TRE autoriza Plebiscito para a criação do município de Moraes Almeida

No dia 13 de agosto, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Pará (TRE-PA) aprovou resolução autorizando a realização de plebiscito no município de Itaituba, para criação do município de Moraes Almeida, no dia 15 de novembro, concomitantemente com o primeiro turno das eleições municipais.

Após a autorização do TRE-PA para a realização de plebiscito a Comissão Pró Emancipação começou os trabalhos de articulação pelo SIM. O projeto ganhou um grande aliado, Vereador Peninha, o grande idealizador da criação dos municípios de Jacareacanga, Novo Progresso e Trairão.

Na semana passada, o vereador Peninha participou de uma reunião em Moraes Almeida com membros da Comissão e lideranças, entre eles Vereador Dirceu Biolchi, Ubiratan Filaphelfo – Presidente da Comissão Pro Emancipação; empresário Mauricio Alessandro Costa –Supermercado Tradição; empresário Oberdan Perondi. Na ocasião, o vereador fez uma explanação sobre criação de município.

Peninha lembrou a sua luta ao lado do então deputado estadual, Vilson João Schuber e do falecido deputado Nicias Ribeiro. “Ninguém acreditava que era possível dividir Itaituba. Me chamaram de doido e cheguei a ser ameaçado de morte em Jacareacanga, quando retornávamos a Itaituba levando as urnas”, após a realização do plebiscito, frisou o parlamentar de 8 mandatos.

Disse Peninha que na época, a consulta plebiscitária foi realizada apenas na área do pretenso município, ao contrário de hoje, que a consulta é feita em todo o município onde está localizada a área que quer se emancipar.

“Temos que trabalhar muito pelo SIM, pois todos eleitores de Itaituba vão ter o direito de votar. Depois de conseguirmos aprovar no plebiscito a criação, aí vamos correr atrás da Lei que regulamentar a criação, fusão, incorporação e desmembramento de municípios”.

“O caminho é longo”, frisou o edil, “mas agora temos o inicio que é o plebiscito, consulta para saber se querem criar o município de Moraes Almeida”.

Sobre o tamanho do município de Moraes Almeida, Peninha disse que vai ocupar uma área de um pouco mais de 12 mil quilômetros quadrados, fazendo limites com Itaituba, no Rio Aruri, na Cuiabá Santarém; no Riozinho, com Novo Progresso, também na Cuiabá Santarém; no Rio Sumaúma, na Transgarimpeira com Itaituba e com Altamira.

Segundo o levantamento apresentado pelos estudos, nesta área existem mais de 10 mil habitantes (quando foi feito o levantamento em 2018). A comissão usou os limites da criada área do Distrito Municipal, para propor a criação do município de Moraes Almeida, lembrou o edil.

Entretanto, Peninha disse que representantes de outras áreas, como Crepurizão e Crepurizinho, gostariam de fazer parte do pretenso município, porém, ficaram fora, permanecendo na área territorial de Itaituba. “Obteve informação da Comissão Pró Emancipação de que estes garimpos não fizeram parte da área do pretenso município de Moraes Almeida, para que fosse preservada a cidade pepita, como é chamado o município de Itaituba. Não é justo, tirarmos este titulo de Itaituba, com a criação do município de Moraes Almeida, deixando Itaituba sem nenhum garimpo”, disse um dos membros da comissão Pró Emancipação.

Peninha afirmou que Moraes Almeida hoje já tem cara de cidade, pois é um dos distritos mais ricos da nossa região. Destacou que existem na área do pretenso município duas grandes mineradoras ( Serabi e Brazauro) e duas concessões florestais, que proporcionam a extração legal de madeira para 12 serrarias trabalharem dia e noite exportando mensalmente milhares de metros cúbicos de madeira beneficiada. Tem um comércio forte, que atende a região garimpeira e a agropecuária daquela região. Funcionam ali, duas escolas, uma com 1.200 alunos e outra com 400 alunos de ensino fundamental e a noite funciona o ensino médio com mais de 300 alunos, além dos cursos superiores periódicos.

“Estou muito otimista e acredito que é possível criarmos o município de Moraes Almeida, pois aquela região precisa desenvolver andando com suas próprias pernas. Hoje, Itaituba não tem condições de manter Moraes Almeida, pelo crescimento que aquele distrito vem tendo. Acho que a emancipação político administrativa, é o caminho para o progresso”, lembrou Peninha.

“Temos exemplo, Jacaraeacanga, Novo Progresso e Trairão, que se não fossem município, como era hoje estes distritos?” Indagou o edil.

“Agora, precisamos trabalhar dia e noite para divulgarmos o plebiscito. Que precisamos que os eleitores de todo o município de Itaituba ajude votando SIM pela criação do município de Moraes Almeida. Esta divisão territorial será bom para Moraes Almeida e para Itaituba”, garante Peninha.

“É a divisão da somatória, da união, da presença do poder publico mais perto dos problemas, em fim, é o caminho para a organização e o desenvolvimento de uma região”, concluiu o parlamentar.

Clique aqui e acesse a Resolução do TRE-PA

RG 15 / O Impacto

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *