lojistas de Santarém, Alberto Oliveira, são muitas as denúncias que a entidade tem recebido dos lojistas, pois a área de carga e descarga está sempre ocupada por caminhões a serviço do Magazine Luiza, dificultando as demais lojas, de receberem e encaminharem suas mercadorias.

Os comerciantes denunciam que os caminhões chegam por volta de 6h e ficam estacionados até o  meio dia. Com isso, os carros das outras empresas, que também precisam descarregar seus produtos, não conseguem estacionar, ou o fazem em fila dupla dificultando ainda mais o trânsito na Av. Tapajós.

Caminhões são obrigados a parar em fila dupla.

Alberto Oliveira informou a nossa reportagem que já fez a denúncia ao Secretário da Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito (SMT), Paulo Jesus, pedindo providências. Conforme retorno do titular da SMT, a empresa já foi notificada.

Acontece que até o momento, a Magazine Luiza não tomou nenhuma medida para resolver o problema, pois continua usando a área de carga e descarga como estacionamento.

Os empresários, através do Sindilojas, procuraram nossa reportagem para fazer a denúncia, esperando que o poder público municipal tome providências para solucionar o problema, até porque, com as vendas do final do ano, aumenta a circulação de veículos e os caminhões dos demais lojistas, que não conseguem estacionar para descarregar seus produtos e abastecer suas lojas.

RG 15 / O Impacto

2 comentários em “Magazine Luiza age de forma arbitrária em área de carga e descarga de mercadorias

  • 15 de dezembro de 2019 em 15:39
    Permalink

    “Não são obrigados a estacionar em fila dupla” como a reportagem sugere. A maioria das “vagas” no centro comercial são dos próprios comerciantes, que chegam a “reservá-las” ao seu modo. Os motoristas só querem/podem estacionar em frente às portas que precisam adentrar. É um crime ter de caminhar mais que dois metros entre o carro e a loja.

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2019 em 15:11
    Permalink

    a porra da inveja de arigó é ralado

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *