Artigo – A gargalhada da Kamala

Por Oswaldo Bezerra

Muita gente ainda tenta classificar o regime norte-americano como Democracia. De fato não é. Está mais para plutocracia. Para alguns, é um regime de um partido só. É um partido que, como uma hidra, tem duas cabeças: republicanos e democratas. A política tanto externa como a interna é sempre a mesma.

Existem políticos progressistas nos EUA? Existe Bernie Sanders e só, não me lembro de outro nome. É um país sem nenhuma representatividade política trabalhista. Mesmo assim, por conta das redes sociais, criou-se um cenário de polarização para esta eleição para presidente.

No momento, eles estão experimentando a calmaria antes da tempestade. Muitos apoiadores de Biden acreditam que uma vitória de Trump seria literalmente a pior coisa que poderia acontecer ao país, mas no momento a maioria deles está bastante confiante de que Biden vencerá. Da mesma forma, muitos apoiadores de Trump estão absolutamente convencidos de que mergulharemos em um abismo socialista horrível se Biden vencer, mas por agora a maioria deles está convencida de que as pesquisas estão erradas e que Trump obterá outra vitória em novembro.

Faltando pouco mais de uma semana para o dia da eleição, a maioria dos norte-americanos que realmente se preocupada com a política está calma por acreditam em um resultado positivo. Logo isso mudar, e dezenas de milhões de gringos irão sofrer emocionalmente. O ataque de raiva nos EUA está prestes a explodir.

Até o Facebook está se preparando para o pior. Para evitar distúrbios eleitorais no próximo mês, os executivos do Facebook estão implantando medidas de emergência reservadas para países “em risco” em um esforço de toda a empresa para reduzir a temperatura online. Logo eles, que sempre foram os maiores indutores de ódio pelas redes.

O Wall Street Journal informou que o gigante da mídia social limitará a propagação de conteúdo viral e reduzir o benchmark, para suprimir postagens potencialmente inflamatórias, usando ferramentas internas previamente implantadas no Sri Lanka e em Mianmar.

Então, como seriam essas medidas de emergência? Incluirá a manipulação de seu feed de notícias para alterar o tipo de conteúdo que usuários têm permissão para ver. De acordo com o Facebook, essas novas “medidas de emergência” serão implantadas se houver “violência relacionada às eleições”, e vai haver.

O Washington Post também está profundamente preocupado com o que esta eleição fará aos EUA. Em um artigo muito longo que acabaram de publicar, eles discutiram o fato de que ambos os lados estão convencidos de que “o resultado errado trará desastre”. Mesmo as pessoas mais equilibradas e sensatas estão falando sobre esta eleição em uma linguagem cataclísmica.

A maioria dos democratas acredita que Trump e seus partidários são profundamente perversos e, da mesma forma, a maioria dos republicanos acredita que Biden e seus partidários são profundamente maus. Sabemos que, na verdade, todos eles são. Não é a toa que democratas e republicanos, juntos, são conhecidos como o “Partido da Guerra”. São as duas faces da mesma moeda, mas mesmo assim a nação está profundamente dividida.

Há uma noção errônea de que só os republicanos representam a Direita, e que os democratas mergulharão a nação no socialismo. Todos eles são Extrema Direita, seja de um lado ou de outro, é a maior característica da política norte-americana.

Em uma icônica entrevista, no canal CBS, no programa Sixty Minutes, com a apresentadora Norah O’Donnell, Kamala Harris (candidata a vice-presidente pelos democratas) provocou até indignação devido a um ataque de risos. Foi quando questionada se ela trabalharia por políticas progressistas ou socialistas, caso Joe Biden ganhasse as eleições presidenciais de novembro. “Não”, zombou Kamala.

RG 15 / O Impacto

3 comentários em “Artigo – A gargalhada da Kamala

  • 28 de outubro de 2020 em 17:59
    Permalink

    Soldado varonil, tente arrumar um emprego na China, competindo com bilhões. Depois ainda irá dividir um quarto fedorento, mal cuidado, com mais 5, 7,8 pessoas e também ganhando um salário ridículo. Sua alimentação será a deles, intragável, além dos ônibus super lotados. Consulte http://www.58.com !

    Resposta
  • 28 de outubro de 2020 em 12:17
    Permalink

    Para infelicidade de alguns, a China comunista atrai muito mais trabalhadores “especializados” do que os EUA. Para os EUA a imigração de pessoas sem qualificação ainda é importante principalmente para latinos por causa da língua.

    Resposta
  • 27 de outubro de 2020 em 23:32
    Permalink

    Enquanto houver gente de todo o mundo somente querendo entrar nos USA, ninguém fugindo, como ocorre nos países comunistas, o autor desse artigo pode ficar tranquilo quanto aos direitos trabalhistas e a situação econômica dos americanos, nada do cataclisma por ele agourado ocorrerá !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *