Operação Amazônia Viva apreende motosserras, armas de fogo e embarga mais de 9 mil hectares em 15 cidades do Pará

Após ser retomada no dia 23 deste mês, a Operação Amazônia Viva, que faz parte do eixo de Comando e Controle, do Plano Estadual Amazônia Agora, entrou em sua quarta fase e alcançou grandes números. De acordo com o balanço parcial da operação, até o momento foram apreendidos dez motosserras, um caminhão, três tratores, mais de 100 metros cúbicos de madeira e 13 armas de fogo. Área embargada já chega a 9.633 hectares, equivalente a 9 mil campos de futebol.

Operação mantém seis frentes de trabalho, que abrangem 15 municípios, com incursões na mata e buscas em locais mapeados com ajuda dos satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que mostraram pontos de desmatamento. As apreensões foram feitas pelas equipes integradas da Força Estadual de Combate ao Desmatamento, formadas por policiais civis e militares, fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), bombeiros e peritos do Centro de Perícias Renato Chaves.

Em Santarém, na área rural do Assentamento Corta Corda, a equipe flagrou uma serraria clandestina, apreendeu um trator e equipamentos usados no corte da madeira. Em São Félix do Xingu, no sudoeste do Estado, foram apreendidas cinco motosserras, um caminhão, quatro espingardas e 38 metros cúbicos de madeira em lenha.

A coordenação do trabalho integrado é feita pela Semas. “Nossa avaliação sobre a atuação das equipes é positiva, nós estamos em uma crescente de combate ao desmatamento e devemos permanecer assim, com um trabalho constante, para garantir a presença do Estado nas áreas mais sensíveis aos crimes ambientais”, explica o coordenador da Operação e diretor de Fiscalização da Semas, Rayrton Carneiro.

A quarta fase da operação continua por mais uma semana, mas outras fases ainda estão por vir até o final do ano. Em agosto, a terceira fase da operação Amazônia Viva já tinha resultado com a diminuição de 60% no desmatamento, em áreas estaduais, se comparado ao mesmo período de 2019.

RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *