Artigo – Já existe data para a vacina russa chegar na América Latina

Por Oswaldo Bezerra

Chega uma excelente notícia das bandas da Rússia. O presidente Putin anunciou que seu país registrou a primeira vacina do mundo contra o corona vírus. Foi uma luta contra o relógio e contra todas as críticas do Ocidente. A mídia ocidental acusou hackers russos de tentar roubar dados do desenvolvimento de vacinas dos norte-americanas e britânicos.

Hoje esta mesma mídia propaga que a vacina é perigosa, pois foi testada em tempo recorde. Hoje no Brasil, uma das emissoras de rádio dedicou vários minutos para fazer piada sobre a vacina russa. Em outra emissora, o destaque foi falta de democracia na Rússia, como se Putin não houvesse sido eleito com mais de 70% dos votos.

Por causa de todas as críticas, Putin tranquilizou a sua população afirmando que a vacina funciona bem, cria imunidade e passou por todas as provas necessárias. Discorda a Organização Mundial de Saúde. A OMS afirmou que acelerar o progresso não deve significar colocar em perigo a segurança das pessoas, em uma crítica a Rússia.

Por outro lado, Putin afirmou que acompanhou os experimentos. Inclusive acompanhou o processo em sua filha, que após a vacina teve uma febre de 38 graus, que normalizou no dia seguinte. Na segunda dose, ela se sentiu bem e os níveis de anticorpos se tornaram altos.

O início da vacinação da população russa será exclusivamente de forma voluntária. Já no final de agosto a classe médica será toda vacinada. O Ministério da Saúde da Rússia acrescentou garantias de eficácia e segurança. Qual foi o segredo da Rússia para atingir o intento de criar uma vacina tão rapidamente?

Os governos norte-americanos e europeus dedicaram montanhas de dinheiro para criar uma corrida, entre as grandes empresas de fármacos, para criar uma vacina primeiro.

Enquanto a estratégia do ocidente foi criar competição, a da Rússia foi o de unir forças. Lá se uniram o Centro Nacional de Investigação Epidemológica e Microbiologia (GAMALEYA), a farmacêutica Binnofarm, financiamento estatal e doações de bilionários russos. A união fez a força e graças aos russos já temos vacina.

Não é amplamente conhecido em todo o mundo, mas a Rússia é um dos líderes mundiais na pesquisa de vacinas, há séculos. A imperatriz russa Catarina, a Grande, por exemplo, em 1768, recebeu a primeira vacina contra a varíola, 30 anos antes da primeira vacinação realizada nos Estados Unidos. Em 1892, o cientista russo Dmitri Ivanovski criou uma nova Ciência, a virologia. Desde então a Rússia tem sido um dos líderes mundiais em virologia e pesquisa de vacinas. Os russos já criaram 6 vacinas contra importantes doenças, entre elas Ebola e Mers.

Espera-se que esta vacina tenha início de produção na América Latina em novembro deste ano. A ideia é que seja produzida no Brasil e em Cuba. Planejam os russos que Cuba se converta na planta chave de produção de vacina para todo o mundo. A demanda é altíssima, e é esperada uma produção de 500 milhões de doses por ano.

A vacina foi batizada de Sputnik 5. Nome que traz lembranças da criação do primeiro satélite fabricado no mundo, em 1957. Funcionando a vacina, a Rússia retoma toda a relevância que o país tinha durante a Guerra Fria. Hoje a Rússia recebeu pedidos de 20 países para UM BILHÃO de doses da primeira vacina mundial Covid-19. Torçamos para que esta vacina não encontre obstáculos no meio do caminho até a América Latina.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *