Artigo – Ouro é o que ouro vale: grandes investidores abandonam o dólar

Por Oswaldo Bezerra

Em 24 de julho, o preço do ouro com entrega imediata em Nova York subiu para US$ 1.901,3 por onça. Parece que não é o fim da tendência de alta e o metal precioso alcançará o preço mais alto já registrado da história, US$ 1.920. Não há corrida como a corrida do ouro que se avizinha.

A razão do investimento no dólar era o comércio do medo, e o comércio do medo é a emoção mais poderosa. Contudo, hoje você está vendo em todo o mundo muito dinheiro fiduciário sendo criado e uma implosão de crédito que levará as moedas com ele.

Por isso, hoje todas as estradas levam ao ouro. É por causa do ambiente econômico que vivemos. O ouro é o arqui-inimigo das moedas fiduciárias. A moeda fiduciária mais forte é o dólar, por isso, nos EUA as pessoas que investiam em ouro ou biticoins eram consideradas antipatriotas.

O que ocorre hoje é que mesmo que você seja um fanático patriota e apenas usar seu bom senso, verá que tem um grande problema lá fora. O capital precisará de um lugar para se esconder. Ouro é dinheiro que não tem rabo preso. Ouro é a prova de que houve trabalho, capital e equipamento para sua criação. Já foi feito, enquanto todo o resto é uma promessa futura, e promessa sabe como é, foi feita para ser quebrada.

Enquanto isso, mundo afora os bancos centrais inflam o mercado de moeda fiduciária ou vão morrer. Sem isso, todo o sistema de crédito será desativado. Se eles não inflam e deixam o sistema de crédito cair, então, há um grande evento deflacionário em que o crédito implode. Todas as moedas em si são créditos. Portanto, se o sistema de crédito cair, ele também levará as moedas.

Pode haver uma implosão de crédito, e o Federal Reserve dos EUA criar US$ 100 trilhões para colocar no sistema financeiro. Essa é a única resposta que eles podem dar para as coisas não saírem do controle. O problema é que isso cria perda de poder de compra. Basta olhar para a história. Toda vez que uma moeda falha, a população perde seu poder de compra.

O ouro é o metal cujo valor é devido às suas propriedades monetárias, e é o principal concorrente do dólar. Os especialistas sugerem uma variedade de explicações para uma popularidade tão alta do ouro. Os motivos incluem os riscos para os investidores causados ​​pela pandemia de coronavírus e receios associados aos riscos políticos globais e, principalmente, os riscos norte-americanos.

Os apoiadores do investimento em ouro incluem os bancos norte-americanos JPMorgan e Goldman Sachs, bancos centrais da Rússia e Hungria, bilionários financeiros como Jim Rogers e Paul Tudor Jones. Investidores com grandes carteiras e informações mais precisas, o chamado ‘dinheiro inteligente’, preferem ouro apesar dos aparentemente excelentes resultados do mercado de ações dos EUA.

Desconfiança com ações e entusiasmo pelo ouro, tudo isso não se deve apenas ao desempenho do metal. Os investidores do ouro reconhecem o metal precioso como uma apólice de seguro, contra manipulação financeira por autoridades monetárias.

No passado, qualquer crise global, e a instabilidade gerada nos mercados financeiros, como o aumento de vários riscos econômicos, causavam uma fuga maciça ao dólar. Hoje, a situação é diferente. Na mídia norte-americana, esse fenômeno incomum é atribuído ao fato dos EUA não terem conseguido lidar efetivamente com a epidemia de coronavírus.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *